Política, cultura e generalidades

quinta-feira, 3 de março de 2011

"Se o PT abandonou os trabalhadores, a culpa não é nossa. Manda o PT se foder. Estou de saco cheio deles já"

Estas são palavras do deputado federal Paulo Pereira (PDT-SP) em entrevista ao Terra Magazine, no dia 1º de março. Só que aqui neste blog optamos por não esconder os termos da fala do deputado. Aqui queremos ver o circo do Governo e da oposição de direita pegar fogo.

O normal é qualquer Governo cooptar parlamentares independentes ou oposicionistas para que entrem em partidos da base parlamentar do próprio Governo.

Agora, deputados saírem de partidos da base rumo a partidos independentes ou oposicionistas, isso é difícil. Mas acontece.

Aconteceu uma vez com aqueles deputados federais e senadores do PSOL, que saíram ou foram expulsos do PT após votarem contra a Deforma da Previdência do Governo Lula.

A Farsa Sindical, digo, Força Sindical nunca foi um modelo ideal de central sindical. Ela vai pra lá e para cá, ao sabor do vento.

Eu sempre fui contra que sindicalistas se candidatem a cargos eletivos. Porque, uma vez no parlamento ou no Governo, os partidos nos quais estão podem entrar no Governo e os interesses governamentais se chocarem diretamente com os interesses dos trabalhadores que militam no próprio sindicato ou central sindical de onde veio o sindicalista.

Não que eu seja contra que trabalhadores entrem para partidos. Mas há de se fazer uma coisa ou outra: ou o cara exerce cargos no sindicato ou central, ou vai disputar eleições e exercer cargos nos parlamentos ou nos governos.

A atuação político-partidária de Paulo Pereira (PDT-SP) sempre foi controversa.

Não deixa de ser um alento ver que ele tenha coragem de afrontar o partido do Governo, numa era em que a quase totalidade dos sindicalistas deste País de Tolos parecem ter vendido a alma (e talvez os corpos) para o governo lulo-dilmista.

Mas não precisava dos palavrões, deputado. Também tem que tomar vergonha e se arrepender de seu passado de alianças com as políticas demo-tucanas. Mas parece que o deputado está mesmo a fim de ir de mala e cuia para o PSDB. Mais precisamente para a ala alckmista ou aecista.

Texto de Rudá Ricci sobre o mesmo assunto

Nenhum comentário:

Postar um comentário