Política, cultura e generalidades

quarta-feira, 30 de junho de 2010

A política trabalhista da Band News Fluminense FM


Fonte: Dial AM e FM do Rio de Janeiro.

Ricardo Gomes

Amigos da comunidade mais democratica em informações do orkut, lembro que me equivoquei ao falar sobre a saida da Liane Borges da Bandeirantes, mais quem tirou ela da TV bandeirantes foi o diretor XICO VARGAS. Vou transcrever o que uma pessoa de nome Marcelle disse na comunidade da Band News Fluminense FM sobre algumas saidas dos profissionais da rádio Band News FM para poder aqui debater com os amigos



Verdades e mentiras sobre as saídas

Gente, tem muito dito pelo não dito aqui. Tenho o conhecimento de certos fatos e gostaria de compartilhá-los.

Rodolfo Schneider tem a sua parcela de culpa, mas não é esse mosntro que todos estão pichando. Primeiramente, ele não teve parcela alguma de culpa na saída da Liane Borges.

A Liane saiu porque na Band Rio existe a política: engravidou = demissão. Foi assim com a Liane, Kelly Muniz, na rádio, e, pasmem, duas vezes com a Aline Pacheco. Isso fora outras funcionárias da parte administrativa. ABSURDO TOTAL!!!

Quanto às saídas na rádio, a história é comprida:

Ela começa com o seguinte problema: vocês sabiam que os repórteres da BandNews ganham cerca de R$ 600 por mês?

Tirando a chefia (Rodolfo, Thais e Mario Dias) e mais dois repórteres, o restante dos profissionais ganha R$ 600. Dá pra acreditar? E os estagiários, que fazem o mesmo trabalho dos repórteres ganham a metade disso: R$ 300.

Esse salário é o menor do Grupo Bandeirantes. Os auxiliares de serviços gerais ganham mais que os repórteres.

Em maio do ano passado, o repórter Flavio Trindade foi demitido sem qualquer motivo e explicação. O próprio Boechat tentou interferir e pedido do Rodolfo para reverter, mas não conseguiu. A decisão partiu do Luiz André Costa, em SP, do Xico Vargas e do setor Comercial do Rio, que é quem manda mesmo na Band-Rio.

O pior se seguiu depois. O repórter foi avisado do seu desligamento por Rodolfo Schneider por meio de telefone, na rua, quando participava de um reportagem para a emissora. E ainda teve a dignidade de terminá-la.

Vejam bem, profissionais entram e saem a todo momento de veículos de comunicação, é normal. Mas o problema dessa demissão é que os próprios colegas tinham o Flavio como o repórter mais dedicado à empresa entre eles. A demissão provocou o mesmo pensamento entre todos eles: "Se demitiram o Flavio, que era o mais dedicado daqui, ganhando 600 reais, ninguém vale nada pra eles".

Isso afeta o moral de uma equipe. E a BandNews tinha a melhor equipe de repórteres do Rio.

Na sequência disso, o comercial tomou outra decisão. Demitiu todos os locutores da emissora, entre os quais Rafaela Ferraz e Cristian Ferraz, que não são parentes, e obrigou os repórteres a se tornarem operadores de mesa. Ou seja desvio de função, sem nada a acrescentar no salário. Mais do que propenso a processo trabalhista.

Rodolfo Schneider aos poucos foi perdendo o controle sobre sua equipe. Marcia Martins foi mandada embora também sem justificativa. A repórter mais experiente da casa e uma referência para os mais jovens. Sem justificativa, mas com motivo. Simplesmente dois chefes não gostavam da independência de Márcia, que mais experiente e melhor repórter, geralmente procurava suas próprias pautas.

A partir de então foi debandada geral. Thiago Feres, que é o melhor amigo do Flavio, chutou o balde e pediu as contas dele, indo embora também.

Polyana Bretas recebeu uma proposta da CBN e não quis nem saber de ouvir contraproposta da Band e foi para o SGR.

Gabriela Hilário recebeu proposta para trabalhar na assessoria de imprensa do estado, assim como Juliana Dargains, e ambas foram embora. Faço uma pausa para explicar que trabalhar com assessoria é um último recurso para quem gosta de reportagem. A opção das duas profissionais mostra o quanto o desgosto tomou conta do time.

Leonardo Monteiro que havia voltado para a Band, depois de temporada na Tupi, pouco depois recebeu proposta da Radio Globo e também largou a BandNews pra lá. Diga-se que Leonardo é outro profissional bastante dedicado e pouco valorizado em suas duas passagens pela Band.

A partir de então Xico Vargas, cuja esposa é professora da PUC, começou a escolher indicados pela sua mulher para atuarem na Band, que passou a ser uma sala de aula da Puc, ao invés de uma rádio.

Mas um golpe bem dado em Xico veio de sua pupila favorita Gabriela Ferreira. A mesma recebeu uma proposta para trabalhar no jornal de Bairros do Globo e foi embora, mesmo com Xico oferecendo mais dinheiro.

Vejam bem. Mesmo com proposta maior uma profissional preferiu abandonar o barco. Pouco depois, ela recebeu proposta da CBN e foi para o SGR.

Depois dela, Erika Rosental também optou por seguir para uma assessoria de imprensa e Flavia Milhorance foi para o jornal o Globo.

A última a chutar o balde foi Juliana Ramos, que foi trabalhar na Paradiso FM. E o mais engraçado é que depois de penar durante três anos com o salário minguado, é que a Band tentou fazer uma proposta maior para a profissional para ela não sair. Aconselhada pelos amigos Flavio e Thiago, que estão novamente trabalhando juntos no jornal O DIA e por Gabriela, ela optou por sair que era o melhor e se fazer. Vejam de novo, ela preferiu trabalhar em uma emissora musical, mas que ofereceria melhores condições de trabalho.

E a próxima a deixar a casa provavelmente vai ser a âncora Mariana Rozadas, única remanescente da antiga equipe.

Rodolfo Schneider tem sua parcela de culpa, tem. Mas não é culpado direto pelas demissões. O problema é sempre se curvar e aceitar as imposições do comercial da emissora, que utiliza o dinheiro da rádio, que dá lucro sim, para pagar as besteiras da TV, que só produz dois jornais porcarias e para isso emprega um bando de incompetentes e fazem nadas no segundo andar.

Boechat por sua vez peca por não se envolver com os problemas da equipe no Rio. Como está sempre em SP não sabe o que acontece aqui, mas poderia se inteirar.

E Xico Vargas é uma pessoa cuja biografia suja mostra seu caráter.


A BandNews está com uma equipe que não é ruim atualmente, mas não é sombra da anterior. Há quanto tempo não ouvimos uma operação policial ou algum acontecimento em tempo real? A emissora era a primeira a chegar nos locais e trasmitia tudo. Hoje, isso acabou.

Ricardo Boechat é o melhor âncora de rádio, e sempre vai ser líder. Mas fora isso, a audiência despenca e vai continuar. A matriz em São Paulo por sua vez, caga para o Rio. A falta de confiança é tanta, que na época das chuvas, mandaram Sheila Magalhães e Guilherme Caliu para o Rio, porque os repórteres aqui não dariam conta.


E assim segue a BandNews, um barco que tem um bom capitão, mas não tem quem reme direito.
Como disse o amigo que abriu o tópico e mandou muito bem:

"O último apague a luz".

Podiam mudar o slogan da rádio. Em 20 minutos, um repórter pode se danar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário