Política, cultura e generalidades

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Detalhes tão pequenos... Do azul bebê ao verde e ao amarelo vômito

Embora eu esteja longe de ser um busólogo doente como um monte de companheiros de jornada, embarquei no combate aos ônibus fardados do prefeito Eduardo Paes. O Manifesto contra a uniformização visual dos ônibus do Rio de Janeiro conta como apoio incondicional deste blog.

Hoje mesmo, vi um desses ônibus, naquela linha que roda metade da Zona Norte Carioca: a 908 (Bonsucesso-Guadalupe), da Vila Real. Daqui a algum tempo, o forasteiro de passagem ou recém-chegado à cidade e que quiser reclamar do serviço só descobrirá que a linha é operada pela Vila Real depois de ver o nome da empresa estampado apenas nas duas laterais do veículo, logo abaixo do nome (em letras maiores) do consórcio Internorte.

Pelas fotos, o ônibus parecia branco. Que nada. É cinza gelo. E a padronização consegue ser pior que a paulistana. Se na pauliceia desvairada a frente inteira e o teto dos ônibus leva a cor da região da cidade de onde ele parte, no Rio de Janeiro só a grade abaixo do parachoque e alguns detalhes nas laterais e na traseira trarão detalhes alusivos à cada região, operada por apenas um consórcio de empresas.

E as cores são as mais esdrúxulas possíveis: do azul bebê ao verde e ao amarelo vômito. Depois o prefeitinho ainda fala no mau gosto dos busólogos...

Gosto é gosto. Cada um tem o seu. Eu mesmo não acho graça em uma certa escola de samba desfilar todo ano de verde e rosa, mas não é por isso que vou fazer campanha para padronizar os desfiles das escolas de samba. Mas vai que o prefeito resolve mandar todas as escolas desfilarem de azul e branco, não por acaso as cores oficiais da cidade e também da escola preferida do prefeito...

Carioca otário que vota no Eduardo Paes e em qualquer governista ou peemedebista tem mais é que tomar na tarraqueta.

Sem reclamar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário