Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Esquerda apodrecida

Como nos anos 60, a população voltou às ruas em diversos países para protestar contra os governos locais. Só que protestos populares contra a presidenta Dilma estão, por enquanto, descartados, sob a ótica de gente boa como o amigo Alexandre Figueiredo.

"Evidentemente, se houver algum protesto no pais, por parte das classes populares, ele não será direcionado à presidenta Dilma Rousseff, eleita legitimamente, de forma democrática e representante das forças progressistas no país. Haverá, quando muito, manifestações da oposição reunida em elites ou na discordância isolada de quem discorda naturalmente da política da chefe do Executivo federal.


Mas isso é outra história".

Antes do Alexandre escrever seu texto, blogueiros diversos (da direita à esquerda) acertaram ao dizer que o Governo Lula-Dilma cooptou os movimentos sociais. E se cooptou os movimentos sociais, a população continua abestalhada, ignorando a roubalheira da Copa 2014 e das Olim Piadas 2016, ignorando o vilipêndio da soberania nacional, comendo banana achando que está comendo caviar e achando que virou classe média. À custa de muito endividamento, diga-se de passagem. As Casas Bahia e as financeiras que trabalham com empréstimos consignados agradecem.

Eu sou do tempo em que a população ia pra rua queimar ônibus quando havia aumentos abusivos de passagem, e em que presidentes da República levavam pedradas. Há de se anotar que eram atitudes extremadas. Hoje a população parte pro outro extremo: aceita tudo passivamente, alegremente, saltitante, serelepe e até coniventemente, dependendo do substrato social.

A esquerda INTEIRA apodreceu moral e eticamente. Seja a esquerda governista (PT, PDT, PSB, PC do B), a esquerda desterrada (PSOL) ou a extrema esquerda (PSTU, PCO, PCML, etc). Se juntaram com a direita, que está apodrecida desde sempre.

Posso garantir que minha visão ingênua, poética e romântica sobre a esquerda acabou faz anos. Falta surgir algo que supere a esquerda e deixe a direita ideológica ainda mais distante no tempo. Espero estar vivo para ver esse "algo" surgir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário