Política, cultura e generalidades

sábado, 25 de setembro de 2010

Mensagens subliminares do Extra

Não gostaram, chapas brancas? Então botem o monitor de cabeça para baixo e vejam esta capa de ontem do Extra por outro ângulo.

P.S: Comentários incorporados ao corpo da postagem:

zcarlos disse...


Olá Marcelo, faz tempo que não nos comunicamos.
Ando sem muito tempo.
Agora, diga-me sinceramente: existe ou não liberdade de imprensa?
Penso que os donos da imprensa reclamam mais é da liberdade da empresa, e não da imprensa propriamente dita; quanto a isso eles não estão nem aí.
O que importa é garantir os contratos milionários de publicidade e de assinaturas com que o tucanato "compra" o "GAFE" - (Globo, Abril, Folha, Estadão).
O que considero o cúmulo do absurdo é constatar como essas "famiglias" que dominam os veículos de comunicação, terem a desfaçatez de argumentar que a liberdade de imprensa está em perigo!
O que corre perigo sim é o monopólio e a concentração de veículos nas mãos de poucos.
Como radialista vc deve sentir isso na carne, não é mesmo?
E, por favor Marcelo, isso não é mensagem subliminar. A mensagem é clara: as organizações globo admitem que consideram as eleições como um jogo; e sujo, conforme as deliberações do Instituto Millenium.
Conheço um pouco das suas posições políticas. Considero-o inteligente e capaz de um bom debate de ideias. Razão pela qual comento em seu blog e respondo seus comentários no meu.
Agora diga-me sinceramente, vc acredita que esse grupo "GAFE" é jornalismo?
Abs!


25 de setembro de 2010 03:02

Marcelo Delfino disse...

Agradeço pela deferência, Zé Carlos. Este grande texto é uma prova disso, creio eu.

Você já respondeu a pergunta. O que a grande imprensa cobra é liberdade de empresa, não liberdade de imprensa.

Liberdade de imprensa é quando os veículos de comunicação permitem que seus profissionais (mesmo o grupo GAFE tem muitos excelentes profissionais que merecem prestígio) façam apuração e comentários de notícias baseados nas mais elementares regras do bom jornalismo. Mostrar os fatos tais como são, não como gostaríamos que fossem.

Só que toda boa informação apurada pelos profissionais desses veículos é barrada pelo filtro empresarial (mais até que o filtro ideológico) dos patrões.

O que o GAFE faz é panfletagem. Não jornalismo.

No que diz respeito ao tucanato patrocinar o GAFE, isso é uma realidade hoje restrita a estados como o seu (bye bye, Yeda Cruzes!) e São Paulo. Pelo país afora, a grande imprensa faz birra e tudo, mas está vendida para o Governo Federal e seus aliados estaduais, como o governo Sérgio Cabral Filho no Rio de Janeiro. Vide o massacre contra os adversários políticos do governador, como Anthony Garotinho, Cesar Maia e Marcelo Crivella.

Aviso que o blog tem um tom irônico na maioria das postagens. O texto desta aqui é um exemplo. Mas há verdades contidas neles. Você mesmo achou uma mensagem subliminar na capa do Extra. Cada um pode achar uma outra mensagem.

Por fim, aviso que não sou radialista. Lá embaixo no blog informo o que faço, lá no quadro "Quem sou eu".

25 de setembro de 2010 09:02

2 comentários:

  1. Olá Marcelo, faz tempo que não nos comunicamos.
    Ando sem muito tempo.
    Agora, diga-me sinceramente: existe ou não liberdade de imprensa?
    Penso que os donos da imprensa reclamam mais é da liberdade da empresa, e não da imprensa propriamente dita; quanto a isso eles não estão nem aí.
    O que importa é garantir os contratos milionários de publicidade e de assinaturas com que o tucanato "compra" o "GAFE" - (Globo, Abril, Folha, Estadão).
    O que considero o cúmulo do absurdo é constatar como essas "famiglias" que dominam os veículos de comunicação, terem a desfaçatez de argumentar que a liberdade de imprensa está em perigo!
    O que corre perigo sim é o monopólio e a concentração de veículos nas mãos de poucos.
    Como radialista vc deve sentir isso na carne, não é mesmo?
    E, por favor Marcelo, isso não é mensagem subliminar. A mensagem é clara: as organizações globo admitem que consideram as eleições como um jogo; e sujo, conforme as deliberações do Instituto Millenium.
    Conheço um pouco das suas posições políticas. Considero-o inteligente e capaz de um bom debate de ideias. Razão pela qual comento em seu blog e respondo seus comentários no meu.
    Agora diga-me sinceramente, vc acredita que esse grupo "GAFE" é jornalismo?
    Abs!

    ResponderExcluir
  2. Agradeço pela deferência, Zé Carlos. Este grande texto é uma prova disso, creio eu.

    Você já respondeu a pergunta. O que a grande imprensa cobra é liberdade de empresa, não liberdade de imprensa.

    Liberdade de imprensa é quando os veículos de comunicação permitem que seus profissionais (mesmo o grupo GAFE tem muitos excelentes profissionais que merecem prestígio) façam apuração e comentários de notícias baseados nas mais elementares regras do bom jornalismo. Mostrar os fatos tais como são, não como gostaríamos que fossem.

    Só que toda boa informação apurada pelos profissionais desses veículos é barrada pelo filtro empresarial (mais até que o filtro ideológico) dos patrões.

    O que o GAFE faz é panfletagem. Não jornalismo.

    No que diz respeito ao tucanato patrocinar o GAFE, isso é uma realidade hoje restrita a estados como o seu (bye bye, Yeda Cruzes!) e São Paulo. Pelo país afora, a grande imprensa faz birra e tudo, mas está vendida para o Governo Federal e seus aliados estaduais, como o governo Sérgio Cabral Filho no Rio de Janeiro. Vide o massacre contra os adversários políticos do governador, como Anthony Garotinho, Cesar Maia e Marcelo Crivella.

    Aviso que o blog tem um tom irônico na maioria das postagens. O texto desta aqui é um exemplo. Mas há verdades contidas neles. Você mesmo achou uma mensagem subliminar na capa do Extra. Cada um pode achar uma outra mensagem.

    Por fim, aviso que não sou radialista. Lá embaixo no blog informo o que faço, lá no quadro "Quem sou eu".

    ResponderExcluir