Política, cultura e generalidades

quarta-feira, 2 de março de 2011

Tea Party global pode estar por trás do fim do seriado 'Aline'

Fonte: Patrícia Kogut.

Aline’ é tirada do ar pela Globo

“Aline” sairá do ar antes do fim da temporada (o último episódio será exibido esta semana). A notícia deixou a equipe do programa surpresa e arrasada. Três edições prontas foram para a gaveta e não serão apresentadas na TV Globo.


....E mais


A verdade — extraoficial — é que o namoro dos três protagonistas de “Aline” dividia opiniões nos bastidores desde a primeira temporada. Uma corrente mais conservadora não gostava mesmo do programa. É uma pena.


Finalmente


Bem produzido, “Aline” alcançou sucesso de crítica. E nunca perdeu para a concorrência em audiência. O programa estreou dia 3 de fevereiro com 16 pontos e seguiu com índices semelhantes (14, 15 e 14).

Essa aí é a mesma emissora que produziu o seriado Armação Ilimitada (excelente, por sinal), que tinha a jornalista Zelda Scott namorando dois rapazes (Juba e Lula)?

Essa aí é a mesma emissora que produziu a minissérie Dona Flor e seus Dois Maridos? E que já exibiu o filme homônimo?

Vai ver, Aline não continuará por que a franquia foi criada por um grande gaúcho da cultura underground paulista chamado Adão Iturrusgarai. Não foi criada por Jorge Amado, guru do mainstream cultural baiano.

Ou então é porque a onda do Tea Party chegou agora à Rede Globo de Televisão.

O engraçado é que esses caras do Tea Party global não são sequer conservadores. Criticam Aline e seus dois namorados, e não criticam o namoro gay de Pipo e de Rico. Ora bolas. Conservador que é conservador tem que criticar as duas coisas. Não criticar uma e deixar a outra passar. Portanto, não passam de falsos conservadores.

E a amiga Patrícia Kogut que se cuide. Estando ela n'O Globo, logo logo o Tea Party global pedirá a cabeça dela, também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário