Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Ex-MPB FM é a trilha sonora do PiG

MPB FM
O Partido da Imprensa Golpista (PiG) não se contenta em interferir apenas na vida política do país. Ele aplica golpes também na história da MPB, divisão da música brasileira que combateu o regime de 1964. O mais novo golpe da praça é o revisionismo histórico.

Revisionismo histórico é quando alguém com interesses escusos procura distorcer a verdade histórica a seu bel prazer. O presidente Mahmoud Ahmadinejad, outros extremistas árabes e os neonazistas são um exemplo disso. Negam que tenha havido o Holocausto. Chegam a dizer que aquelas imagens são produções de Hollywood.

Está havendo também um revisionismo histórico na MPB. As oligarquias políticas e culturais tentam empurrar para o rótulo da MPB muita coisa que não pertence ao gênero, como descrevi em artigo anterior.

A Ex-MPB FM 90,3, outrora MPB FM, torna-se neste cenário a trilha sonora do PiG. A rádio já tinha promovido Benito Di Paula e Odair José para a programação normal. E o malfadado programa Noite Preta de Preta Gil coleciona em apenas três edições uma boa amostra da trilha sonora do inferno. Depois de ter tocado Fábio Jr, Claudinho & Buchecha e Harmonia do Samba na estreia, a terceira edição brindou (?) seus ouvintes com Joana e as músicas Rebolation (Psirico) e Adocica (Beto Barbosa). Preta Gil acabou com a MPB FM, agora Ex-MPB FM. Encheu a rádio dessas músicas jabazentas da Música de Cabresto Brasileira.

Continuaremos acompanhando o golpe do PiG contra a MPB e a outrora MPB FM.

Publicado originalmente no Tributo ao Rádio do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário