Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Tomem, anticlericais! Dom Orani Tempesta proíbe distribuição de panfletos políticos em igrejas católicas e critica propaganda nas missas

Esse arcebispo é dos meus!

Fonte: O Dia.

16.10.10 às 22h35 Atualizado em 17.10.10 às 09h33


Arcebispo do Rio quer fim da guerra religiosa


Dom Orani Tempesta proíbe distribuição de panfletos políticos em igrejas católicas e critica propaganda nas missas


POR FRANCISCO EDSON ALVES


Rio - O arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, disse ontem a O DIA que não vai tolerar a propaganda política dentro das igrejas. Depois de celebrar missa para cerca de 3 mil fiéis na Catedral Metropolitana, no Centro do Rio, Dom Orani exortou os católicos a terem cautela com as “coisas que não são da Igreja”. O objetivo é evitar uma ‘guerra santa’, gerada pelo clima político das eleições para a Presidência da República.


Ao ser informado de que três bispos de São Paulo teriam assinado documento pedindo a fiéis que não votassem em candidatos que são a favor do aborto, conforme divulgado ontem no ‘Informe do DIA’, Dom Orani afirmou que não vai permitir a manifestação. O documento, com duras críticas ao PT, seria replicado em cinco milhões de cópias e estava previsto para ser entregue hoje nas igrejas do Rio, junto com o roteiro das missas. “A Igreja Católica do estado do Rio também tem sua própria nota e desconhece o conteúdo do panfleto paulista”, disse dom Urani.


“A Regional Leste 1 (setor a que pertence à Arquidiocese do Rio) tem sua própria nota e na segunda-feira (amanhã) vai divulgar uma outra. Acho que São Paulo tem todo o direito de divulgar sua nota, mas não nas missas. Nem as nossas notas podem ser distribuídas nas missas. Isso está muito claro”, afirmou o arcebispo.


O arcebispo afirmou que a Igreja não permite a propaganda política dentro dos templos e recomendou cautela aos fiéis. “Tomem cuidado com o que sai (nos jornais) sobre eleições e a Igreja Católica, que o arcebispo disse isso, que o arcebispo autorizou, sobre coisas que não são da Igreja. Qualquer dúvida, procurem saber se é verdade com o vigário episcopal”, aconselhou o arcebispo.


Em sua página na Internet (http://www.arquidiocese.org.br/), no link “Orientações para o eleitor no segundo turno”, a Arquidiocese recomenda aos católicos “imparcialidade e incentivo ao voto”. A nota diz que em diversos encontros com representantes e lideranças de partidos políticos, Dom Orani Tempesta tem reforçado a posição da Igreja Católica. “A Igreja incentiva a participação política de todos os fiéis e se preocupa em oferecer critérios para que possam escolher seus candidatos, de forma livre e consciente, em conformidade com a doutrina social da Igreja”, diz a nota.


O texto ressalta que religiosos ou qualquer outro membro da Igreja Católica estão desautorizados de pedir votos para quem quer que seja: “A Arquidiocese recorda a importância da escolha individual, que deve ser feita por cada fiel cristão”, diz o texto.


Ex-deputado nega que objetivo da ação seja promover algum candidato


Organizador da ação de distribuição de panfletos nas igrejas contra o PT, o ex-deputado estadual Carlos Dias, candidato derrotado ao Senado pelo PT do B e ligado à Igreja Católica, disse que o movimento não tem o objetivo de promover politicamente nenhum candidato.


“Estamos apenas orientando os nossos fiéis para que saibam claramente o que pensa um dos candidatos à Presidência. Nós dizemos: eles pensam assim, se você quiser votar neles, que votem. Agora, se você não pensa assim, então escolha outra opção”, disse.


Carlos Dias disse que o católico é livre e a distribuição de material é para passar informações sobre um candidato. “Não estamos pedindo voto para ninguém. Apenas conhecemos bem as normas da Igreja Católica e não poderíamos indicar um candidato que é contra esses princípios”, argumentou.


O ex-deputado disse que o movimento está em sintonia com a Igreja Católica, mas preferiu não comentar a proibição feita por Dom Orani. “Não vou fazer nenhum comentário sobre o que meu bispo diz”, afirmou.


Panfletos contra Dilma em São Paulo


Uma gráfica no bairro do Cambuci, na capital paulista, estava imprimindo, na manhã de ontem panfletos com um texto contra o PT e a presidenciável Dilma Rousseff. Segundo o contador da gráfica, Paulo Ogawa, a encomenda foi feita pela Diocese de Guarulhos (SP). Em julho, o bispo da cidade, Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, foi pivô de uma polêmica mobilização contra a petista. A gráfica foi descoberta pelo diretório estadual do PT. Os advogados do partido vão pedir o fim da impressão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário