Política, cultura e generalidades

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Os reacionários da CNBB e do PT e os cúmplices no Vaticano


Resposta para Por que o blog apoiou declaração da CNBB?:

zcarlos disse...

Marcelo, agradeço sua resposta ao meu comentário.

Desculpe-me pela franqueza, acredito que o debate democrático é feito assim mesmo, mas fiquei com a impressão de que você tangenciou sobre o cerne da questão.

Perdoe-me, talvez não tenha entendido bem sua posição.

Se puder ajudar-me, diga-me onde você encontrou algo sobre o Governo participar do controle social da linha editorial dos meios de comunicação?

Quanto a opinião da
CNBB, esta a meu juízo, não vale nada. Convém lembrar que o Brasil é um país laico.

Concordo com você quanto aos ministros das Comunicações, e acrescento ainda a passagem do "saudoso"
Antônio Carlos Magalhães nessa Pasta.

Contudo Marcelo, você não comentou sobre a concentração da mídia em mãos de somente alguns grupos, assim como também não li algo sobre a insinuação de "chavismo", como a CNBB classificou e você apoiou.

Acredito que, muito provavelmente, essa lembrança tenha passado desapercebidamente.
Aproveitando ainda o mote CNBB, você realmente acredita que uma intervenção do
Vaticano na Conferência brasileira vá solucionar a questão? Isso teria algum sentido hoje? Com essa CNBB reacionária assim como é o Vaticano?

Se você utilizasse este argumento nos anos 70 e 80 do século passado, ainda poderia fazer algum sentido, mas hoje, francamente, você só pode estar fazendo uma piada. Nem diria de mau gosto, mas de "no sense" mesmo.

Acredito que o debate de idéias é construtivo. Sei que você não deverá alterar seu pensamento apenas por este comentário, assim como não irei alterar minhas convicções com um simples post seu.

Respeito sua opinião assim como sei também que você respeita a minha.

É claro que não pretendo mudar seu modo de pensar - seria muita pretensão; e o inverso é verdadeiro.

Um abraço, saúde e paz.

13 de maio de 2010 13:57

Marcelo Delfino disse...

Que eu saiba, o Governo participou da elaboração do PNDH-3 junto com aliados da sociedade civil. Nunca que o Governo aceitará ficar de fora do controle social dos meios de comunicação. Isso nem precisa estar bonitinho, escrito no papel.

Não tenho obrigação de citar em todas as postagens do blog essa nefasta concentração dos meios de comunicação. Já faço isso no blog Preserve o Rádio AM (junto com meu amigo Alexandre) e faço há mais de sete anos no Tributo ao Rádio do Rio de Janeiro. Quando acho oportuno, faço isso aqui, também.

Quanto à insinuação de chavismo por parte da CNBB, eu não preciso repetir. Está lá na matéria do Estadão. Agora tem um link na barra lateral direita do blog, se quiser conferir.

Se eu for olhar por sua ótica, talvez uma intervenção do Vaticano na CNBB não resolva mais. Afinal, foram essas luletes da CNBB que pariram o PT junto com os sindicatos do ABC, e o PT é um partido ultra reacionário (tal como os pseudo rivais tucanos), dado a alianças com partidos direitistas fisiológicos (PMDB, PP e outros). E, como você mesmo disse que o Vaticano é reacionário e eu disse que talvez o Papa seja conivente com as luletes da CNBB, taí mais um ponto em que concordamos.

Eu conheço o credo católico, e assim sei que não tenho obrigação de concordar com a política secular do Papa, do Vaticano, da CNBB ou de quem quer que seja.

Mais um abraço pra você, zcarlos.

13 de maio de 2010 17:24

3 comentários:

  1. Marcelo, meu caro. Certamente você sabe a origem do PNDH, portanto nem vou comentar sobre isso.
    Você insiste no controle social dos meios de comunicação, quando o que é proposto é tão somente a não concentração de meios para apenas alguns grupos.
    Se o Governo, seja do PT ou de qualquer outro partido, quiser controlar efetivamente a mídia, você meu caro Marcelo, deve saber muito mais do que eu, que basta bloquear as verbas publicitárias. A melhor maneira de combater a mídia é pelo bolso, você sabe disso!
    Penso até que um dos erros deste Governo é liberar verbas publicitárias para veículos inidôneos, tais como Estadão, Folha, Globo, Abril e etc. que, hipócrita e covardemente dizem-se imparciais e independentes, quando na verdade todos sabem seus posicionamentos. Por que não assumem suas posições? A mídia americana, tão considerada pela nossa mídia tupiniquim, pelo menos tem a coragem de assumir uma posição. Bem ao contrário da nossa grande mídia venal.
    Compreendo que você não queira comentar sobre a concentração dos veículos em mãos de poucos grupos. Direito seu.
    Sobre a insinuação de chavismo, penso que você deveria pesquisar um pouco mais, e não ficar apenas com o Estadão de fonte que, convenhamos, não é nada confiável. Ou você também não sabe disso?
    Quanto as "luletes" da CNBB como você cita, considero isso como um ataque desnecessário e desrespeitoso com figuras do clero que lutaram contra a ditadura. Falo isso sem tomar as dores da CNBB ou de seus Bispos, mesmo porque sou agnóstico - você deve saber - e não creio em nenhuma dessas figuras: CNBB, Bispos, padres, pastores etc. Mas respeito o posicionamento de algumas figuras do clero, homens como nós, que foram contra a ditadura imposta pelo golpe militar de 64, suas torturas e assassinatos.
    Fico pasmo de você afirmar que essas "luletes" da CNBB foram as que pariram o PT. Mesmo com a ressalva que você faz que sobre os sindicatos do ABC. Mais pasmo ainda fico com sua afirmação de que o PT é um partido ultra reacionário.
    Sugiro que você leia mais a respeito de Ciência Política: veja o que é o poder; o que são os partidos políticos; quais os objetivos de um partido político; como se chega ao poder... enfim, pesquise sobre isso. Mas não na Wikipedia, por favor, procure ler sobre Filosofia - a base de tudo: Aristóteles, John Locke, Rousseau, Maquiavel, Espinoza, Voltaire, Marx, Weber etc.
    E, por último, você pode até conhecer o credo católico, não sei até que ponto. Como agnóstico também conheço o credo católico e, assim como você, ou até mesmo mais do que você,(porque acho que você ao ser perguntado sobre religião, deve declarar-se católico), não tenho obrigação nenhuma de concordar com a política secular do Papa. Se, no entanto, você considera-se católico, deve crer no dogma da infabilidade papal.
    Saúde e Paz meu caro Marcelo.

    ResponderExcluir
  2. Desta vez, não pretendo estender isso aqui para outra postagem.

    Só devo acrescentar que a infalibilidade papal só vale para fé e doutrina. Não vale para mais nada. Se o Papa até hoje não reprimiu as bandalheiras políticas da CNBB, ele incorre, sim, em grave erro de gestão pastoral, assim como seus antecessores Paulo VI, João Paulo I e João Paulo II.

    Mais um exemplo: se amanhã o Papa resolver torcer pro Internacional, nenhum católico gremista seguirá o Papa. Isso te garanto.

    Como tudo na vida, sei distinguir os maus dos bons. Isso vale para o clero. Alguns bons eu conheço. Mas infelizmente alguns picaretas são figuras notórias, temas da minha primeira postagem de hoje

    Abraço pra você, zcarlos.

    ResponderExcluir
  3. Outra coisa: eu também sei distinguir o que presta e o que não presta no Estadão. Tanto que não considero o jornal inteiro. Mas já que isso incomoda tanto, faço questão de mante-lo como fonte.

    Só não cito veículos panfletários adjetos tipo Veja, Folha e Granma, porque aí seria provocar demais.

    Aliás, bem que os jornais citados poderiam se chamar Falha de São Paulo e Grama (que só os quadrúpedes gostam)...

    Por fim, se aceitar alianças com Sarney, Renan, Jucá, Barbalho, Maluf, Eduardo Cunha e outras figuras do mesmo naipe não faz do PT um partido ultra reacionário, confesso minha ignorância sobre o que é ser ou não ser reacionário.

    ResponderExcluir