Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Puro conceito sobre rádios gospel

Ronaldo

Puro Preconceito

Prezados, esta comunidade até aonde eu saiba é destinada para discutir sobre o rádio e não para atacar a religião alheia. E mais, muitos aqui criticam o fato da Nossa Rádio oferecer uma programação evangélica. Mas, estas mesmas pessoas desconhecem que nesta emissora há profissionais de respeito e que se dedicam em fazer o melhor para o público cristão, que é um público fiel e que a cada dia cresce mais. Muitos destes profissionais (Radialistas e Jornalistas, me incluo neste meio), não são ligados à igreja Igreja da Graça.

Quanto a programação da Nossa Rádio posso dizer que a mesma é ouvida por pessoas de todos os credos. Muitos aqui criticam as chamadas rádios gospel, mas se esquecem que nos Estados Unidos, também há rádios gospel e que as mesmas não são tratadas com o mesmo preconceito. Lá, ao contrário do que acontece aqui, os cantores gospel são reconhecidos e tocam em rádios seculares. Vale lembrar que muitos artistas americanos começaram cantando em corais das igrejas. E outra, a música gospel no Brasil (com algumas exceções) não fica devendo em qualidade aos outros segmentos. Prova disso é o fato de cantores como Aline Barros, Regis
Danese, Oficina G3 e outros terem sido indicados ao Grammy Latino. A mídia em geral tem reconhecido que a música cristã é boa e por isso há uma constante presença de cantores gospel na TV em programas da Band, SBT e até da TV Globo.

Mas, voltando ao assunto ao qual é destinada esta comunidade, o rádio. Pode-se dizer que a saída da Nossa Rádio FM e a chegada da Globo nos 89,3 FM, não vai mudar em nada o dial carioca, uma vez que vai ser mais uma AM transmitindo em FM, o que significa: 1) Menos opções para o público em geral (evangélicos ou não - a segmentação é uma realidade), 2) Menos espaço para as manifestações culturais e artísticas, 3) Menos espaço para a informação e liberdade de expressão e 4) Menos empregos para os radialistas. Então, podemos dizer que esta mudança não acrescenta em nada, pelo contrário só diminui.
Abraços.

Benício

Menos picaretas, charlatães, lavadores de cérebro alheio no dial carioca. Ah, Sr. Armando Campos, que bom seria se o senhor retomasse a frequência dos 104,5 MHz e recolocasse de volta a Tropical e banisse a igrejola que lá está...


Marcelo

Puro Conceito

Não é preconceito, Ronaldo. É CONCEITO mesmo, porque estamos tratando de algo que conhecemos. Preconceito seria se falássemos de algo que desconhecemos (pré-conceito). Mas não é o caso.

O caso da Rádio Deles e de FMs ligadas a igrejas neopentecostais é de pura picaretagem gospel. As rádios só servem de propaganda para a teologia mercantil dos líderes das igrejas (o fiel só é abençoado se deixar bastante $$$ nos cofres da igreja). Sem contar que essas rádios FMs gospel são puro jabá das gravadoras ligadas aos donos das franquias (Nossa Rádio - Graça Music, 93 FM - MK, 104,5 e Rede Aleluia - Line Records, Gospel FM - Gospel Records).

Por outro lado, gostamos das rádios evangélicas que prestam serviço para a comunidade como um todo. Como a Rádio Relógio e a Boas Novas. E apreciamos os profissionais que trabalham em todas essas rádios (picaretas ou não), porque eles não tem culpa pela má conduta dos patrões. Tanto que respeitamos também os radialistas de rádios chinfrins tipo Beat 98, FM O Dia, Nativa e outras.

Sobre a música gospel brasileira, é óbvio que a mídia secular divulga não por amor ao Evangelho ou respeito aos artistas. É que no atual mercado fonográfico, só o público consumidor de música gospel continua comprando CDs originais. A música gospel é a tábua de salvação (financeira, não eterna) da indústria fonográfica e da mídia associada. Ou alguém aí acredita que a Som Livre partilha do ideal dos artistas evangélicos e dos artistas católicos que contrata? Ou alguém crê que a Sony Music acredita que a banda Resgate (que lançará CD de inéditas em maio) é uma banda de excelentes músicos? Coisa nenhuma. É interesse pela massa que só compra CDs originais porque acredita que comprar CD pirata ou baixar da Internet é pecado, conforme dizem os pregadores. Enquanto isso, o público consumidor de música secular está é baixando sem dó nem piedade.

Quanto a mim, você não me conhece. Saiba que eu sempre fui crítico das rádios AM+FM (CBN, Tupi e agora Globo) desde a fundação do TRIBUTO em 2002. E saiba que eu e o Alexandre Figueiredo mantemos juntos o blog Preserve o Rádio AM, que fala deste e de outros assuntos relativos ao rádio AM.

Textos escritos em 30 de abril de 2010 para a comunidade Dial AM e FM do Rio de Janeiro. Publicados também no Tributo ao Rádio do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário