Política, cultura e generalidades

terça-feira, 20 de julho de 2010

Cabral Filho bota a culpa nos outros



Aprendeu direitinho com Lula, não é mesmo?

Fonte: O Globo.

Cabral atribui fracasso dos colégios estaduais fluminenses no Enem a '30 anos de destruição' da rede de ensino

Publicada em 20/07/2010 às 00h17m
Evandro Éboli e Duilo Victor - O Globo

O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), culpou os governos passados pelo fracasso dos colégios estaduais no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) de 2009. Ele disse que a expectativa é de melhora no desempenho dos alunos. Entre as 50 melhores instituições da capital do estado, há apenas uma estadual, o Colégio de Aplicação da Uerj.

- Ter alguns colégios que tiveram pior desempenho numa rede de 1.300 unidades, com o nível de carência com que assumimos a educação no nosso estado... Temos uma expectativa de, a cada ano, ir avançando. Temos uma política clara de reposição salarial para os professores, de recuperação física das unidades escolares. E tivemos 700 colégios com nota de ensino regular, acima da média do MEC. Mas longe do ideal. Longe - disse Cabral, em Brasília, onde esteve para assistir à assinatura da MP que aumenta o limite de endividamento das cidades-sedes da Copa de 2014.

Cabral, que tenta a reeleição, afirmou que é preciso tempo para resolver o problema:

- O ideal é política de médio e longo prazo. Educação não tem mágica. Foram mais de 30 anos de destruição. Mas estamos recuperando.

Cabral frisou que o colégio da Uerj é o primeiro colocado no Brasil entre todos os estaduais. Esse colégio ocupa, no ranking nacional, o 17º lugar. É o primeiro estadual na lista da elite do ensino médio brasileiro.

Gabeira propõe reformular currículo escolar

Adversário de Cabral na disputa pelo governo estadual, o deputado Fernando Gabeira (PV) criticou o desempenho das escolas estaduais no Enem e propôs reformular o currículo escolar no ensino médio fluminense para resgatar o interesse dos alunos e melhorar o desempenho:

- O desempenho das escolas estaduais no Enem foi fraco. Esses estabelecimentos já tiveram um péssimo desempenho no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Em contrapartida, tivemos, assim como no Ideb, escolas públicas com desempenho excelente, por causa do empenho particular dos professores. Temos que pegar os bons exemplos e criar meios de universalizá-los.

Sobre a ideia de alterar o currículo do ensino médio, Gabeira propõe criar uma fórmula na grade escolar em que cada aluno tenha a chance de escolher disciplinas com as quais tem mais afinidade.

- A proposta é reexaminar o currículo e criar, junto com as disciplinas obrigatórias, matérias opcionais, como já ocorre hoje nos Estados Unidos.

Em seu programa de governo, Gabeira acusa a atual gestão de nomear diretores para cargos nas coordenadorias regionais da Secretaria de Educação "quase sempre" com critérios político-partidários. Na lista de promessas para a educação, há também na pauta do candidato elevar o salário dos professores para o mesmo nível de São Paulo e Minas. Para aproximar o ambiente familiar das escolas, Gabeira é a favor de ideias como abrir os estabelecimentos nos fins de semana para atividades extraclasse. Outra proposta é tornar o treinamento de professores mais objetivo.

- Os cursos de formação de professores são muito voltados para disciplinas como filosofia e sociologia da educação, e não para a o ensino da matéria que terão que passar objetivamente em classe.

Para presidente da OAB, resultados do Enem assustam

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcanti, divulgou nota classificando os resultados do Enem de assustadores. Para ele, isso se reflete na advocacia. "No exame de Ordem, essa constatação fica muito mais clara pois muitos egressos do ensino público também prestam as provas, e o índice de reprovação é bastante semelhante ao do Enem. A educação no Brasil está na UTI e precisa de um choque efetivo".

Ruy Pinto Pereira
20/07/2010 - 01h 00m

Esse resultado só confirma o que já sabíamos: laptop, arcondicionado, conexão educação, amplificadores de voz... não é disso que precisamos. Precisamos de um projeto de educação verdadeiro, de um plano de carreira de fato, e de professores gestores e não políticos pragmáticos e pouco afeitos aos interesses públicos. Durma com essa, Cabral. Talvez você acorde desse pesadelo e nos ouça de verdade. Você é muito teimoso...

Juan Eduardo
20/07/2010 - 00h 54m

Cabral está fazendo um belo trabalho no Estado.
Ele tem toda a razão porque as políticas públicas de ensino são de longo prazo. Tudo o ruim que os outros governos fizeram, agora estão colhendo os frutos de más politicas públicas de ensino geradas.
Cabral é um cara sério e com certeza ele vai mudar isto aos poucos.

Vinicius Bittencourt
20/07/2010 - 00h 52m

Que desta vez tenhamos um Rio de Gabeira

Soares Junior
20/07/2010 - 00h 45m

O Cabral, vai na Faetec Quintino. As escolas esrtão caindo

Rosa08
20/07/2010 - 00h 41m

Quem quiser que acredite. Eu entrei na secretaria estadual de educação em 1998 e hoje recebo para ministrar aula para 6 turmas com 40 alunos cada a quantia de 890,00 liquidos e tenho um processo de enquadramento por formarmação pelo meu mestrado na UFRJ desde de 2007 que não foi reconhecido até a presente data.
Me sinto um fracassado, mas tenho fé que ainda saio desta. Alguém acredita que consigo autoestima para passar a algum aluno asim?
E esse sujeito quer voltar???Votem nele então eleitores

Gugadin
20/07/2010 - 00h 40m

TA aprendendo com o grande guia.... a culpa e sempre dos outros.. muito bem Cabral.. continua assim que sem duvida vc sera re-eleito.. e so continuar distribuindo pao e circo que nao tem erro..

Alex s
20/07/2010 - 00h 40m

Cabral mentiroso, saí logo o sem vergonha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário