Política, cultura e generalidades

sábado, 10 de abril de 2010

Veneno de sogra e "test drive" de casamento


Pelo menos desde 1989 eu nunca mais assisti uma telenovela inteira. Esse gênero de programa é dado à alienação e a histórias sem nexo, sem pé nem cabeça. E é um saco ficar nove meses grudado a um programa de TV. A única coisa a que faria questão de ficar nove meses grudado seria a um filho, se fosse mulher e engravidasse. Não é à toa que admiro as mães, que abrigam os filhos (meninos e meninas) em seu ventre esse tempo todo.

Essa novela global Viver a Vida é uma das coisas mais idiotas já produzidas na TV brasileira. Só se salvam nela dois itens: a trilha sonora (MPB de primeira qualidade) e a história da modelo tetraplégica Luciana.

Ontem, Luciana teve que aturar mais grosserias da Ingrid, a mãe de seu noivo Miguel. E grosserias da pesada, envolvendo sexualidade. Como se todos os tetraplégicos fossem desprovidos de sexualidade e até da malícia necessária para a vida sexual.

Luciana teve que responder com malícia, também. Falou do "test drive" de casamente que pretende ter com Miguel.

Digo e repito: Manoel Carlos já devia ter encomendado uma música para o Dicró, em homenagem à Ingrid.



Nenhum comentário:

Postar um comentário