Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Vença quem vencer, nós perdemos

As eleições deste ano estão virando uma piada.

Primeiramente temos na totalidade quase as mesmas velhas caras conhecidas. Até alguns ''fichas bem sujas'', que ja conseguiram o perdão e o aval da ''justa justiça suprema e eleitoral.''

Temos tres candidatos que não param de falar e elogiar Lula da Silva.

Não seria mais correto então, empossar Lula definitivamente para o resto da sua vida, como o presidente do Brasil?

Algo cheira muito mal nisso tudo, mas muito mal mesmo.

Alguém falou, creio ter sido Fernando Henrique Cardoso; ''vença quem vencer, nós ganhamos''.

Realmente me parece que ele esta certo e ao menos foi honesto nesta afirmação, prova que ''TODOS'' estão de rabo bem preso e tem seu futuro político garantido, seja num cargo qualquer, seja em futuros mensalões, que, com certeza, nós, ''os trouxas eleitores'' iremos desembolsar.

Vamos votar conscientes? Alguém me diga como, por favor.

Pelo que me consta, um dos ''ministros'', que vive dando habeas corpus para bandidos e livrando a cara de alguns políticos desavergonhados, já havia sido escolhido e devidamente colocado no cargo ''supremo'' por ninguém menos que FHC. O cara ja vem de longe e se tornou melhor amigo de Lula e CIA.

Algo cheira bem podre no reino de Brasília.

Todos os candidatos elogiam Lula como se este tivesse sido o melhor que o Brasil ja teve.

Pelo amor de Deus, o que é isso? Brincadeira? Só pode ser!

Como eleitor estou sendo feito de palhaço e perdendo meu tempo.

Todas as sujeiras que vem de longe acabaram em CPIS fajutas e mentirosas.

Os que roubaram continuam ditando ordens, escaparam impunes e não devolveram nada. Nem certo ''castelo'' foi devolvido aos cofres públicos.

Cade o dineiro das cuecas e dos mensalões? Alguém devolveu algo?

A verdade é uma só: Vença quem vencer, nós, os eleitores, perdemos!

Siegmar Metzner - Curitiba

2 comentários:

  1. Marcelo, meu caro amigo.
    Lamento sinceramente este seu post, assinado por um tal de Siegmar Metzner.
    Não tenho por hábito responder post, vc sabe disso.
    Lamento que esse tal de Siegmar seja de Curitiba, cidade onde morei por pelo menos três anos... (e onde o curitibano seja também conhecido como como curitibaca).
    Lamentavelmente, esse tal de Siegmar, seu comentarista, parece-me não compreender o que se trata democracia: a vontade da maioriria.
    Lamento, meu caro Siegmar Metzaner -e também meu amigo Marcelo, que apesar de nossas controvérsias, podemos manter salutarmente as divergências.
    Admiro-o, Marcelo, pois nem todos são assim!
    Respeito seu posicionamento, assim como considero que vc respeite o meu.
    Isso não significa que sejamos inimigos; apenas opositores, não é mesmo?
    Abs!

    ResponderExcluir
  2. Sim, Zé Carlos. Somos opositores. Jamais inimigos.

    Abraços!

    ResponderExcluir