Política, cultura e generalidades

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Dividir para reinar (2)

Hoje numa comissão do Senado os senhores parlamentares discutiam a autorização ou não para se fazer um plebiscito no estado do Pará para a criação do estado de Tapajós. No Congresso Nacional, não se discute apenas a criação do estado de Tapajós, mas também a criação do estado de Carajás, ambos criados a partir de territórios subtraídos do estado do Pará.

Ou seja: mais governadores, mais vice-governadores, mais secretários, mais tribunais regionais federais, mais tribunais estaduais, mais assembleias legislativas, mais seis senadores (considerando que serão três por estado), etc.

Quando é para criar mais despesas desnecessárias, esses caras são craques. Tem nada não. É só aprovar mais uma CPMF da vida que os otários contribuintes pagarão a conta.

3 comentários:

  1. Na verdade, seria mais 6 Senadores, mais 2 Presidentes de TJ, mais 2 Presidentes de TRE, mais 2 Chefes de MPE, etc...

    Quanto à bancada, na verdade, haveria uma cisão da ATUAL bancada paraense e da ATUAL bancada da Assembleia Legislativa do PA que, obviamente, é atrelada ao número de habitantes.

    Saindo da administração pública, a CBF teria que se virar a distribuição de vagas da Copa do Brasil e do Campeoanto Brasileiro-Série D. Nessa história, acho que a Copa do Brasil pode ter uns 128 clubes (com 3 fases daquele regulamento de 2 gols de diferença, suponho eu) e o Brasileiro-Série D para 48 ou 64 clubes.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Pierre. Eu não anotei esses dados sobre dois presidentes de TJ, dois presidentes de TRE e dois chefes de MPE. Mas tá tudo incluído naquele etc que coloquei no texto.

    Também não anotei o aumento de número de deputados federais e estaduais, porque não haverá aumento. Apenas uma cisão das atuais bancadas, que seriam distribuídas proporcionalmente às populações dos três estados. Só haveria aumento de despesas por conta da criação de duas novas presidências de Assembleias Legislativas.

    ResponderExcluir
  3. Exatamente: esqueci do aumento de presidentes de Assembleias Legislativas.

    ResponderExcluir