Política, cultura e generalidades

terça-feira, 20 de abril de 2010

Numerologia eleitoral


Já que os esquerdistas, sem ter o que fazer de útil, resolveram cismar com a campanha Globo 45 anos mesmo após a Globo ceder à chantagem chavista, este blog resolveu colaborar, apontando mais algumas campanhas subliminares para partidos políticos, a maioria envolvendo números.

Para contrabalançar a campanha Globo 45, o Azenha, o Paulo Henrique Amorim e o Luis Nassif lançarão a campanha 13 anos sem emprego na Globo.

Os petistas querem que a Globo comemore seus 44 anos e 12 meses.

Indo pelo mesmo raciocínio, os programas vespertinos não podem mostrar tarológas mostrando a carta 13.

Lula baixará um decreto proibindo que os brasileiros e as empresas que atuem no país façam 45 anos.

Lula também emitirá um projeto de lei proibindo a fabricação e venda de sapatos tamanho 45.

As prefeituras terão que proibir os prédios e casas de terem o número 45 no endereço.

As vagas de estacionamento que estiverem em 45 graus terão que ser mudadas de posição.

Atenção, professores de História! Vocês serão proibidos de dizer em salas de aula que a Segunda Guerra Mundial terminou em 45.

Falando em História, Winston Churchill faleceu em 1965, portanto, há 45 anos, só para fazer propaganda subliminar para o Serra em 2010.

Lula pedirá à Fifa que o futebol passe a ser jogado em dois tempos de 46 minutos.

O PT vai processar a MTV, cujo canal na Net é o 25. Propaganda subliminar do DEM.

O canal Discovery Kids terá que mudar seu número na Net. Afinal, as crianças pedem para os pais digitarem 45 no controle remoto.

O PT também exigirá a mudança do canal FX. Afinal, 54 nada mais é do que propaganda subliminar do 45, né não? 54 é 45 ao contrário...

A Telefonica terá que mudar seu código DDD. 15 é propaganda subliminar do PMDB.

Idem a Embratel. 21 é propaganda subliminar do PCB.

Idem a Intelig. 23 é propaganda subliminar do PPS.

Idem a Oi. 31 é propaganda subliminar do PHS.

O Ibama baixará decreto proibindo os tucanos de voarem nos céus do Brasil. As aves estão fazendo campanha subliminar do Serra.

Ficará proibido cantar para as crianças aquela música infantil "serra, serra, serra serrador...".

Será proibido o forró pé-de-serra. O PT só aceitará forró pé-de-Dilma.

A partir de agora, para não desagradar petistas, não se fale mais "deu mais que chuchu na serra", e sim "deu mais que chuchu na Dilma".

A repórter Cristina Serra da TV Globo terá que mudar o nome para Cristina Corta-Árvores.

Se José Serra chegar aos 45% nas pesquisas do 2º turno (ou quem sabe no 1º), os institutos de pesquisa terão que desarrendodar a porcentagem para 44,9%. O Datafolha, só pra provocar, arrendondará para 46%.

Um comentário:

  1. Realmente, não, Marcelo? É preciso mudar muita coisa nestas plagas para evitar propaganda subliminar do Serra, do PSDB e de tantos outros partidos. Muito boas suas tiradas!
    Também com os petistas dando inspiração, o que não faltam são piadas.

    ResponderExcluir