Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Governador oportunista fica sem ninguém no Ministério Dilma

O governador reeleito Cabral Filho se aliou oportunisticamente ao Governo Lula. Ele não tem nada a ver com a nova pilhagem do Estado, promovida pela esquerda. Tem a ver, sim, a ver com a velha pilhagem de seu partido do coração: o PSDB, do qual mantém todos os preceitos neoliberais, como a terceirização do Estado.

Com a eleição dele mesmo (no caso, uma reeleição) e de Dilma Rousseff, ele esperava ser o governador aliado mais contemplado com cargos no ministério, a partir de 2011. Chegou a indicar seu secretário de saúde e defesa civil Sérgio Cortes (um desastre completo) para o Ministério da Saúde, mas sua afobação em falar da indicação antes do anúncio oficial fez Dilma voltar atrás.

Agora, Cabral Filho vê que Dilma terá quatro ministros com raízes políticas no estado do Rio de Janeiro. Mas nenhum indicado do governador otário. Este texto é ilustrado pela nota de Berenice Seabra na edição do Extra de ontem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário