Política, cultura e generalidades

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Candidatos ao Senado pelo Rio apelam para o vale-tudo: de e-mails apócrifos a ataques na TV

Eles devem estar muito necessitados.

Fonte: O Globo.

Cássio Bruno


RIO - O vale-tudo entre os candidatos do Rio em busca de votos para as duas vagas no Senado toma conta das ruas e do horário eleitoral. Para atrair o eleitor na última semana de campanha, eles recorrem desde o envio de mensagens para o celular até beijos na mão do presidente Lula, em rede nacional. A disputa inclui a distribuição de e-mails apócrifos contra adversários, depoimentos de aliados de outros estados e a divulgação de certidões negativas, que comprovariam a idoneidade da vida pregressa, reforçando a tese de ser ficha-limpa.


O PMDB de Jorge Picciani, quarto lugar nas pesquisas, faz propaganda na TV contra Marcelo Crivella (PRB), tecnicamente empatado na liderança com Lindberg Farias (PT), aliado de Picciani - que apoia as inserções do partido contra Crivella. Os vídeos mostram que o senador, a cada eleição, se candidata a algum cargo, como, em 2006, a governador, e, 2008, a prefeito.




Peemedebista busca votos de católicos


Nos bastidores, a estratégia de Picciani é conquistar o voto útil contra Crivella, que tem o apoio da Igreja Universal do Reino de Deus. Segundo aliados, o peemedebista quer a simpatia dos católicos. Para isso, o presidente licenciado da Assembleia Legislativa (Alerj) tem a ajuda do senador Francisco Dornelles (PP). Picciani, porém, diz apostar nos indecisos:


- Os indecisos vão escolher (candidatos) nos últimos três dias de campanha ou até no dia da eleição.


No fogo cruzado, surgiu um movimento na internet contra Crivella, o "Xô Crivella". O texto diz que ele é "sobrinho de Edir Macedo, chefão da Universal". O e-mail relembra o episódio em que um bispo da igreja chuta a imagem de Nossa Senhora Aparecida, em 1995. Além disso, há denúncias de supostos desvios de dinheiro de doações de fiéis. O material inclui links para o YouTube. Marcelo Crivella não comentou os e-mails.


Em seu site de campanha, Crivella se apresenta como candidato ficha-limpa e exibe um "nada consta" do Supremo Tribunal Federal. Ao lado, Lula aparece em vídeo pedindo votos.


Lindberg também tem a benção de Lula, mas de forma mais carinhosa. Ele beija a mão do presidente no programa de TV. Lula diz que o petista "é uma pessoa extraordinária" e "motivo de muito orgulho".


- Foi espontâneo. Tenho mania, por ser nordestino, de beijar as mãos das pessoas. Minha relação com Lula vem de muito tempo - justificou Lindberg, que já tirou o vídeo do ar.


Nesta segunda-feira, fiscais da 148ª Zona Eleitoral (Magé) apreenderam um trio elétrico que, com Lindberg no alto, puxava uma carreata em Piabetá. A fiscalização da propaganda do município recebeu a denúncia de que o trânsito estava interrompido.

Cesar Maia (DEM), terceiro lugar nas pesquisas, usa a tática das mensagens para celular, como Lindberg. Os torpedos pedem votos e falam sobre as agendas. Numa delas, membros da campanha avisam: "Cesar Maia precisa muito da sua ajuda. Fale pessoalmente, ligue ou envie um e-mail pedindo o voto de amigos". Maia e Lindberg não informaram como conseguiram os números de telefone. Maia mostra ainda, no programa eleitoral, os apoios do escritor Paulo Coelho e Caetano Veloso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário