Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 19 de abril de 2010

TV Globo tucanou ou não tucanou?

Como diz aquele antigo programa global... Você decide.

Repito o que escrevi em outro blog:

Os petistas reclamarem da coincidência do número 45 é chilique, chororô e criancice da parte deles. Todos sabiam desde que o mandato de presidente passou a ser de 4 anos que em 2010 a Globo completaria 45 anos e fatalmente o PSDB lançaria candidatos a presidente e governador (em alguns estados) obrigatoriamente com o número 45.

O slogan, sim, é suspeito. Cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral. Mas, graças à blogosfera, a própria Globo suspendeu a campanha. Também, a mierda fedeu tanto que não deu pra esconder.

A blogosfera tem o poder! Duro é aguentar as recaídas chavistas do Blog do Miro.

Isso tudo me lembra a campanha de prefeito em 2004. Naquele ano, o senador Marcelo Crivella (à época no Partido Liberal) se candidatou a prefeito do Rio. Na época eleitoral (entre agosto e setembro), a Igreja Universal dirigida pelo titio Edir Macedo lançou uma campanha chamada de Salmo 22. O mesmo número do PL e de Crivella.

Na época, o TRE multou a TV Record (que veiculava os programas com a campanha Salmo 22) e tirou a TV do ar por 24 horas.

Fonte: Blog do Miro.

TV Globo adota lema de José Serra



Por ser uma concessão pública, a TV Globo deveria ter a sua outorga reavaliada imediatamente. Ousada e descarada, ela assumiu de vez o papel de comitê de campanha de José Serra. Para comemorar os seus 45 anos de existência, ela adotou como mote o mesmo slogan da campanha do demotucano – “O Brasil pode mais”. Durante 30 segundos, artistas e jornalistas da emissora repetem “todos queremos mais”, “Brasil muito mais”, “saúde, educação, queremos mais”. Outra referência à campanha de Serra é o destaque ao número 45, o mesmo do PSDB nas eleições.

Para o jornalista Paulo Henrique Amorim, do blog
Conversa Afiada, "deve ter sido uma retribuição ao agasalhamento do terreno que a Globo invadiu por 11 anos e o Serra transformou numa escola técnica para formar profissionais para a Globo. Uma mão lava a outra. E cada vez ‘mais’". O vídeo comemorativo é um típico crime eleitoral. Veja acima e fique esperto. Não se deixe enganar pelas técnicas de manipulação da Globo.

Traduzindo o que o Miro disse: se for votar no Serra, vote por sua própria cabeça e por sua conta e risco. É venda casada. Tem que levar o pacote todo.

Fonte: O Kylocyclo.

Rede Globo cancela vídeo acusado de tendenciosismo eleitoral

Durou pouco a festa da Rede Globo. Veja aqui os detalhes em texto publicado no portal
Terra e reproduzido por Paulo Henrique Amorim:

Globo decide suspender comercial acusado de ser pró-Serra

Claudio Leal

Para não “ser acusada de tendenciosa” e favorável a José Serra (PSDB), a Central Globo de Comunicação decidiu suspender a veiculação da campanha institucional dos seus 45 anos. Segundo a emissora, a propaganda havia sido elaborada em novembro de 2009.

O coordenador da campanha da pré-candidata
Dilma Rousseff (PT) na internet, Marcelo Branco, criticou a “mensagem subliminar” da propaganda, acusando-a de inspirar-se no lema de Serra, “O Brasil pode mais”. No texto lido por atores e jornalistas, há a repetição da palavra “mais”: “Todos queremos mais. Educação, saúde e, claro, amor e paz. Brasil? Muito mais. É a sua escolha que nos satisfaz. É por você que a gente faz sempre mais”. A idade da Globo, 45 anos, coincide com o número da legenda do PSDB, 45.

Fonte: Aluizio Amorim.

Globo se rende ao terrorismo cibernético

Aproveito o post do Reinaldo Azevedo a respeito do péssimo procedimento da Rede Globo que tirou do ar um vídeo institucional de comemoração aos 45 anos da emissora submentendo-se à pressão da bandalha do PT. Motivo: os "terroristas cibernéticos" do bunker da Dilma implicaram como o fato de que o conteúdo do filme refere-se ao 45, que é o número do PSDB e que haveria propaganda subliminar em favor de José Serra. Mais uma prova de que o PT está completamente desesperado.

Reinaldo pegou bem e foi direto ao ponto. Reproduzo e assino embaixo:

A Rede Globo tirou do ar a tal propaganda institucional que o PT acusava de fazer propaganda subliminar da candidatura de José Serra. Tratava-se de um delírio dos petistas, que vivem acusando complôs da tal “mídia” para, assim, poder controlá-la.

Péssima decisão! A Globo cede à patrulha e demonstra que, a depender do caso, decisões podem ser tomadas com base no clamor público — que, ademais, é falso porque a rede petista na Internet vive, na prática, de si mesma. O que quero dizer com isso: são sempre os mesmos circulando em torno do próprio eixo, dando a falsa impressão de que se trata de um movimento de opinião pública.

E qual é a prova de que a Globo fez mal? O fato, como ela vai verificar, de que nem por isso a “canalha” vai se acalmar. Ao contrário: agora é que ela vai ficar excitada, afirmando, então, que estava mesmo certa. E isso é só o começo.

A Central Globo de Comunicação emitiu a seguinte nota:

"O texto do filme em comemoração aos 45 anos da Rede Globo foi criado - comprovadamente - em novembro do ano passado, quando não existiam nem candidaturas muito menos slogans. Qualquer profissional de comunicação sabe que uma campanha como esta demanda tempo para ser elaborada. Mas a Rede Globo não pretende dar pretexto para ser acusada de ser tendenciosa e está suspendendo a veiculação da campanha."

Comento: Trata-se de uma nota desastrada, típica de quem se deixa acuar pela patrulha. Afinal: 1) se a campanha foi criada antes, por que tirar do ar?; 2) por que escrever “comprovadamente”? O PT se tornou agora uma autoridade com poder de exigir “provas” sobre decisões das empresas?; 3) a Rede Globo não quer “ser acusada” por quem? Pelos petistas? Sempre será! Ela e toda a “mídia” que eles chamam “golpista”. Afinal, para pertencer a tal categoria basta que se faça pura e simplesmente jornalismo.

Postado por Aluizio Amorim às 4/19/2010 07:01:00 PM

2 comentários:

  1. A Globo, como não poderia deixar de ser, pelo que é, petezou! Preparou um filme durante meses, gastou rios de grana (deles) e depois, por causa de um bafafá de pseudos analistas, retirou o filmezinho do ar.

    Se isto é "tucanar", Serra está ferrado!

    ResponderExcluir
  2. É por tudo isso que lancei uma pergunta, não uma afirmação a respeito. E ainda coloquei o texto do Aluizio Amorim, para arrematar a postagem.

    ResponderExcluir