Política, cultura e generalidades

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Plateia do Oficina G3 vaia nome de deputado estadual evangélico

Pra vocês verem o quanto o público fã de rock autêntico é um público diferenciado, com mais sabedoria e consciência. Mesmo dentro do chamado mercado gospel. Ontem o grupo Oficina G3 fez uma apresentação ao vivo num evento no River Futebol Clube (bairro Piedade, cidade do Rio de Janeiro) com outras bandas de rock evangélicas. O Oficina era o último grupo a se apresentar.

Bem antes da apresentação do Oficina, o diácono evangélico que apresentava as bandas fez aquela indefectível sessão de agradecimentos, com citação dos patrocinadores e tudo mais. No meio, enfiou o nome do deputado estadual Marcos Soares (PDT-RJ), mais um desses deputados dito "evangélicos" que se elegem com o apoio da máquina eclesiástica oficial. No caso, da Igreja Internacional da Graça de Deus, liderada pelo missionário RR Soares. Não por acaso, pai do deputado. O PDT já foi um partido mais sério.

Pra quê o diácono fez isso? Pra levar uma sonora vaia do público do Oficina G3. Ele e o deputado queridinho de RR Soares. O diácono paspalhão ainda tentou emendar, dizendo coisas tipo "Isso é guerra. Mandamos um pra frente (de batalha). Se ele cai, mandamos dez no lugar. O próximo pode ser você".

Não, obrigado. O público do Oficina G3 (seja o evangélico ou o não evangélico) tem consciência, senhor diácono. Cada um tem a sua fé, e ter fé é algo legítimo e um direito inalienável. No entanto, esse mesmo público não aceita virar joguete de picaretagem gospel. Alguém pode até entrar pra política partidária, se eleger e fazer um bom trabalho, mas não se elegerá à custas de conchavos e currais eleitorais gospel.

A própria banda nunca foi de ficar só no discurso de "Senhor, Senhor". A banda também é consciente. Como mostram estas duas músicas, uma antiga, outra recente, sendo que Ver Acontecer foi tocada ontem no clube River.



Ver Acontecer

Oficina G3
Composição: Oficina G3

Você já viu
Os dentes brancos dos comerciais?
Falsos sorrisos, slogans, nada mais
O resultado que se esconde
Do útimo carnaval?
E o programa contra a fome
Da nossa capital?

Quando vamos começar a ver
Tudo o que não vemos na TV
Os homens do poder
Assumindo que não conseguem resolver?
Será que um dia vamos assumir
Que sem Deus não vamos conseguir?
Depende de mim e de você, depende de nós

Como filhos,

Temos muito pra entender
Temos onde aprender
Nós queremos...

Ver, ver o que temos que aprender
O que Deus quer
Ver, ver, ver acontecer
Uma mudança em nós

Você já viu
Onde escondem a vitória
Da guerra atual, que nos vendem nos jornais?
O fim do preconceito, impresso em cartazes
E a vitória da justiça, a violência nacional?



Indiferença

Oficina G3
Composição: Oficina G3

Um farol nas esquinas da cidade
A infância na marginalidade sem família nas ruas a viver
Mãos estendidas esperando receber

Vidros fechados, gestos mudos do outro lado.

Troca de olhares, indiferença, rejeição
Mais um número, nesse mundo cão!

Vidros fechados, gestos mudos do outro lado
Vidros fechados, gestos mudos do outro lado

Os vícios, o crack, constantes ilusões,
de vidas banidas em meio as multidões.
A lei do mais forte, é o que rola pra viver
Brincando com a morte sem ter nada a perder.

Vidros fechados, gestos mudos do outro lado.

Abra o vidro do seu coração, o amor gera atitudes
Comece a agir, chega de falar, só com palavras não se pode mudar

Nenhum comentário:

Postar um comentário