Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Beija-Flor ignora escândalos de Brasília

Pudera. O que esperar de uma escola dirigida por bicheiros?

Neguinho da Beija-Flor disse que o povo não liga pra escândalos. Concordo com ele. Se o povo ligasse pra escândalos, não elegeria figuras como FHC, Lula, Serra Burns, Cabral Filho, Dudu Paes, Jader Barbalho, Renan Calheiros, Sarney (pai e filhos) e José Roberto Arruda.

Fonte: O Dia.

Cheia de garra, Beija-Flor faz desfile grandioso sobre Brasília, mas corre no final

Última escola a desfilar na madrugada desta segunda-feira, a Beija-Flor levou para a Avenida um enredo sobre os 50 anos de Brasília. Apesar do alto nível da apresentação e da garra dos componentes, a azul-e-branco de Nilópolis teve que correr no final para não estourar o tempo. Um ano após vencer a luta contra o câncer, o intérprete Neguinho da Beija-Flor esbanjou talento e animou as arquibancadas.

Com alegorias luxuosas e imponentes, a Beija-Flor deixou do lado de fora da Sapucaí toda a pressão dos bastidores surgida com o escândalo político em Brasília e fez o que mais sabe: desfilar. Diferente de outros anos, a agremiação não terminou sua apresentanção de maneira apoteótica, já que teve que correr.

A comissão de frente, coreografada por Gislaine Cavalcanti, exibiu movimentos precisos e dinâmicos, além de um figurino exuberante. O pássaro-símbolo da escola surgiu na Avenida e ganhou vida através de uma componente do grupo, que interagia com um tripé que simboliza a Catedral de Brasília. O experiente casal de mestre-sala e porta-bandeira Claudinho e Selminha caprichou e teve o melhor desempenho em anos.

Comandada por Plínio, Rodney e Binho, a bateria passou cadenciada e fez apenas uma paradinhas. Enquanto passavam diante da primeira cabine de jurados, os jurados cometeram um pequeno deslize, o que deixou o trio de diretores bastante estressados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário