Política, cultura e generalidades

domingo, 5 de dezembro de 2010

Preguiça exterminou “Casseta & Planeta, Urgente!”

Resposta para Ale Rocha:

Não sei por quê os comentaristas do Yahoo estão dizendo que é só no Brasil que se faz lixo na TV aberta. Muito desse lixo vem de fora. O próprio Big Brother é uma fórmula importada da Holanda, com patente, nome e tudo. Outros programas tomam fórmulas importadas sem pagar patente. "Na TV, nada se cria, tudo se copia", já dizia o mestre Chacrinha.

O Japão (que divide com o Brasil a patente do novo sistema nipo-brasileiro de TV de alta definição) tem uma educação dita "elevada", mas os caras descarregam no lixo da TV aberta local os piores lixos que não podem fazer na sisuda vida diária. Uma TV japonesa chegou ao cúmulo de promover um concurso de "arremesso de leite pela vagina": uns carinhas colocavam leite (de verdade) na vagina das moçoilas já previamente despidas e elas tentavam arremessar o leite a longas distâncias com a vagina, como se esta fosse uma mangueira de alta pressão. Espero que a TV brasileira não chegue a esse ponto. Mas já chegou perto, com o sushi erótico do Faustão...

Continuam valendo também os comentários que fiz em postagem anterior.

Fonte: Yahoo Notícias.

Por Ale Rocha . 03.12.10 - 15h32


Preguiça exterminou “Casseta & Planeta, Urgente!


A Globo anunciou o fim do “Casseta & Planeta, Urgente!”. O humorístico não estará na grade da emissora em 2011. O cancelamento do programa é uma surpresa. Sim, eu sei que de engraçado ele não tinha nada há muito tempo. Contudo, “Casseta & Planeta, Urgente!” permanecia firme e forte nas terças-feiras da Globo nos últimos anos, mesmo sob fortes críticas.


O fim do humorístico é um claro aviso da Globo às demais produções da emissora: quem continuar sentado eternamente em berço esplêndido vai dançar. Nome consolidado e público cativo não garantem espaço.


A extinção do “Casseta & Planeta, Urgente!” pode ser um despertar da Globo para as novas regras do jogo impostas pelo crescimento da internet. A televisão perderá relevância para ela mesma enquanto se agarrar à tradição. As emissoras estão fadadas a uma profunda crise se não abandonarem os modelos datados e pré-fabricados. A internet ensinou que o usuário pode criar, interagir e recriar seus conteúdos. Ou a televisão aprende a ser ágil, ou vai sobreviver a duras penas, assim como acontece com o cinema, o rádio e a mídia impressa.


O “Casseta & Planeta, Urgente!” foi fruto da união dos responsáveis pela revista “Casseta Popular” e pelo tabloide “O Planeta Diário”, que no final dos anos 1980 faziam sucesso pelo humor anárquico. Em um país com marcas profundas da censura imposta por mais de duas décadas de ditadura militar, eles não tinha pudor em estampar manchetes como: “Depois de ir à China, Sarney irá à merda”.


Estrearam na Globo em 1991, no “Dóris para Maiores”. Atração mensal, atraía a audiência e agradava a crítica pela ousadia. Estavam para o humor da época como o “CQC”, o “Pânico na TV” e o “Furo MTV” estão para a televisão atual.


Em 1998, já com o nome “Casseta & Planeta, Urgente!”, o programa se tornou semanal e começou a flertar com o comodismo e a preguiça. Surgiram os quadros fixos, como as paródias de novelas e os personagens (Seu Creysson, Tabajara Futebol Clube, Mc Ferrow e Mc Deumal, Acarejete Love, entre outros).


Sem concorrência, o “Casseta & Planeta, Urgente!” deitou em berço esplêndido e virou uma espécie de “Zorral Total” ou “A Praça é Nossa” metido a descolado, já que a trupe de humoristas sempre conseguiu manter o prestígio dos tempos da “Casseta Popular” e de “O Planeta Diário”.


Com a chegada de uma nova leva de humorísticos à televisão, a falta de criatividade da atração global ficou exposta. Eles, que há quase duas décadas chegaram à TV de forma anárquica, estavam prestes a ser expulsos por outra turma com a mesma tática.


A Globo segurou por alguns anos, mas quando o Deus da televisão envia seu recado, é melhor acatar. Seu nome? Ibope. “Casseta & Planeta, Urgente!” amargou derrotas humilhantes de audiência, prejudicando a grade da emissora.


O maior golpe aconteceu no último dia 14 de setembro. “Passione” registrou média de 36 pontos, com picos de 41 – um ponto a menos do recorde registrado até então para a trama de Silvio de Abreu. Logo em seguida, começou a transmissão de “Casseta & Planeta, Urgente!”. Em apenas um minuto de exibição, o programa derrubou a audiência da Globo em 14 pontos. A queda vertiginosa prejudicou “A Cura”, série que – no dia – amargou uma derrota no Ibope para “Ribeirão do Tempo”, novela da Record. De atração que deveria fazer rir, “Casseta & Planeta, Urgente!” virou a piada.


Que a regra adotada para o humorístico não seja uma exceção. Está na hora da Globo olhar para outras produções que nada acrescentem a sua programação e que, atualmente, apenas se aproveitam do prestígio do passado. O prazo de validade do “Programa do Jô”, da “TV Xuxa” e da “Turma do Didi” já expirou há muito tempo. É melhor a emissora descartá-los, pois produto estragado mais dia, menos dia, acaba causando indigestão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário