Política, cultura e generalidades

domingo, 31 de outubro de 2010

Alexandre Figueiredo é um antigo parceiro e amigo de dez anos

Resposta para Mingau de Aço:

O amigo Alexandre Figueiredo eu conheço há dez anos, quando comecei a usar a Internet em casa e conheci o seu portal Preserve o Rádio AM, que na época ainda não era um blog. Alexandre é um progressista autêntico e parceiro em causas como a preservação do rádio AM (com o consequente combate ao rádio "AM no FM") e a retomada da índole cultural do rádio FM. Também tive oportunidade de conhecer pessoalmente o próprio Alexandre e o seu irmão Marcelo Pereira.

Tanta afinidade poderia fazer com que leitores de blogs como Mingau de Aço, O Kylocyclo, Brasil, um País de Tolos, Kiss FM 91,9 Rio de Janeiro e o já citado Preserve o Rádio AM pensassem que nós concordamos em tudo, ou que talvez sejamos a mesma pessoa usando identidades falsas. Só que estas suposições não correspondem à verdade.

Se o autor do Mingau de Aço fosse alguém que eu não conhecesse, poderia se supor que se tratasse de alguém conformado com a superação do consórcio demo-tucano e com esse consórcio de partidos de esquerda (PT à frente de partidos fisiológicos da esquerda) com partidos fisiológicos da direita (PMDB à frente). Pronto. Todos os problemas do país se resolveriam num passe de mágica.

Se eu não conhecesse o amigo Alexandre, provavelmente o autor do Mingau de Aço mereceria uma contundente mijada no blog Brasil, um País de Tolos.

Mas não. Alexandre é gente do bem. Ele há de fazer cobranças desse governo dilmista que está chegando. Tem credibilidade para espinafrar o superfaturamento do governo dilmista nas obras da Copa 2014 e das Olim Piadas 2016, algo inevitável. Aliás, o Alexandre foi um dos primeiros a criticar os dois malfadados projetos. E Alexandre há de continuar a criticar os projetos do prefeito dilmista Eduardo Paes, uma das razões que me levam a não confiar nesse projeto petista-PMDBista de poder.

Só que o amigo terá que reconhecer que estamos em estágios diferentes no espectro político. O amigo está nessa de "apoio crítico" ao Governo. Eu estou em um estágio adiante.

O neoliberalismo demo-tucano é o passado, o petismo é o presente e o nacionalismo é o futuro.

Como não estou representado nesse atual espectro eleitoral, peço encarecidamente que me mantenha fora disso tudo.

2 comentários:

  1. Sei que temos divergências ideológicas, mas nossa amizade fica de pé. Eu critico os ideologicamente neutros, mas não os cimistas. Posso não concordar com algumas posturas suas, mas respeito. Além disso, você acredita nos movimentos sociais, sim, mas à sua maneira. Tanto que a manifestação de junho de 2009 não deixa mentir, você ali com seu autofalante protestando contra a entrada de uma rádio comprometida com a decadência cultural.

    Você também tem o direito de não concordar com as posturas minhas. Você tem o seu caminho, eu tenho o meu, mas somos pessoas íntegras e atuantes de uma forma ou de outra. Mas em vários pontos nos encontramos, e isso é o que importa para nossa amizade.

    Sucesso com seu blog, amigo. E que nossas divergências não interfiram na nossa amizade, sendo apenas opções de raciocínio garantidas pela verdadeira democracia.

    ResponderExcluir
  2. Não somos daqueles que acreditam que todo movimento social não presta, e defendem que a Polícia Militar ou o Exército baixem porrete em cima dos movimentos.

    Todo movimento é legítimo, enquanto tal. Só não concordo com a vinculação de alguns de seus líderes a partidos. Acredito que todo novo dirigente de movimento (seja sindicato ou qualquer outro) devia se desfiliar do partido, se estiver em algum. É o tipo de ocupação que requer neutralidade, tal como magistrados, procuradores e promotores.

    Mas nada impede que os militantes sem cargo nos movimentos se filiem a partidos. Pelo menos enquanto os interesses não forem conflitantes, quando a escolha por um talvez se faça necessária.

    ResponderExcluir