Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Fraude nas urnas eletrônicas à vista


Fonte: Lilicarabina.

quinta-feira, 22 de abril de 2010
NOVO ESCÂNDALO POLÍTICO DEVE ESTOURAR A QUALQUER MOMENTO!!!

(A Notícia já vazou em Brasília. Agora falta um Roberto Jeferson da vida, colocar a boca no trombone ao também sentir-se prejudicado.)

Manipulação do sistema de votação (Software) da Urna Eletrônica em desenvolvimento (Ultra Secreto ) nos laboratórios de Tecnologia da Informação (TI) do governo visando a adulteração do resultado do pleito de Outubro de 2010, de modo a garantir a eleição de uma determinada candidata de preferência do establishment sociopolítico dominante atual do Brasil.

Esse projeto secreto, conhecido no submundo petista como "Milagre da Multiplicação dos Pães" ou, em resumo "3 prá nóbis, 1 prá vóbis", se destina, através de um programa fraudulento ou malicioso previamente inserido no chip do computador que programa as urnas antes da operação chamada pelos técnicos de "inseminação das urnas", a computar sempre - para determinado(a) candidato(a) - 3 de cada 4 votos digitados, independentemente de qualquer que seja o candidato de preferência do eleitor, voto em branco, voto nulo, de forma a assegurar a sua eleição já no 1º turno.

Pasmem! A situação se agrava muitíssimo pelo fato de o TSE não permitir que os partidos políticos tenham acesso aos softwares que rodam na urna eletrônica ou são que usados na totalização, em parte preparados pela Agência Brasileira de Informações (ABIN) através de um órgão chamado Cepesc - especializado em criptografia - que ajuda ao Tribunal Superior Eleitoral - TSE desde os tempos do falecido SNI. Tudo acertado direitinho ... silenciosamente ... detalhadamente ... "legalmente" ... Não permitir a auditoria é uma evidência da fraude!

Agora, imaginem só: Se a máfia do governo está se lixando pro TSE, passando por cima de sua legislação com o totalitário rolo compressor do PT, com a estapafúrdia escancarada antecipação da campanha eleitoral, o que o impediria de lançar mão de mais essas e outras maracutáias do seu vasto e infindável repertório de sujeiras, escândalos, maldades e ilegalidades para se garantir no poder por mais quatro anos? Dopar softwares, adulterar programas, corromper sistemas de apuração? Isso é pouco!

Paralelamente, está sendo programada uma maciça produção de cartazes, bandeiras, faixas e galhardetes para inundar as cidades brasileiras (principalmente nos municípios mais pobres do interior), no dia da eleição (boca de urna, voto-cabresto, vale-voto etc), com a contratação (por R$ 30,00/pessoa) de milhares de beneficiados dos "bolsas-famílias", "bolsas-isso", bolsa-aquilo" de modo a dar a impressão da "confirmação" do "resultado" das urnas eletrônicas viciadas, preparadas, fajutadas.

Você pensa que essa é uma "patrulha anti-petista"? Então vá à página do Google e digite essas palavras: "Urna Eletrônica Fraude" e clique em "Pesquisar". Está aí, escancarado! Não vê quem não quer ver! Ou quem está satisfeito tirando proveito da situação ...

Enviado por Sandra Fiore

Um comentário:

  1. Em Saquarema-RJ aconteceu um fato muito estranho. Antes das eleições de 2012 era só andar pelas ruas e perguntar em quem o eleitor iria votar que a resposta era unânime: Pedro Ricardo, candidato da oposição. Pois bem, o rapaz perdeu em todas, eu disse todas as 173 urnas da cidade. Perdeu e perdeu de muito. O mais estranho é que hoje, dois meses após as eleições, você vai às ruas e os eleitores continuam unânimes em dizer que votaram em Pedro Ricardo. Seria muito mais cômodo para o eleitor dizer que votou na candidata vitoriosa. Mas não, o eleitor bate o pé afirmando que votou no outro. Curiosamente, é difícil encontrar alguém que confirme que votou na candidata vencedora, que coincidentemente é a esposa do deputado estadual Paulo Melo, presidente da ALERJ. Existem vários relatos da internet e inclusive vídeos no YOUTUBE atestando a vulnerabilidade das urnas eleitorais. Está lá pra quem quiser assistir. Esse triunvirato: Sérgio Cabral, Luiz Zveiter e Paulo Melo atenta contra a democracia. Todos os poderes encontram-se de um lado só da balança, prejudicando a alternância do poder, principal filosofia democrática. O fato é que não adianta espernear, pois o TSE, por mais que existam evidências que comprovem, jamais irá admitir fraudes em suas 'caixas pretas'. O ideal seria que a urna eletrônica emitisse, também, um cupom onde mostrasse em quem o eleitor votou. E que esse cupom fosse colocado numa urna tradicional ao lado dos mesários, para fins de comprovação posterior. Uma coisa é certa: nenhum outro país no mundo, depois de examinar, quis comprar nosso ‘avançadíssimo, rápido e moderno' método de escrutínio, nem o Paraguai.

    ResponderExcluir