Política, cultura e generalidades

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Lula e o regime de 1964


Na data de hoje, 46 anos depois da grande palhaçada de 1964, temos aqui um depoimento de um grande líder democrata (1º de abril, gente!) sobre aquele regime.

Fonte: Dois em Cena.

Depoimento de Luiz Inácio Lula da Silva, em 03/04/1997 (época do governo FHC), a Ronaldo Costa Couto e publicado no livro Memória ‘Viva do Regime Militar. Brasil: 1964-1985 - Editora Record 1999’.

“(...) o regime militar impulsionou a economia do Brasil de forma extraordinária. (...) Se houvesse eleições, o
Médici ganhava. E foi no auge da repressão política mesmo, o que a gente chama de período mais duro do regime militar. A popularidade do Médici no meio da classe trabalhadora era muito grande. Ora, por quê? Porque era uma época de pleno emprego. Era um tempo em que a gente trocava de emprego na hora que a gente queria. Tinha empresa que colocava perua para roubar empregado de outra empresa (...)”

“(...) acho que há uma coisa que a gente tem de levar em conta. Depois do
Juscelino, que estabeleceu o Plano de Metas, os militares tinham Planos de Metas. O Brasil vai do jeito que Deus quer. Não existe projeto de política industrial, não existe projeto de desenvolvimento. E os militares tiveram, na minha opinião, essa virtude. Ou seja, pensar o Brasil enquanto Nação e tentar criar um parque industrial sólido. indústrias de base, indústrias de setor petroquímico (...). Isso, obviamente, deu um dinamismo. É por isso que os exilados, quando voltaram tiveram um choque com o Brasil. Porque o Brasil, nesse período, saiu de um estado semi-industrial pra um estado industrial (...)"

Vem cá... Contra qual regime lutou a ex-guerrilheira Dilma Rousseff, mesmo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário