Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

A editorialização das reportagens

Resposta para Mingau de Aço:

Talvez o grande problema da imprensa brasileira seja a imprensa literal, ou seja: a imprensa MESMO, em papel: jornais diários e revistas semanais. Nesses veículos se destila o mau jornalismo com toda a sua acidez, principalmente pela editorialização das reportagens.

Que não se deseje transformar a imprensa brasileira toda em progressista ou esquerdista a fórceps. Qualquer coisa diferente disso é desejo de revanche, vingança e um latente governismo com viés autoritário. Apenas deve-se cobrar que a imprensa nativa saiba separar a parte editorial das reportagens. Estas devem mostrar os fatos tais como são. Que deixem suas opiniões (seja de que tendência forem) para os editorialistas e comentaristas.

A imprensa internauta (portais, blogs, etc) é mais plural pela própria natureza da Internet, que nenhuma força política brasileira (seja governista ou oposicionista) teve cara de pau ou força para reprimir, ainda. A imprensa que depende de outorgas (rádio e TV aberta) é obrigada a maneirar na dose, até mesmo pela legislação vigente, dentro ou fora do período eleitoral. Mas bem que eles gostariam de seguir os passos da imprensa MESMO, até deixando de destacar repórteres para acompanharem a agenda presidencial diariamente.

Na terra onde a Constituição proíbe a Censura desde o século XIII, o presidente Barack Obama disse que trataria a rede Fox como oposição. No que fez justiça para os dois lados: a Fox tem liberdade para dizer o que quiser, mas tem que ouvir o que não quer. A verdadeira liberdade deve ser para todos, ou para ninguém.

Esse tipo de coisa jamais aconteceria no Brasil. Aqui um lado taca as pedras (ou bolinhas de papel, ou fitas crepe, depende de qual PiG se acompanhe: o Golpista ou o Governista), o outro apenas sofre o impacto, só fala para seus iguais e fica tudo elas por elas.

Há de se anotar também o papelão da mídia governista, como o grupo Record-IURD e a Carta Capital, citada no blog. Aliás, aguardo o dia em que o prestigiado blog baterá no grupo Record-IURD e na Carta Capital tanto quanto bate no quarteto Globo-Abril-Folha-Estadão. Uns como os outros editorializam as reportagens, sendo igualmente danosos aos usuários e à sociedade.

Mas acho que estou sendo tolo demais em pedir alguma mudança no blog neste sentido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário