Política, cultura e generalidades

domingo, 22 de agosto de 2010

Cabral, o iniputável


Não dá para botar a culpa da violência carioca no PCC nem no governador do PSDB, não é mesmo?

Fonte: Blog do Alon:

Inimputável

E aconteceu. O deleite do horário eleitoral, nossa ilha da fantasia eletrônica, foi bruscamente interrompido pela realidade. O Rio de Janeiro, aquele lugar com a política de segurança tão bacana (tem umas “upepês” que o pessoal cita muito em palanques), encarregou-se de dar o choque de realidade.

Num lance de imprudência, bandidos acabaram saindo dos limites geográficos em que o domínio deles é bem aceito pelo establishment carioca, foram surpreendidos pela polícia e construíram na fuga um cenário de simbolismo quase insuperável: fizeram reféns num hotel chique.

É o Rio da final da
Copa de 2014. É a sede da Olimpíada de 2016. Mas o governador Sérgio Cabral não tem maiores motivos para se preocupar.

Com a quantidade de amigos e protetores que amealhou, poderá continuar vendendo a teoria de que a segurança no Rio vai bem, obrigado.

E em último caso pode acionar
Lula, que não terá dificuldade para colocar a culpa em algum adversário político, ou nos que “torcem contra o Brasil”. Ou no “olho gordo” de alguém.

Inimputável mesmo, só Cabral.

Coluna (nas entrelinhas) publicada neste domingo (22) no Correio Braziliense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário