Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Nacionalismo e socialismo não combinam. O nazismo tentou combinar. Deu no que deu

Já vi muita bobagem escrita sobre o nazismo. A maior delas é a de que o nazismo era ao mesmo tempo nacionalista e socialista. Eu mesmo pensava que o regime nazista da Alemanha era socialista. Então vamos consertar juntos essa bagaça.

O nazismo não pode ser considerado um regime socialista, nem comunista. Não pode ser considerado comunista um Governo que permite a propriedade privada dos meios de produção. O nazismo era capitalista. Também não era socialista porque só quem mandava na Alemanha eram o Governo (Hitler, suas pessoas de confiança, mais os membros do Partido Nazista encastelados na máquina estatal) e os empresários fiéis ao regime. Os trabalhadores comuns estavam completamente afastados do poder.

O nazismo era um regime de extrema direita. Não tolerava dissidências, muito menos oposição.

O nazismo também não pode sequer ser considerado nacionalista, pois desprezava os conceitos da nacionalidade alemã. Só exaltava o conceito de raça ariana, teoricamente superior às demais e que deveria governar a Alemanha e, por tabela, os países sob influência desta. Mesmo os símbolos da antiga nacionalidade alemã foram suprimidos. A primeira providência de Hitler ao chegar ao seu gabinete de líder máximo do país foi mandar trocar todas as bandeiras da Alemanha pela bandeira do nazismo, aquela de três cores (vermelho, preto e branco) com a suástica no meio.

Há quem considere o nazismo alemão um regime nacionalista só porque procurava expandir territorialmente a Alemanha, por meio de anexações de outros países. Ora bolas. Isso não é nacionalismo. É expansionismo. O nacionalismo de verdade procura preservar o que é próprio da Nação e respeita as outras nações e países. É o mesmo motivo pelo qual quase nenhum governo da história americana pode ser considerado nacionalista (talvez só o do pioneiro George Washington, o da Independência), pois alguns foram expansionistas e quase todos foram governos imperialistas, assim como é o atual governo Obama.

O nazismo procurava juntar duas coisas inconciliáveis: o nacionalismo e o socialismo (nacionalismo+socialismo = nazismo). O socialismo é internacionalista por natureza. Vide a preocupação de qualquer governo socialista em querer ajudar “os povos de países mais pobres”, muitas vezes sem sequer ajudar plenamente a população do próprio país. O socialismo do nazismo era só discurso para ter o apoio dos “trabalhadores alemães pobres”, e somente os alemães. Desde que não fossem judeus, claro.

O nazismo não pode ser considerado um regime liberal. Pelo contrário: era um regime estatista. Só prosperavam os negócios privados autorizados pelo Estado. A famosa Volkswagen prosperou a partir do momento que teve apoio oficial do Governo, que queria que houvesse uma fábrica que fizesse carros mais baratos, "carros para o povo" (volks wagen é uma expressão em alemão, que significa "carros para o povo"). É evidente que os negócios ligados à indústria armamentista prosperaram a partir do momento em que o Governo começou a declarar guerra a um monte de países. Empresas que antes faziam outros artigos passaram a fabricar armas para o Governo. Oskar Schindler fabricava utensílios esmaltados, antes de começar a fabricar artigos para as Forças Armadas da Alemanha. Obviamente, empreendimentos de judeus eram proibidos.

Os governos de Charles de Gaulle eram de direita, mas não extremistas. Foram governos capitalistas, direitistas e estatistas ao mesmo tempo.

Já o atual governo da China é um exemplo de governo de extrema esquerda (porque reprime qualquer dissidência ou discordância), socialista (o partido único manda muito no Governo: se quer ter alguma influência no Governo, filie-se ao Partido), capitalista e estatista: só prosperam os negócios privados enquadrados no planejamento do Governo, inclusive os negócios dos empresários chineses filiados ao Partido Comunista. O próprio nome Partido Comunista é uma pálida lembrança de um partido que ainda é de esquerda, mas deixou o comunismo faz tempo.

Empresários que querem ficar cada vez mais ricos não tem que ser necessariamente direitistas, liberais ou neoliberais. Eles apóiam o regime que permitir que eles fiquem mais ricos. Os empresários chineses, por exemplo. Boa parte é esquerdista e estatista. Só que não comunistas, porque o comunismo lhes tomaria os meios de produção. E boa parte dos empresários da Venezuela são "socialistas bolivarianos", nas palavrar do próprio Hugo Chávez. Os regimes ajudam esses capitalistas chineses e venezuelanos...

Um comentário:

  1. lendo seu texto concordo com algumas coisas, mas discordo desta:

    "O nazismo não pode ser considerado um regime socialista, nem comunista. Não pode ser considerado comunista um Governo que permite a propriedade privada dos meios de produção. O nazismo era capitalista. Também não era socialista porque só quem mandava na Alemanha eram o Governo (Hitler, suas pessoas de confiança, mais os membros do Partido Nazista encastelados na máquina estatal) e os empresários fiéis ao regime. Os trabalhadores comuns estavam completamente afastados do poder."

    Primeiro comunismo marxista utópico é diferente de socialismo, ainda mais do socialismo moderno, e isto voce mesmo deve concordar. Existia um socialismo conservador , muito antes de surgir o marxismo em que o extremo socialismo dá vazão ao comunismo, que era adepto da propriedade privada embora com a dictomia do extremo intervencionismo de todo sistema socialista ou social-democrata (o regime nazista determinava por quem , quanto e a que preço operiam os meio produtivos). Dessa forma o nazismo era socialista, só não era da vertente marxista.

    Quanto a regra da "mais-valia" e a "luta de classes" do marxismo de empoderar os trabalhadores para definir regimes socialistas, também não conferem para retirar o nazismo da de um regime socialista, pois mais uma vez distoava o discurso da prática, assim como regimes socialista que empoderam uma elite do partido ou apoiadores dela como detentores da propriedade e do valor economico e poder politico-social. O poder da classe operaria era atribuído a classe racial ariaa e o apoderamento partidario e de simpatizante era igual aos regimes comunistas socialistas.

    Por fim uma moeda cunhada pelo regime nazi-fascista para comemorar o dia do trabalho, data importante pros socialistas comunistas: http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/files/2014/02/Moeda-nazi.jpg

    Ton Castilhos

    ResponderExcluir