Política, cultura e generalidades

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Bope investiga denúncia de que funcionários do PAC foram obrigados a ajudar fuga de bandidos

O que a mãe do PAC diz disso?

Fonte: O Globo.

Ana Claúdia Costa


RIO - O coordenador de Comunicação Social da Polícia Militar, coronel Lima Castro, disse nesta segunda-feira que o Bope está checando informações de que traficantes teriam obrigado funcionários do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Complexo do Alemão a construir galerias para fuga. O coronel afirmou que essa informação chegou ao Centro de Controle de Operação, mas ainda tem que ser confirmada.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Cadê os outros bandidos do Complexo do Alemão e da Vila Cruzeiro?

Ok, as polícias militar, civil e federal, mais as Forças Armadas ocuparam a Vila Cruzeiro e o Complexo do Alemão. Beleza.

Agora, me digam onde estão as centenas de bandidos que não se renderam nem foram presos. Tomaram Doril?

Desconfie-se de qualquer ação que envolva os governos federal e/ou estadual. Por mais valorosos que sejam os bravos policiais e militares, os políticos no poder estão sempre aprontando alguma farsa para iludir a população e fazer mais um showzinho para a TV.

P.S: Hoje de manhã já tem otoridade dizendo que os bandidos da Vila Cruzeiro e do Alemão fugiram mesmo. E que as forças de segurança pública ocuparão também outras áreas, como Rocinha e Vidigal.

Só que na Rocinha e no Vidigal não encontrarão os bandidos fugidos da Vila Cruzeiro e do Alemão. Encontrarão bandidos de facções rivais.

Até ocuparem todas as áreas dominadas pelas três facçções do tráfico e pelas milícias, haja pique-esconde de polícia e bandido. Tudo neste País de Tolos é levado na base da brincadeira.

sábado, 27 de novembro de 2010

Com chegada à classe C, Globo News adota a mesma visão de Música de Cabresto Brasileira da TV Globo


Resposta para O Kylocyclo:

Com a expansão da TV por assinatura para a classe C, A TV Globo tratou de impor sua visão da Música de Cabresto Brasileira para seu canal de notícias. Se a Globo News ainda estivesse disponível apenas para as classes A e B, talvez ainda estivesse falando da MPB e da música caipira apenas por seus artistas autênticos.

A facção golpista da grande imprensa acha que a MPB deva ser prestigiada apenas diante da clientela das classes A e B, que não representam ameaça alguma para a mídia golpista. Para as classes C, D e E, querem destinar apenas a Música de Cabresto Brasileira, como uma forma de domesticação.

O fim do programa Casseta & Planeta, Urgente

Resposta para Patrícia Kogut:

O programa estava decadente e sem graça desde antes da morte do Bussunda. Estava se resumindo a propagandas (disfarçadas de sátiras) da programação da própria Globo (quase um Vídeo Show 2ª Edição) e a divulgação da Música de Cabresto Brasileira. Sem contar que o programa tinha se tornado uma linha auxiliar da oposição de direita. Enquanto FHC era o "Viajando Henrique Cardoso" e Itamar Franco era o "boa praça", Lula (e agora) Dilma são ridicularizados ao extremo. Fruto talvez da influência do mal humorado Marcelo Madureira, membro da ONG ultradireitista Instituto Millenium, e que foi no Manhattan Connection do GNT dizer que Lula é um picareta. Ao lado de Reinaldo Azevedo, outro representante da ultradireita na mídia de massa.

Correção: Marcelo Madureira não foi no Manhattan Connection com Reinaldo Azevedo. Marcelo Madureira foi com Diogo Mainardi. Também representante da ultradireita, como os outros dois.

Fonte: O Kylocyclo.

Casseta & Planeta, Urgente vai acabar
ZEZÉ DI CAMARGO & LUCIANO NO CASSETA & PLANETA - Humorístico era vitrine para ídolos do brega-popularesco protegidos pelo PiG. Só os blogueiros-patolinos e os jornalistas-paçocas não sabem disso.


O programa Casseta & Planeta, Urgente, da Rede Globo de Televisão, sairá do ar depois de 20 anos. O programa termina com o encerramento da temporada atual, em dezembro.


Nesse caminho todo, o programa mudou, um de seus integrantes, o carismático Bussunda, faleceu durante a Copa de 2006, e nos últimos anos a conduta do grupo voltou-se ideologicamente para a direita política.


Muita gente já reclamava de que o programa não estava tendo o mesmo pique de antes. E nem era pelo fato de Bussunda ter falecido, até porque, já naquela época, o programa já estava passando por um período de desgaste. É por causa de vários fatores, como o próprio padrão comercial da programação da Globo, que influiu negativamente no grupo que outrora havia marcado com seu humor de roupagem jornalística e televisiva.


A situação dos cassetas foi tal que um de seus integrantes, Marcelo Madureira, simplesmente se esqueceu que era comediante e, no evento recente do Instituto Millenium, no qual o casseta é uma espécie de membro informal, ele simplesmente se portou de maneira muito mal-humorada e ranzinza, sem contar sequer uma piada. Por comparação, no Encontro de Blogueiros Progressistas, de plano ideológico oposto, mostrou o jornalista de economia Luís Nassif, que já rompe o estigma de sisudez com sua simpatia e linguagem didática, tocando samba e chorinho com muita dedicação e amor à música.


Marcelo Madureira teve ainda o agravante de, ao lado do reacionário colonista Diogo Mainardi, de Veja, chamar Lula de "vagabundo", num comentário que até teve suas tiradas de humor, mas de um humor malfeito, de piadas que são mais cínicas do que engraçadas.


Ultimamente, o programa dos Cassetas também serviu de vitrine dos ídolos brega-popularescos - com ênfase na axé-music e no breganejo - que também visitam o Domingão do Faustão, mas que hoje sofrem o incômodo de estarem vinculados à mídia golpista que os acolheu e os fez crescerem, já que a própria mídia golpista começa a ser desacreditada, além de não convencer alguns jornalistas falarem bem desses mesmos ídolos na mídia esquerdista.


Por isso, os cassetas, que continuarão unidos e pensarão num novo programa para a Globo, não farão muita falta. Eu mesmo não via o programa há várias semanas, depois da grosseria de Marcelo Madureira, que irritou até o responsável da maior comunidade a favor do Casseta & Planeta no Orkut. Mas, depois de dezembro, Marcelo Madureira terá mais tempo para falar mal do que ele conhece como "Dilma Roskoff" nas palestras do Millenium.


Até porque o mercado de humor anda e já existe uma nova geração como Marcelo Adnet (por enquanto mal-aproveitado no Comédia MTV, mas o cara é muito bom) e Bruno Mazzeo, que fazem os cassetas parecerem retrógrados como a própria velha mídia que o "bombeiro guerreiro" defende desesperadamente.

Postado por A. F. às 18:34

Fonte: Patrícia Kogut.

Programa 'Casseta & Planeta' acabará em dezembro. Grupo continua


No ar na Globo desde 1992, o “Casseta & Planeta, urgente!” sairá da grade da emissora em dezembro, ao fim desta temporada. Os humoristas pediram à direção da Globo para pensar um novo projeto, a princípio para 2011. É o fim do programa, mas o grupo continua. Seus integrantes são amigos desde a adolescência e querem continuar trabalhando juntos.


A decisão foi comunicada agora à tarde à equipe técnica da atração.


O grupo apresentará um novo projeto coletivo. Mas, enquanto isso, nada impede que os humoristas apareçam individualmente na grade da Globo (como aconteceu na série de Marcelo Madureira para o “Fantástico”).

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Empresa pode ser obrigada a dar atendimento pessoal

Esses call centers são um saco. Principalmente aqueles onde os atendentes são precedidos por robôs (atendentes eletrônicos).

Fonte: Congresso em Foco.

24/11/2010 - 13h30


Renata Camargo


A Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT) do Senado aprovou nesta quarta-feira (24) um projeto de lei que obriga as empresas a darem atendimento pessoal aos clientes. De acordo com a proposta, mesmo aquelas que mantêm atendimento por call centers ou pela internet terão de oferecer, obrigatoriamente, atendimento presencial para os consumidores.


Aprovado na forma do substitutivo do senador Sérgio Zambiasi (PTB-RS), o projeto traz também outras mudanças para tornar mais eficiente o atendimento aos consumidores. Além de obrigar o atendimento pessoal, a proposta também prevê que as empresas deverão fornecer acesso imediato ao atendimento personalizado nos serviços de call center. Em no máximo três minutos, o consumidor deverá ter acesso a um atendente.

Leia a íntegra do relatório aprovado

As empresas também serão obrigadas a ter no atendimento telefônico a opção de agendamento de atendimento personalizado, a ser feito no prazo de 24 horas. O projeto também obriga os fornecedores de serviços a indicar no call center o nome do atendente e o número de registro ou protocolo do atendimento.


A proposta garante ainda ao consumidor o direito de rescindir o contrato por qualquer meio, inclusive pela internet ou por carta registrada. O acolhimento do pedido de cancelamento deverá ser feito em até dois dias úteis. O projeto estabelece também o prazo de 48 horas para o fornecedor responder a qualquer solicitação feita pelo cliente.


“É salutar a imposição, a todo e qualquer fornecedor, do custo de arcar com um sistema próprio de atendimento pessoal a consumidores”, disse Zambiasi em seu relatório. “É frequentemente desrespeitosa a forma com que muitas empresas prestadoras de serviços têm tratado seus usuários. Os call centers dessas empresas, muitas vezes o único meio disponibilizado para que o consumidor solicite o cancelamento do contrato, têm deixado muito a desejar”, justificou.


A matéria já foi aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado e segue agora para a Comissão de Meio Ambiente e Defesa do Consumidor. A proposta, de autoria do deputado Wellington Fagundes (PR-MT), ainda precisa voltar para apreciação na Câmara antes de ser enviada a sanção presidencial.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

DEM: Um partido moribundo

Esse DEM é uma vergonha. Não faria falta.

O que faz falta neste país são dois partidos: um de direita assumida e conservador assumido, e outro nacionalista, que ao meu ver não poderá ser nem socialista, nem comunista, nem direitista nem neoliberal.

Fonte: Blog do Luis Alberto.

Um partido moribundo

Olavo de Carvalho | 24 Novembro 2010

O DEM é hoje um partido moribundo. Seus próprios líderes assim o proclamam e se dizem muito preocupados, mas duvido que, com uma ou duas exceções, tenham alguma idéia clara das causas que os levaram a essa situação deprimente, bem como das saídas possíveis que ainda lhes restam. Temo que a solução que buscam venha a ser uma repetição - a última - de erros fatais já bem comprovados.


O primeiro deles foi acreditar que um partido pode viver de alianças de ocasião antes de ter uma identidade bem definida e uma estratégia abrangente que o habilitem a servir-se das alianças para seus próprios fins, em vez de servir a elas em vão como de fato aconteceu.


O PT logrou articular um belo sistema de alianças precisamente porque durante décadas se entrincheirou na sua modesta fatia do eleitorado, cultivando-a e reforçando-a por todos os meios até assegurar-se de que seus votantes já não eram mais simples eleitores e sim fiéis devotos, unidos ao partido por laços emocionais e culturais duradouros, difíceis de romper. Ao entrar em alianças, veio a fazê-lo portanto na condição de elemento estável, firme e seguro de si, que se associa a entidades instáveis justamente para explorar sua instabilidade em proveito próprio. Alianças podem somar votos ocasionalmente, mas o que faz a força de um partido não é o número, e sim a fidelidade dos seus eleitores. Ela é a base das alianças vantajosas. O PT entendeu isso faz tempo, e agiu em conseqüência.


O DEM fez exatamente o contrário. Sentindo-se debilitado, buscou reforçar-se por meio de alianças, sacrificando num ritual masoquista de autodissolução o pouco que lhe restava de identidade própria. Fez isso, decerto, porque media pelo número de votos e portanto pelo número de cargos a força partidária, sua e alheia, esquecendo que antes de acumular quantidade é preciso ser alguma coisa, ter alguma substância identificável, representar uma força cultural e histórica na qual os eleitores possam enxergar, de algum modo, a figura do seu próprio destino.


No preciso momento em que consentiu em rebaixar-se à condição de instrumento auxiliar de um partido maior, o então PFL se encontrava tão incerto quanto à sua identidade que acabou resolvendo mudar de nome, movido pela esperança mágica de que, na falta de substância, a palavra gerasse a coisa.


E o nome escolhido não poderia ter sido pior. Ele expressava, declaradamente, o desejo que a agremiação sentia de tomar como modelo o Partido Democrata americano. Esse desejo, por sua vez, evidenciava o quanto os pefelistas se haviam deixado intoxicar e manipular às tontas pela "revolução cultural" gramsciana, cedendo às regras do jogo ditadas pelo adversário, copiando figurinos e cacoetes esquerdistas sem nem mesmo ter muita consciência de que eram esquerdistas, ou pelo menos sem examinar as conseqüências dessa escolha, já tão abundantemente ilustradas por experiências catastróficas em outros países. Conseqüências que podem ser resumidas numa regra simples: se você imita o discurso e as poses do adversário, na ilusão de parasitar seus votos, pode até ganhar com isso alguma vantagem eleitoral imediata, mas já deu a ele a vitória ideológica e cultural que acabará fatalmente por prevalecer mais dia menos dia.


Um partido que não tem ou pelo menos não projeta sobre os eleitores uma imagem ideológica e moral nítida não tem, decerto, nada a ganhar com trejeitos miméticos que tornam seu perfil ainda mais nebuloso e indeciso.


Quando falo disso aos meus amigos americanos, eles riem: "Quer dizer que a direita do seu país tem por modelo a esquerda americana?" Baixo a cabeça e pergunto a mim mesmo quantos dirigentes do DEM sabem o que é o Partido Democrata hoje em dia. É o partido de George Soros, de Fidel Castro, de Hugo Chávez, dos potentados árabes que compram a peso de ouro a proteção ao terrorismo internacional. Quantos, no DEM, têm a consciência de que esse já não é o partido de Harry Truman e de John Kennedy? Como nada da transformação radical sofrida pelo Partido Democrata nos últimos quarenta anos saiu jamais na grande mídia brasileira, embora nos EUA seja o assunto de milhares de livros que no Brasil ninguém leu, provavelmente a ignorância a respeito é, entre esses cavalheiros, total e sólida. Copiando um modelo morto, só podiam mesmo acabar na UTI.


O DEM ainda pode salvar-se? Pode. Mas isto é assunto para um próximo artigo.


Que reproduzirei aqui também.

Postado por Luis Alberto Pereira às 17:10

Ataques de traficantes preocupam agentes e operadores de turismo no Rio

Fonte: O Globo.

Publicada em 25/11/2010 às 15h39m
Luisa Valle


RIO - Os ataques de criminosos em diversos pontos do Rio vêm preocupando o setor do turismo no Rio de Janeiro. Por enquanto ainda é cedo para dizer se houve algum prejuízo, mas o clima é de tensão entre agentes e operadores de turismo na cidade.


- Quem já comprou passagem para cá com antecedência não vai cancelar agora. A preocupação é como isso vai afetar nosso mercado no futuro, com eventuais cancelamentos de viagens de lazer e até mesmo de eventos - alerta Vera Joppert, vice presidente da Brazilian Incoming Travel Organization (Bito), que acrescenta:


- Isso é ruim, pois o Brasil já é um destino caro. Estamos de olho também na imprensa estrangeira, e como ela vai tratar do assunto, pois isso afeta muito.


Em comunicado à imprensa, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro (ABIH-RJ), Alfredo Lopes, diz não acreditar que o turismo na cidade deve sofrer em datas como o Réveillon e o carnaval, principalmente em relação ao mercado internacional:


"O mercado internacional fez suas reservas com antecedência e provavelmente não teremos cancelamentos imediatos. Já o turista nacional está começando agora a decidir seu destino para essas datas e a situação tende a ser normalizada com a ação enérgica da polícia".


No entanto, Lopes lembra que se os ataques continuarem é possível sim que o turismo sofra um impacto negativo, não apenas dentro da cidade mas em cidades no interior do estado.


"O viajante fica preocupado de pegar a estrada, especialmente à noite, e é comum nas sextas-feiras e domingos uma concentração do fluxo de entrada e saída da cidade", diz o comunicado da ABIH-RJ


Já a Secretaria Especial de Turismo do Rio de Janeiro (Riotur) também se manifestou sobre o assunto através de um comunicado pois, de acordo com o órgão, ainda está cedo para uma avaliação sobre os impactos no setor.


"O importante é que o turista saiba que há uma intensa e bem-planejada política de segurança, alcançando resultados positivos para o Rio. Esses recentes episódios de arrastões são um resultado desse processo de transformação que a cidade vem vivendo".


Também através de nota oficial, a Associação Brasileira de Agências de Viagens do Rio de Janeiro (ABAV-RJ) lamenta a onda de violência dos últimos dias. Segundo o comunicado "a demanda por pacotes turísticos para o Rio de Janeiro vem se mantendo aquecida e, até o momento, não registrou redução nas vendas pelas agências de viagens. A entidade espera que os acontecimentos sejam superados rapidamente pelas autoridades".

Sugestão para o Governo do Estado do Rio de Janeiro: declarar guerra civil

Até agora, o governador Sérgio Cabral Filho tem negado veementemente que haja uma guerra civil no estado.

Pois a minha sugestão é que o governador faça exatamente o contrário: declare guerra civil contra o crime. Numa guerra, a primeira coisa a morrer é a democracia. Numa guerra, não há oposição: ela é cooptada ou aniquilada. Tudo em prol do combate ao inimigo em comum da sociedade.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o Primeiro Ministro britânico Winston Churchill governou sem oposição. Seu governo foi uma coalizão de seu Partido Conservador com o rival Partido Trabalhista. No Brasil, o presidente Getúlio Vargas passou o Estado Novo inteiro com a oposição aniquilada. Getúlio foi deposto apenas depois da guerra. E pelos militares, em alto prestígio depois de terem pessoalmente vencido a própria guerra, ao contrário de seu Comandante-em-Chefe.

Sérgio Cabral Filho tem a oportunidade de silenciar a oposição. Qualquer um que faça críticas ao Governo do Estado seja considerado um suspeito. Pode até mandar a Polícia Civil investigar a suposta ligação dos oposicionistas com as facções do crime organizado. Ou pode cooptar a oposição, e depois dançar o Créu lado a lado com o oposicionista e colega fanqueiro Marcelo Freixo.



P.S: Todo este texto é puro sarcasmo.

Ah, se fosse em São Paulo...

O Governo Lula lamenta que a guerra civil no Estado do Rio de Janeiro não esteja acontecendo em São Paulo. Porque não dá para botar a culpa no PSDB nem no PCC.

Band News FM faz propaganda do senador Lindberg Farias depois da eleição

Já seria o caso de retirar a Band News FM (e, quem sabe, o Grupo Bandeirantes inteiro) do rol do Partido da Imprensa Golpista (habitado por Globo, Abril, Folha, Estadão, RBS e TV Cultura) e colocar a Band no rol do Partido da Imprensa Governista, juntamente com Super Rádio Tupi, Carta Capital, Caros Amigos, EBC, o grupo Record-IURD, os jornaizinhos sindicais e os blogs das dondocas progressistas.

Ontem de manhã, pouco depois de 8h, a Band News FM 94,9 do Rio de Janeiro tocou no intervalo uma propaganda eleitoral do então candidato a senador (hoje eleito) Lindberg Farias (PT-RJ), em que a hoje presidente eleita Dilma Rousseff também pede votos para o ex-prefeito de Nova Iguaçu, ex-deputado federal e ex-presidente da UNE.

Só que a campanha eleitoral acabou em 29 de outubro, gente! Tocar propaganda eleitoral de político agora é propaganda eleitoral antecipada, se não for uma daquelas propagandas de partido autorizadas pelo TSE.

E, convenhamos, propaganda ilegal de político governista é a maior prova de subserviência governamental que uma rádio pode mostrar.

E ainda tem gente que defende rádio "AM no FM".

Update: Comentários

Fonte: Comunidade Dial AM e FM do Rio de Janeiro:

Ernesto (J.C) Costa Pina

Marcelo
Aconteceu isso por falha do gerenciamento dos aquivos de audio na hora do comercial, concerteza foi um erro operacional, tanto é que o dito comercial que vc citou não amis apareceu na programação. Não vamos julgar uma empresa por uma cagada que acontece a todos...isso é pesnar de forma xiita. Seja mais coerente...

Marcelo Delfino

Podemos até dar um desconto para a Band News e fingir que não houve nada. Mas será que o TRE pensará o mesmo? Ou será que se eles conferirem o dedo duro da Band News não aplicarão uma multa na rádio?

Com relação aos arquivos de áudio, existe uma atitude simples: apagar, verbo substituído por muitos usuários de informática por "deletar". Custava mandar alguém tirar todas as propagandas eleitorais dos HDs da rádio, guardando tudo apenas em mídias off line?

E mais: será que ninguém do controle mestre estava ouvindo a própria rádio, pra tirar a propaganda do ar no meio? Eu ouvi a propaganda toda, e ela foi ao ar até o fim.



Eu estou sintonizando demais a Band News ou essas falhas operacionais (ou intencionais) são rotineiras?

Ernesto (J.C) Costa Pina


Marcelo, isso acontence muito... aidna mais quando vc não exclui os arquivos ja "vencidos" do play list. Mas te afirmo com certeza que foi erro. E se o TRE averiguar, coisa que acho muito dificil, vai observar isso. Agora ficar batendo em gato morto, não é legal né...??

Marcelo Delfino

OK. O assunto Band News/Lindberg fica por aqui. Mas mereceu registro.

Texto escrito originalmente no blog Preserve o Rádio AM.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Petistas e tucanos sucateam TVs públicas

É uma vergonha o que acontece há anos com as duas maiores TVs públicas (???) do Brasil: a TV Brasil do Rio de Janeiro, pertencente à EBC, do Governo Federal, e a TV Cultura de São Paulo, da Fundação Padre Anchieta, do Governo do Estado de São Paulo.

Como quase nenhuma dessas emissoras públicas (bem como as rádios e as demais TVs públicas) é gerenciada pela sociedade como um todo, mas tão somente pelos governos de plantão, as duas emissoras serviram, ao longo da história, para experimentos de politicagem da pior espécie.

Na Era FHC, os tucanos tiraram sua casquinha da então TVE Brasil (atual TV Brasil), não deixando espaço para contestações. Coisa semelhante acontece agora na Era do PT. No quatriênio 2003-2006, a então senadora (hoje vereadora) Heloísa Helena deu uma entrevista no Roda Viva, mas a exibição do programa foi cancelada na TVE Brasil, já dominada pelos petistas.

Em São Paulo, após 16 anos de governo oficialmente tucano (Mário Covas, Geraldo Alckmin, José Serra e em breve Alckmin de novo), fora os governos do também tucano Franco Montoro e do aliado Orestes Quércia, a TV Cultura ficou com a cara e a voz do tucanato.

Agora, tanto os tucanos como os petistas estão sucateando as duas emissoras.

O governo tucano está mandando embora funcionários da TV Cultura, terceirizando a produção de programas e acabando com o jornalismo da emissora. O Jornal da Cultura virou praticamente uma palestra radiofônica com imagem: poucas reportagens de rua. A produção de programas memoráveis como o Castelo Rá-Tim-Bum foi reduzida. Esses fatos motivaram a criação do movimento Salve a Rádio e TV Cultura, que conta com apoio deste blog.

No Rio, os petistas estão tirando a sua casquinha, depois das casquinhas dos tucanos. A exemplo da TV Cultura, a programação da TV Brasil também está sendo terceirizada para produtoras alinhadas com a ideologia do PT. É realmente muito bonito falar em democratização dos meios de comunicação quando somente os amigos do Rei (e, agora, da Rainha) têm voz e vez na programação.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Francisco Silva responde a O Globo

A reportagem de O Globo foi repercutida aqui. Nada mais justo que repercutamos também a resposta de Francisco Silva.

Fonte: Melodia FM.

Rio de Janeiro, 22 de novembro de 2010


NOTA DE ESCLARECIMENTO


A Rádio MELODIA, por intermédio de seu diretor presidente, Francisco Silva, vem a público esclarecer o que se segue, em razão de matéria jornalística de O Globo, edição de domingo:


1. O número do rádio nextel divulgado na referida matéria, é de utilização da Rádio MELODIA, assim como quase uma centena de outros números que são usados por diversas pessoas, funcionários ou não da Rádio, em função de necessidades diversas, sempre autorizadas pela Rádio, mas de difícil identificação de usuário por aparelho em determinado momento, já que jamais mantivemos esse controle.


2. O Senhor Ricardo Magro, já foi meu advogado em São Paulo, e além de conhecê-lo, mantive com ele vários diálogos, quer pessoalmente no Rio de Janeiro, São Paulo e até mesmo em Brasília, inclusive em diversas ocasiões por telefone ou até mesmo pelo rádio nextel sobre assuntos diversos, mas sem relação alguma com qualquer órgão federal, estadual e/ou municipal e, certamente, em período em que não era mais deputado federal, já que meu último mandato se encerrou em janeiro de 2003, sem prejuízo da minha prerrogativa de como ex deputado federal, poder, sempre, freqüentar quaisquer dependências do Congresso Nacional, privativa de parlamentar.


3. Além do mais, o diálogo relatado e atribuído a um rádio nextel pertencente á Rádio MELODIA, trata única e exclusivamente de assunto de duas empresas privadas, não caracterizando nenhum assunto envolvendo qualquer órgão público.


4. Esclareço mais, que não tenho, como nunca tive, envolvimento com qualquer atividade relacionada à matéria jornalística em comento, desconhecendo totalmente, qualquer prática do Senhor Ricardo Magro, que possa, por ventura, afrontar alguma legislação vigente no país.


5. Causa-me muita estranheza, que se existe um inquérito policial apuratório em andamento, em que a gravação de uma conversa mantida por um rádio nextel pertencente ao pool de quase uma centena de aparelhos utilizados pela Rádio MELODIA, tenha sido obtida, e via de conseqüência, não se tenha, primeiramente, solicitado qualquer esclarecimento que seja sobre o assunto, privilegiando-me com um foro de parlamentar federal, quando não mais exerço esse prestigioso mandato desde 2003, tendo desde aquela data, o foro comum como qualquer outro cidadão brasileiro.


6. A Rádio MELODIA, tomará as medidas judiciais cabíveis que o caso exige, sendo certo, que como sócio cotista majoritário e administrador da Rádio, estou, como sempre estive, à disposição das autoridades investidas, para os esclarecimentos que entenderem necessários.


Por: Francisco Silva, ex Deputado Federal e diretor presidente da Rádio Melodia

Ato falho: Lucia Hippolito não falaria o nome da Melodia FM, mas falou

Ontem de manhã, a comentarista política Lucia Hippolito (da CBN) veio com mais uma das suas. Ela omitiria o nome da rádio evangélica do Rio de Janeiro de onde um deputado federal usava o telefone para comandar um esquema de fraude na venda de combustíveis. Mas, lá pelas tantas, o ato falho: Lucia mencionou a rádio: Melodia FM.

Assim fica difícil, Lucia Hippolito. A vontade de tirar uma casquinha do escândalo e bater no Governo foi maior que a vontade de não mencionar outra rádio na CBN.

Texto publicado originalmente no blog Preserve o Rádio AM.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Apóstolo Estevam poderia entrar para a confraria dos Blogueiros Progressistas

Pelo menos é o que deduzo ao ver que, entre as comunidades relacionadas à comunidade Renascer até morrer!!!!!! estão as indefectíveis comunidades Leu na Veja? Azar o seu! e Rede Globo: MANIPULADORA.

Já pensaram? Apóstolo Estevam Hernandes naquelas reuniões dos Blogueiros Progressistas, juntamente com Paulo Henrique Amorim, Luis Nassif, Brizola Neto, Altamiro Borges, Raphael Tsavkko Garcia e Zé Carlos?

Se basta combater a Veja, a Globo e o resto do Partido da Imprensa Golpista para eles considerarem alguém um progressista, Apóstolo Estevam e seus Blue Caps podem entrar para a confraria.

O problema é se o Apóstolo Estevam levar o Renascer Praise para as reuniões dos Blogueiros Progressistas. Não vai sobrar tempo para as apresentações de Luis Nassif.

Se os amigos não quiserem ver o grupo de Blogueiros Progressistas avacalhado, têm que demonstrar independência tanto da imprensa golpista como de certos picaretas que se julgam perseguidos pela mesma imprensa golpista. Coisa que os Blogueiros Progressistas não tem feito. Tem que baixar borduna em todos eles. Baixar borduna em alguns picaretas e poupar outros picaretas mostra que o interesse de vocês é apenas defender uma ideologia de esquerda, e que a existência de uma imprensa apátrida serve para animar a militância a reagir, não interessando assim o fim do PiG.

domingo, 21 de novembro de 2010

Parlamentar fluminense usava telefone da Rádio Melodia para fraudar venda de combustíveis

Desconfio quem seja. Mas prefiro esperar o noticiário, a polícia ou o Ministério Público revelar, antes de comentar.

Afinal, "o nosso povo merece respeito".

Alguns leitores maliciosos de O Globo arriscaram citar o nome de Arolde de Oliveira (DEM-RJ). Mas esse é dono de outra rádio evangélica, a 93 FM, não da Rádio Melodia. Esses leitores querem é tentar envolver a oposição nessa tramóia governista.

O tempo dos DEMos fazerem tramóias no Governo acabou. Eles já tiveram a vez deles.

Fonte: O Globo.

Investigação aponta envolvimento de 'deputado ou senador' com esquema na Refinaria de Manguinhos


Publicada em 20/11/2010 às 23h38m
Chico Otavio e Maiá Menezes


RIO - Quem usava o telefone Nextel 7812-7026, ID 55*8375*19, para falar com o empresário Ricardo Andrade Magro? A resposta, agora a cargo do Supremo Tribunal Federal (STF), é a chave de uma investigação que já produziu 40 volumes de dados sobre fraudes na venda de combustíveis no Estado do Rio. A Polícia Civil concluiu que a linha telefônica foi usada por "um deputado federal ou senador da República", que comandava de Brasília, nos contatos com Magro (acusado de ser um dos responsáveis pelo esquema de evasão fiscal), as operações ilegais da suposta quadrilha.


Da linha, só se sabe até o momento que pertence à Rádio Melodia do Rio. A máfia contava com aliados em outros setores públicos para blindar o esquema de fraude. O inquérito também levanta suspeitas sobre o envolvimento de um ministro de estado, de seu filho e de funcionários da Agência Nacional do Petróleo (ANP), acusados na investigação de fornecer informações privilegiadas para prevenir a quadrilha de eventuais fiscalizações na Refinaria de Manguinhos, a base operacional do grupo.


Adquirida pelo grupo Andrade Magro em 2008, Manguinhos só se manteve refinaria no nome. Na prática, passou a funcionar como um centro distribuidor de combustível. Para aplicar o golpe, de acordo com as investigações, a empresa teria recorrido a um regime especial de substituição tributária, concedido pelo governo estadual (Benedita da Silva, em 2002, e Rosinha Garotinho, em 2005), que permite às distribuidoras comprar o produto sem recolher o ICMS devido diretamente na origem (refinarias).


O regime, porém, só pode ser aplicado nas operações interestaduais. Mas Manguinhos utilizou um artifício para também não pagar o imposto no destino (varejo): o "passeio de notas", ou seja, mandava apenas as notas fiscais para distribuidoras em outros estados e acabava por despejar no Rio os combustíveis não tributados.


Números levantados pela CPI que investigou o assunto na Assembleia Legislativa indicam evasão de R$ 850 milhões só entre a concessão do regime especial e 2006, quando ele foi suspenso. As distribuidoras e Manguinhos negaram, na época, a evasão.


- Tudo isso (o regime especial) favoreceu fortemente a sonegação fiscal - lamenta o deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB), presidente da CPI.


O decreto de 2005 foi fruto de uma guerra jurídica. Logo que assumiu o governo, Sérgio Cabral suspendeu o decreto, que depois voltou a valer por força de liminar concedida pelo Tribunal de Justiça do Rio. A liminar foi cassada no Supremo Tribunal Federal (STF), e o decreto, finalmente, suspenso.


Parlamentar foi chamado de chefão


Conduzido pela Delegacia de Polícia Fazendária a pedido do Ministério Público, o inquérito 688/2009 chegou à participação do parlamentar pelo monitoramento das linhas telefônicas usadas pelos controladores da refinaria. Há transcrições de conversas do político, identificado como "VM" (voz masculina), com Ricardo Magro e Hiroshi Abe Júnior (sócio da empresa Inca Combustíveis, da qual Ricardo Magro foi advogado), que chega a chamar o interlocutor de "chefão".


Em duas dessas conversas, gravadas pela Polícia nos dias 25 e 26 de agosto do ano passado, Magro pede à "VM" que use a sua influência para contornar a recusa do Grupo Braskem, controlador da Refinaria Riograndense (antiga Refinaria Ipiranga), de continuar vendendo gasolina A para Manguinhos, o que cortaria a linha de suprimento para o esquema de sonegação. Os dois - Magro e o parlamentar - se reuniriam logo depois em algum ponto da Esplanada dos Ministérios - os celulares de ambos utilizaram a mesma antena, no mesmo horário.


Paradoxalmente, a descoberta de "VM" e o seu papel central nas ações da quadrilha imobilizaram a Polícia Civil. Os investigadores não puderam avançar, na direção do usuário da linha (principalmente o seu nome), porque não têm poderes para apurar crimes envolvendo parlamentares federais.


Embora os gestores da refinaria evitem o tempo todo citar o seu nome por suspeitar de grampos, o conteúdo das conversas, que fazem referências recorrentes a gabinete, plenário e outros termos comuns à rotina do Congresso Nacional, levou os investigadores à certeza de se tratar de um "deputado ou senador". Sendo assim, a juíza da 20ª Vara Criminal, Maria Elisa Peixoto Lubanco, decidiu no mês passado remeter o inquérito ao Supremo, entendendo que o parlamentar e o ministro têm foro privilegiado.


A iniciativa de investigar a fraude fiscal partiu da Coordenadoria de Combate à Sonegação Fiscal do Ministério Público, que pediu a abertura de inquérito por "formação de quadrilha e crime contra a ordem tributária, econômica e relações de consumo" contra Manguinhos depois de constatar que a refinaria teria deixado de recolher o ICMS-ST (substituição tributária) de agosto e setembro de 2007.


O inquérito atribui a sonegação à "associação de um grupo de pessoas físicas e jurídicas relacionado à refinaria - cujo controle acionário foi adquirido pelo grupo empresarial Andrade Magro em dezembro de 2008 - que estaria manipulando as operações tributárias".


A investigação cita os empresários Ricardo Andrade Magro, Hiroshi Abe Júnior ("cabeça do grupo"), Elmiro Chiesse Coutinho Junior ("peça-chave no controle e representatividade do grupo, componente da cúpula administrativa da Refinaria de Manguinhos") e Jorel Lima ("alvo de grande valia, assessor de Elmiro e Hiroshi").


O parlamentar não identificado não é o único apoio do grupo nas esferas do poder. Numa das conversas, gravada em 18 de setembro do ano passado, Jorel comenta com "Carla Verônica" que seus patrões participaram de um jantar de negócios, na churrascaria Porcão, com duas "pessoas influentes" - uma delas chamada "Renó", e a outra seria assessora de José Dirceu.


A reunião teria o objetivo de negociar a compra de combustível da PDVSA, a estatal venezuelana de produção de petróleo.


Contatos do grupo também na ANP


As interceptações telefônicas revelaram que o grupo também mantinha contato com Edson Menezes da Silva, identificado no inquérito como superintendente da Agência Nacional do Petróleo (ANP) - ele continua até hoje lá, mas exercendo outra função. De acordo com os investigadores, Manguinhos contava com informações privilegiadas na agência para não ser surpreendida com ações de fiscalização.


As conversas mostram também que a refinaria tentava influenciar quando ocorria troca de nomes em cargos estratégicos da ANP.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

PF explode três antenas e fecha rádio pirata em Duque de Caxias

O blog Kiss FM 91,9 Rio de Janeiro acompanha a novela daquela rádio pirata há meses, e traz mais detalhes. Inclusive três vídeos.







Fonte: O Globo.

PF explode três antenas e fecha rádio pirata em Duque de Caxias
Publicada em 18/11/2010 às 23h36m
Antônio Werneck


RIO - Policiais federais da Delegacia de Nova Iguaçu, com apoio de agentes do Comando de Operações Táticas (COT), tropa de elite da Polícia Federal de Brasília, destruíram quinta-feira de manhã três antenas - uma delas da rádio Céu FM 91,9 - instaladas no alto da Favela da Mangueirinha, em Duque de Caxias. As transmissões da rádio estavam interferindo nas comunicações dos pilotos de aviões, principalmente em pousos e decolagens de aeronaves no Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador.


Para destruírem as antenas, os policiais federais usaram explosivos C-4. Várias ossadas humanas foram encontradas no local, onde possivelmente funcionava um cemitério clandestino usado por traficantes de drogas que dominam aquela comunidade. Os policiais federais foram recebidos a balas pelos bandidos. O local é de risco, com traficantes armados e considerados violentos.


Segundo o delegado Alexandre Saraiva, chefe da Delegacia Regional da PF em Nova Iguaçu e responsável pela operação, na chegada dos policiais e no início da ação - que contou com apoio de policiais federais do Grupo de Pronto-Emprego (GPE) e de policiais militares do 15 BPM (Caxias) - traficantes da favela abriram fogo, atirando contra os policiais. Com a reação, os bandidos fugiram. Ninguém ficou ferido.


- Eles recuaram e fugiram depois que reagimos. Foi uma troca de tiros rápida. Ninguém ficou ferido - disse Saraiva.


A rádio pirata alvo da operação e que controlava as antenas pertencia a um pastor evangélico, segundo informou a PF. O nome não foi revelado, mas ele foi identificado e será indiciado. O delegado Alexandre Saraiva disse que vai procurar a Justiça Federal na próxima semana para pedir a prisão preventiva do pastor. Cerca de cem policiais participaram da operação, entre eles 50 federais.


A operação de ontem é consequência de uma ação de fiscalização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Depois de identificarem interferências nas comunicações de pilotos de aviões que chegavam ou partiam do Aeroporto Internacional Tom Jobim, próximo à favela, os fiscais da Anatel iniciaram uma investigação até localizarem a rádio.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Prefeitura do Rio cobra taxa de foro de 1.700 imóveis

Os otários não votaram no Eduardo Paes? Agora aguentem.

Fonte: O Globo.

RIO - Moradora de uma vila em Botafogo, a bailarina Norma Pina, de 42 anos, levou um susto ao receber, semana passada, uma notificação da prefeitura. Uma carta da Superintendência Imobiliária da Secretaria municipal de Fazenda intima Norma a pagar uma taxa de R$ 1.402,33, a título de ocupação do imóvel nos anos de 2008 e 2009, e que deve ser quitada até 30 de dezembro. A bailarina, que terá que continuar a pagar a taxa anualmente, está longe de ser uma exceção. Cerca de 1.700 proprietários de imóveis, boa parte da Zona Sul, estão sendo notificados, desde o dia 11, de dívidas que alegam desconhecer.


A cobrança, que deve garantir uma receita extra para a prefeitura de até R$ 3 milhões neste fim de ano, está causando polêmica. Norma tem dúvidas se a cobrança é legal. Ela recorreu à Associação de Moradores de Botafogo (Amab) pedindo que estude se cabe uma ação judicial:


- Por dois anos da taxa, tenho que pagar mais do que recolhi este ano de IPTU (R$ 1.125,30) - reclama.


A taxa, conhecida como foro, é uma herança da época em que o Brasil ainda era colônia portuguesa. No século 16, a antiga Câmara da Cidade do Rio (espécie de prefeitura colonial) dividiu o território carioca em três grandes lotes, conhecidos como sesmarias, onde hoje existem cerca de 30 mil imóveis construídos. Estas sesmarias eram Estácio de Sá (hoje boa parte da Zona Sul do Rio), Sobejos (imóveis situados entre a testada da Sesmaria de Estácio de Sá e o mar) e Realengas (áreas de propriedade da Coroa Portuguesa), em Realengo.


- Estranhei o valor, mas ainda teremos que estudar a legalidade da cobrança. Como a taxa não pode ser atualizada, o valor cobrado da maioria dos imóveis de Botafogo, por exemplo é simbólico. Não passa de um real. E acaba sendo paga junto com o ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Intervivos) para o registro de transações imobiliárias - disse a presidente da Amab, Regina Chiaradia


A Secretaria municipal de Fazenda alega que identificou os devedores ao fazer uma checagem em seus cadastros. Segundo o município, os outros 28.300 contribuintes estão em dia com a taxa. A partir de 2011, porém, haverá mudanças nas regras de cobrança. Em lugar de procurar a prefeitura para quitar o tributo, a prefeitura enviará o boleto de cobrança para os imóveis. Caso a taxa seja quitada à vista, o contribuinte a terá direito a um desconto de 7%. Existe ainda a opção de parcelar o valor devido em até 30 vezes.


O valor cobrado dos moradores é calculado conforme o preço de mercado do imóvel. A taxa corresponde a 0,6% do valor total do ITBI no momento em que o terreno é edificado. Para obter o domínio pleno (remissão) e deixar de pagar o foro em definitivo, o proprietário do imóvel teria que recolher uma taxa extra para a prefeitura. A quantia equivale a um laudêmio (2,5% do valor de mercado do imóvel) mais o valor equivalente a dez foros.


A isenção de IPTU não garante imunidade do pagamento do foro. Que o diga a musicista Lys Araújo, de 41 anos, que ontem tentava esclarecimentos sobre a notificação da prefeitura cobrando atrasados do imóvel de sua mãe.


Moradora da Rua André Cavalcanti, num imóvel que não recolhe IPTU por se situar no Corredor Cultural do Centro, a mãe de Lys recebeu uma notificação cobrando R$ 2.104,63 relativos a oito anos de foro:


- A carta que a prefeitura envia chega a assustar. Informa que, se o proprietário deixar de pagar o foro por três anos, pode perder o imóvel. Este ano a prefeitura já começou a cobrar taxa para manter a iluminação pública. Agora aparece mais essa como presente de Natal - criticou Lys.


Tributarista: se prefeitura esqueceu, não pode cobrar


Na avaliação do advogado tributarista José Cavalcanti Nicodemos de Oliveira, os valores cobrados pela prefeitura seriam inconstitucionais. Segundo ele, a legislação em vigor permite apenas que a União atualize os valores cobrados de imóveis foreiros:


- O valor do foro municipal é imutável. A taxa tem que ser idêntica para todos. Se a prefeitura, por alguma falha, deixou de cobrar o valor devido durante algum tempo, a responsabilidade não é do contribuinte.


Nicodemos acrescenta que a cobrança sem atualização monetária foi prevista pelo antigo Código Civil. Em sua interpretação, como o atual código, em vigor desde 2002, não tratou da matéria, valem as regras em vigor da legislação antiga. Além da Zona Sul, o foro é cobrado pela prefeitura de imóveis dos bairros de Fátima, Catumbi, Centro, Estácio, Gamboa, Glória, Saúde e Santo Cristo. E também em parte de Bangu, Magalhães Bastos, Padre Miguel e Realengo.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Luiz Carlos Prates: "Qualquer miserável agora tem carro"

Me recuso a comentar um vídeo fascistóide como este aqui.



Mas o meu amigo Alexandre Figueiredo se forrou de paciência e comentou aqui.

Uma crítica à dupla transmissão AM+FM da Rádio Guaíba que você não verá nos blogs de esquerda

Muita gente boa da esquerda faz justas críticas há anos sobre a operação de dupla transmissão AM+FM que várias rádios de direita fazem desde os anos 90, como as rádios CBN e Bandeirantes (São Paulo), CBN, Globo e Tupi (Rio de Janeiro), Itatiaia (Belo Horizonte), Metrópole (Salvador) e Gaúcha (Porto Alegre). A estas se juntará em janeiro de 2011 a Eldorado de São Paulo.

No entanto, até agora os nobres amigos não fizeram NENHUMA referência à dupla transmissão feita há pouco tempo pela Rádio Guaíba de Porto Alegre, pertencente ao complexo Record-IURD do empresário e bispo Edir Macedo. A Rádio Guaíba transmitia em AM 720, mas sacrificou a rádio adulta Guaíba FM 101,3 e passou a repetir seu sinal no FM, jogando a Guaíba FM para o limbo da Internet.

Gente, eu não sei se vocês perceberam. Se perceberam ou não, saibam que sou realmente independente da esquerda e independente da direita, e este blog também é. Portanto, não só não tenho medinho de fazer críticas justas a emissoras do campo da direita, de linha neoliberal, do ramo golpista ou de qualquer tendência dessas que nós criticamos juntos, como também não tenho medinho de fazer críticas a emissoras governistas que façam o mesmo jogo sujo da dupla transmissão AM+FM feitos pelos grupos rivais, à custa da perda de diversidade no rádio (uma AM e uma FM distintas são melhores que duas rádios se repetindo mutuamente) e à revelia de sindicatos omissos diante das perdas de postos de trabalho. Sindicatos de radialistas e de jornalistas, tomados por pelegos de toda ordem. Ainda mais nos últimos anos.

Outro dia mesmo, vi uma dessas dondocas progressistas dizendo que criticava a Rede Globo e poupava a Rede Record porque o grupo Record não participou do Golpe de 1964, como as Organizações Globo. Ora bolas. Isso é um atestado de ignorância que a dondoca passou para si mesma e quis passar para os leitores.

As Organizações Globo participaram, sim, daquele golpe de 1964. Seria preciso uma mudança completa de procedimentos dos atuais dirigentes globais, para deixar o passado para trás e se credenciar a ser um grupo, digamos, ficha limpa. Mudanças do tipo entregar aos ouvintes-leitores-telespectadores vez e voz nas empresas do grupo.

No entanto, o grupo Record-IURD não participou do Golpe de 1964 apenas por uma questão cronológica. Edir Macedo só fundou a Igreja Universal do Reino de Deus em 9 de julho de 1977, e só comprou sua primeira empresa de comunicação (a Rádio Copacabana AM 680 do Rio de Janeiro) em meados dos anos 80, das mãos do também líder evangélico Francisco Silva (o atual dono da Melodia FM 97,5 do Rio de Janeiro). Nos anos 60 e 70, a TV Record e a Rádio Record AM 1000 (ambas de São Paulo) ainda pertenciam ao grupo Paulo Machado de Carvalho, o mesmo que já tinha a Rádio Panamericana de São Paulo (atual Jovem Pan AM 620) e hoje detêm também a Jovem Pan FM 99,7 de Santos (pertencente à rede da AM paulistana), a Jovem Pan AM 900 de São José do Rio Preto, a Jovem Pan AM 750 de Brasília (ex-Globo e ex-CBN), a rede Jovem Pan FM e a Classic Pan. O grupo Jovem Pan só vendeu a TV (onde Silvio Santos tinha se tornado sócio) e a Rádio Record para Edir Macedo em 1989.

Qualquer um desses grupos que fizer imbecilidades como dupla transmissão AM+FM e mesmo transmissões de programas "AM em FM" merece e merecerá críticas deste blog. Seja governista ou oposicionista. Seja simpático a PSDB, DEM, PT, PMDB ou qualquer partido aliado de algum destes. Aliás, todos esses grupos citados (da Globo à Record) praticam essas imbecilidades. E o grupo de comunicação que fizer asneiras não relacionadas ao rádio merecerá críticas no meu outro blog, Brasil, um País de Tolos.

Texto publicado originalmente no blog Preserve o Rádio AM.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Rádio Eldorado arrenda FM 107,3, jogará Eldorado FM pra lá e transformará FM 92,9 em repetidora da nova (?) Rádio Estadão/ESPN

A mais sisuda rádio ouníus de São Paulo entrará também na onda da dupla transmissão AM/FM. O velho grupo oligarca paulista (Estadão) se alia a um grupo gringo (Disney, dono da ESPN) para sucatear o já sofrido dial AM paulistano.

É discutível a operação de arrendamento de um canal educativo, como é o da FM 107,3, outorgado para a Fundação Brasil 2000, leia-se Universidade Anhembi-Morumbi. Mas tudo é possível neste País de Tolos.

Além disso, a FM 107,3 fica longe da FM 92,9 e tem uma potência inferior. Acabaram de assinar a sentença de morte da tradicional Eldorado FM.

Nessa história toda, quem acabará mesmo é a FM 107,3, ex-Brasil 2000 que já vinha tendo alguns horários arrendados para repetir as transmissões esportivas da Eldorado AM. No segmento de rádios rock, que já contou com emissoras como 97 FM, 89 FM (que só prestou nos anos 80) e a própria Brasil 2000, quem reinará sozinha e soberana é a Kiss FM. Mas isso é outra história.

Texto publicado originalmente no blog Preserve o Rádio AM.

Fonte: Cheni no Campo.

l-FIM DE UMA MARCA


A rádio Eldorado AM, emissoras do Grupo Estado, com mais de 50 anos de tradição vai deixar de exisitir.


A partir de janeiro de 2011, a rádio Eldorado passará a se chamar Estadão/ESPN. Essa é uma estratégia de marketing para ampliar o alcance do periódico fora de São Paulo. O nome Eldorado é tradicional na Capital, mas não pegou fora dele. Agora, com a parceria da multinacional ESPN, as duas pontas tentam levantar a emissora.


Segundo o IBOPE do último trimestre (Agosto, Setembro e Outubro) A Eldorado FM ocupou a 27º posição entre 35 emissoras, sua audiência média é de 0,08.


Já a AM entre julho, agosto e setembro é a 14º colocada em um ranking de 27 emissoras com média de 0,04 de audiência.


As mudanças serão as seguintes: Nova marca/nome emissora: Estadão/ESPN no dial: AM 700 khz e FM 92,9 (transmitem o conteúdo novo inclusive o esporte/futebol).


A Eldorado FM continua com o mesmo nome e passará a ser transmitida em 107,3, antiga Brasil 2000 onde hoje se retransmite o futebol.


O custo já foi levantado e acertado, inicialmente o contrato de arrendamento será trimestral para usar a freqüência da emissora universitária.


Programas: os produtos levarão o nome de cadernos do Estadao e programas da ESPN. Exemplos: Caderno 2, Jornal de Esportes, É Rapidinho, Sportscenter Outros serão: Podcast, Jornalismo ao vivo, futebol no mundo (retransmissão do programa de sexta ao vivo no canal ESPN Brasil) Joao Palomino (foto) está cuidando dessa transição e já coordena a rádio como editor chefe.


Funcionários serão realocados para reportagem e produção. A ideia é aumentar a participação dos repórteres nas ruas. Hoje, a emissora não tem nenhum profissional diário no dia-a-dia das pautas.


Quadros como Economia e Negócios de Ricardo Amorim e Direto da Fonte com Sonia Racy permanecem, assim como Alexandre Garcia no Poder e Política.


Com a mudança de nome, a voz do Brasil poderá voltar à grade por exigência da lei. Mas, a Eldorado liderou o movimento de algumas rádios que não transmitem o conteúdo oficial do Governo.


Trata-se do primeiro esboço e os nomes e estrutura podem mudar.


O mais importante apurado pelo Blog é que demissões não devem ocorrer no início, apenas pequenos ajustes de função no primeiro escalão.


A mudança vai gerar buchicho no mercado e deverá alavancar a comercialização de cotas de patrocínio.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A ala dilmista da Canção Nova (2)


Resposta para Com Texto Livre:

O deputado federal Gabriel Chalita (PSB-SP) defendeu a então candidata presidencial Dilma Rousseff das acusações partidas de segmentos católicos e evangélicos de que ela promoveria o aborto, como se o rival José Serra não tivesse feito aquela norma técnica pró-aborto, quando era Ministro da Saúde de Fernando Henrique Cardoso.



Gabriel Chalita é membro do chamado Segundo Elo da Comunidade Canção Nova. A CN é uma associação de fiéis leigos reconhecida recentemente pelo Vaticano. Tem o mesmo status que ordens religiosas, como franciscanos, dominicanos, salesianos, jesuítas, beneditinos e outros. Os membros do clero da CN (presbíteros e diáconos) ainda não podem ser incardinados na CN, tendo que ser incardinados na diocese do bispo que os ordena. Há membros incardinados nas dioceses de Lorena, Palmas e Belém. O próprio Monsenhor Jonas Abib é formalmente um padre da Diocese de Lorena. Mas todos são cedidos à CN.

Na CN, o Primeiro Elo são os membros consagrados, que podem ser tanto os membros do clero como leigos celibatários (que abrem mão de um possível casamento) e mesmo casais. Todos fazem os três votos: pobreza, castidade e obediência. Os membros do Segundo Elo não fazem nenhum dos três votos, vivem fora das dependências da Comunidade, têm que prover o próprio sustento e podem morar e trabalhar no que bem entenderem. Integram o Segundo Elo desde leigos até membros do clero, sendo o mais graduado o atual Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira.

Gabriel Chalita é o líder da Canção Nova no governo Dilma. A CN terá participação no Governo. Enquanto isso, o tal Pe. José Augusto foi afastado da TV pela ala dilmista da CN. Ainda não há notícia de que tenha voltado, mesmo após a eleição. Talvez acabe excomungado pelo Monsenhor Jonas Abib.

O engraçado é que quando um político governista acerta é porque está em comunhão com Lula ou com Dilma. Quando um governista erra, vão logo procurando algum passado do cretino na UDN, na Arena, no PFL, no DEM ou no PSDB. Nos partidos governistas, nem pensar.

Assim é fácil fazer política.

Insegurança pública do Governo Sérgio Cabral Filho faz PM admitir que nada pode fazer

Nota extraída da coluna de Ancelmo Gois, hoje em O Globo.

DEM é direita envergonhada mas diz querer ser oposição

Resposta para Aluizio Amorim:

Continuo acompanhando o blog do Aloizio. Muito bom. Ele integra a lista de blogs linkados no meu blog político, o Brasil, um País de Tolos.

Este artigo é muito bom. Mas acredito que falta algo que o artigo não disse. Falta um partido que se assuma como direita, não apenas conservador. Sem medo de perder votos de quem não concorda com a direita, mas com potencial de atrair os votos dos direitistas, que não são poucos. O que temos é essas dondocas social-democratas do PSDB e essa direita envergonhada do DEM. A própria oposição representada por figuras ditas "jovens" do DEM (Rodrigo Maia, Onyx Lorenzoni, Paulo Bornhausen, ACM Neto) é oposição gestada em laboratório, longe do dia a dia de quem trabalha de verdade neste país e não concorda com o petismo nem com a direita fisiológica governista representada por PMDB, PP, PR, PRB, PSC, PTB e outras legendas cujos integrantes estão no Governo desde a gestão de José Sarney.

Não acredito em uma oposição como a do ex-prefeito Cesar Maia, que ainda se orgulha de seu passado no PCB. Saiu da Prefeitura do Rio com um broche do Partidão na camisa.

Há de se anotar que o DEM tirou o liberalismo econômico do nome e deixou só esse vago Democratas. Todos os partidos políticos se dizem democratas, do DEM ao PCO.

Além da direita, falta também uma legenda nacionalista neste país. Uma legenda ligada à cultura política e geral do Brasil, sem xenofobias e sem relação com esse maquiavelismo esquerda-direita que diz mais respeito à França do Século XVIII do que ao Brasil do Século XXI.

A ala dilmista da Canção Nova

Resposta para O Globo:

No que diz respeito ao Governo se vingar da Canção Nova, esqueçam. O deputado Gabriel Chalita (PSB-SP) é o líder da Canção Nova no governo Dilma. A CN terá participação no Governo. Enquanto isso, o tal Pe. José Augusto foi afastado da TV pela ala dilmista da CN. Talvez acabe excomungado pelo Monsenhor Jonas Abib.

Resposta para Cloaca News - Ex-tucano quer ser o Ministro da Falcatrua, sobre Gabriel Chalita:

PT e PSDB rumo à fusão. Ou confusão... Otário é quem votou na Dilma pensando ter se livrado dos neoliberais.

O engraçado é que quando um político governista acerta é porque está em comunhão com Lula ou com Dilma. Quando um governista erra, vão logo procurando algum passado do cretino na UDN, na Arena, no PFL, no DEM ou no PSDB. Nos partidos governistas, nem pensar.

Assim é fácil fazer política.

domingo, 14 de novembro de 2010

Serra vereador 2012!

Serra pede emprego em filme de Zé do Caixão

Ratos pulam do DEM

E vários deles estão querendo ir para o PMDB. Para a base de governo de Dilma Rousseff.

Serra morre na praia

Faxina eleitoral

Lojinha do PT

Escolinha do Professor Serra

Olimpíada 2016: Construção de viaduto deixa moradores tensos, no Rio


Toma jeito, prefeito!

Reforma do programa do PSDB: uma ideia de jerico

Resposta para O Globo:

"Duas semanas após a terceira tentativa frustrada dos tucanos de voltarem ao poder central do Brasil"

A reportagem começa errada. Foi, na verdade, a segunda tentativa fracassada de o PSDB voltar ao poder. O fracasso de 2002 não conta, porque ali o partido já estava no poder com FHC, e tentava ficar, elegendo José Serra.

Se o PSDB tentar reformar o seu programa, corre o risco de perder o eleitorado que já tem, que vota no partido pela defesa que faz do neoliberalismo. Corre o risco de se tornar o partido social-democrata que era (ou pensava ser) originalmente. Mas aí ficará igual ao PT, atualmente o verdadeiro partido social-democrata do Brasil, o que justificará a profecia dos que preveem a futura fusão ou aliança formal do PSDB com o PT.