Política, cultura e generalidades

sábado, 3 de julho de 2010

Os jecas da esquerda e a Copa do Mundo

São muito jecas os esquerdistas torcendo pros latinoamericanos na Copa 2010. Seu Milton Temer chama as vozes discordantes de alienados. Ainda está preso nos anos 60, coitado. E Paulo Henrique Amorim abusa do direito de torcer contra a Globo. Reclama que a emissora de TV torce por uma final entre Holanda e Alemanha, sem latinoamericanos, e que "Globo colonizada torce pela Alemanha".

Copa do Mundo melhora a vida do povo sofrido de qualquer país latinoamericano? Ora bolas. O Brasil já ganhou 5, a Argentina 2 e o Uruguai 2. A pobreza nestes países foi eliminada? E a mendicância? E o desemprego? E a espoliação estrangeira? E a violação das soberanias nacionais? E a falta de saúde, de educação e de segurança pública?

Meus amigos que editam os blogs O Kylocyclo e Planeta Laranja concordam comigo num ponto: essa Copa 2010 tem mesmo que ficar com um país europeu. Essa Copa nem as posteriores não trarão benefício algum para os países latinoamericanos nem para os países africanos (estes já todos eliminados da Copa 2010), porque essas Copas escondem as roubalheiras de políticos, cartolas, empresários de jogadores e magnatas da comunicação.

Falando em roubalheira, temo a roubalheira que os muquiranas daqui do País de Tolos farão por conta da Copa 2014 e da Olim Piada 2016. Obras superfaturadas com comissões de 100% (no mínimo) feitas em cima da hora para poderem dispensar licitação, e outras cositas más.

Nem preciso esperar os nomes do(a) presidente(a) e dos governadores eleitos em 2010 e dos prefeitos eleitos em 2012. A roubalheira será igual.



P.S.: Direitistas são jecas pela própria natureza da direita. Quando a seleção amarelona ainda está na Copa, são eles que a promovem, gerando uma nação de fanáticos que lhe enchem os bolsos. Quando os amarelos são eliminados, os esquerdistas tomam o lugar dos direitistas.

Esquerdistas não tinham que agir como direitistas. Aliás, já agiam assim durante a Copa 1970, quando preferiam torcer pra Tchecoslováquia só porque era um país socialista, enquanto os direitistas se esbaldavam com o "ninguém segura este País" a turbinar a ditadura.

Um comentário:

  1. Nunca gostei de misturar esporte com religião ou politica. Nunca dá certo.

    Vejo da seguinte forma, sou um amante do futebol quero ver o melhor time vencer. Para mim merece vencer o melhor o mais eficiente e se possivel mais encantador, não me importa se o pais da seleção ou time vencedor está afundada na lama ou se são super potências econômicas.

    Se vai ser a Alemanha ou o Sudão. Não me interessa. Que vença o melhor time, pois isso é apenas um jogo e nada mais que isso.

    ResponderExcluir