Política, cultura e generalidades

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Ex-líder interino da Renascer em Cristo deixou a igreja

Zé Bruno
Eu já sabia que isso aconteceria um dia. A pregação que o bispo José Bruno apresentava nos cultos transmitidos pela Gospel FM sempre teve uma grande diferença em relação à pregação mercenária dos líderes da igreja. José Bruno sempre preferiu aquelas pregações sobre valores que as igrejas evangélicas sustentam desde a Reforma.

A despeito de não ter saído da Renascer brigado com o ex-chefe Ap. Estevam Hernandes, parece que José Bruno anda incomodado com os descaminhos da igreja evangélica brasileira, quem sabe não apenas da Renascer. Quem sabe não esteja desejando uma Reforma da Reforma...

É bem provável que não tenhamos mais a banda Resgate utilizando pregações e até imagens do Ap. Estevam em suas músicas e apresentações ao vivo.



Fonte: gnoticias.com.br.

Bispo Zé Bruno, braço direito de Estevam Hernandes e líder da banda Resgate, deixou a Igreja Renascer


Por Renato Cavallera em sexta-feira, 26 fevereiro 2010

Tags: Bispo Zé Bruno, Deputado José Bruno, Deputado Zé Bruno, José Bruno, Porque o Bispo Zé Bruno da Renascer, Zé Bruno, Zé Bruno Renascer, Zé Bruno Resgate, Zé Bruno saiu da Renascer


O Bispo Zé Bruno, braço direito do apóstolo Estevam Hernandes e líder da banda de rock gospel
Resgate, anunciou seu desligamento da Igreja Renascer em Cristo. Jose Antônio Bruno, seu nome verdadeiro, não é mais o Bispo Primaz e líder da região sul de São Paulo das igrejas Renascer, nesta terça-feira (26 de fevereiro) ele anunciou que está saíndo da Igreja Renascer devido a uma nova direção que Deus teria dado a sua vida.

Apesar de repentina, a saída pareceu ser tranquila e sem brigas. Em seu twitter o fundador e líder da Renascer, o Apostolo Estevam Hernandes, falou sobre a saída de Zé Bruno da Renascer: “o Bpo Zé Bruno, realmente saiu da Igreja Renascer, na paz e na benção (…) ele continuará sempre um filho amado e querido”.

Em comunicado oficial, a assessoria de imprensa da Igreja Renascer em Cristo confirmou a saída de Zé Bruno: “o desligamento aconteceu (…) por motivos pessoais, foi recebido com tristeza pelos líderes da Renascer, porém, com respeito pela decisão do Bispo”.

No orkut e no twitter a comoção foi imediata “Onde ele pregar com certeza quero ir ouvir… edificante cada palavra que lembro de Deus através da sua vida”, disse um membro na comunidade oficial do bispo.



Bispo Zé Bruno na Renascer


Além de bispo e guitarrista da banda Resgate, Zé Bruno é um político atuante, é deputado estadual por São Paulo. Junto com algumas denuncias a Igreja Renascer, chegou a ser investigado por ter seu nome supostamente envolvido com igrejas laranjas para lavagem de dinheiro e sonegação de impostos, mas até hoje nada foi comprovado. O Bispo Zé também participou de várias gravações do Renascer Praise, coral gospel da Igreja Renascer.

Zé Bruno se tornou líder interino de toda a Igreja Renascer durante o periodo em que Estevam e Sônia Hernandes estiveram presos nos Estados Unidos. Hoje os cargos e ministérios que o Bispo comandava na Renascer são liderados pelo Bispo Lê. Neste ano, Zé Bruno compareceu poucas vezes nos cultos da Renascer, mas seus irmãos continuam em seus cargos na igreja.

Zé Bruno e o Resgate

Como o líder da banda Resgate lançou 10 CDs, todos pela gravadora da igreja, a Gospel Records.
Em recente entrevista, o diretor da recém lançada gravadora Gospel da Sony Music anunciou que contratou a banda Resgate, sendo ela é um dos primeiros artistas do casting do selo. Zé Bruno é líder, vocalista, guitarrista e principal compositor da banda.


Para onde Zé Bruno vai


Ainda não foi revelado se Zé Bruno irá criar uma nova denominação ou congregará em alguma outra já existente. O Bispo e Deputado Estadual ainda não se pronunciou sobre o fato. Casado com a Bispa Blanche Bruno, José Bruno tem três filhos: Lucca, Vitória e Guilherme.

Reincidência

Anteriormente um outro membro de confiança do Apostolo Estevam Hernandes também deixou a Igreja Renascer, o Ap Rina fundou a
Igreja Bola de Neve em 2000 utilizando praticamente a mesma doutrina que empregava na igreja Renascer, apenas com o foco dos evangelismos alterado.

P.S: Agora fiquei sabendo na comunidade do Resgate no Orkut que o bispo Jorge Bruno, irmão de Zé Bruno, baterista do Resgate e ex-líder da Igreja Renascer Regional Guarulhos, também deixou a Renascer.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

“A cabeça de Fidel está melhor que a minha”

Declaração preocupante de Lula, referindo-se ao ditador cujo regime já executou dezessete mil pessoas.

Fonte: montedo.com.

Malhação põe uma pá de cal no pop-rock dos anos 00


Pelo menos pra uma coisa o CD de 2010 da trilha sonora do seriado global Malhação serve: pra jogar uma pá de cal nessa indigente geração do pop-rock brasileiro dos anos 00 (2000-2009).

É que a fórmula do novo CD é simples: nomes da geração dos anos 00 regravaram sucessos dos artistas do pop e do rock brasileiro dos anos 80. Quanta diferença! Que covardia fizeram com as crianças! Aquela geração oitentista é que foi, sim, uma geração de ouro. Que resplandece ainda mais se compararmos as versões originais destas músicas (que tocaram à exaustão no rádio e rolam hoje livremente na Internet) com estas versões muquiranas deste CD de Malhação.

Aqui temos trechos das faixas deste novo CD, destacando as bisonhas regravações que os ídolos adolescentes surgidos na década passada fizeram para sucessos dos talentosos artistas oitentistas.

P.S: O blog parceiro Planeta Laranja também publicou texto sobre este mesmo assunto.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

O Maldito propõe boicote a jornais não-democráticos

O blog O Maldito está propondo um boicote a alguns jornais. Os textos da proposta são estes:

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

AVISO AO PSEUDOS DEMOCRATAS DE NOSSA IMPRENSA

Caso seja implantado no Brasil um regime que atropela o estado de direito e a livre expressão, que não ousem reclamar estes filhos da puta! Bando de canalhas! Quando inocentes são aprisionados por suas ideias em países como Cuba e Venezuela,e não se vê crítica alguma, suponho que tem coisa errada.

CANCELEM SUAS ASSINATURAS EM JORNAIS NÃO COMPROMETIDOS COM A CAUSA DEMOCRÁTICA

Aqui no sul começem por Zero Hora, Correio do Povo e Diário Catarinense.


Esta lista deverá aumentar. Aguardemos os novos nomes propostos por O Maldito.

Casal namorando nu em praia de Salvador

Dispensa comentários.

Servidora é acusada de usar dinheiro de cestas básicas para comprar picanha e cerveja

Fonte: O Globo.

SP: Servidora é acusada de usar dinheiro de cestas básicas para comprar picanha e cerveja

Publicada em 26/02/2010 às 07h41m
TV TEM

SÃO PAULO - A polícia de Chavantes, município a 346 km da capital paulista, investiga o caso de uma funcionária da secretaria de Assistência Social que teria desviado verba para a compra de cestas básicas para famílias carentes. Carina Aparecida Martins teria usado o dinheiro para comprar produtos para a sua própria casa, como picanha, pão de alho, biscoitos recheados e até isotônicos.

Os produtos constam em notas e cupons fiscais que foram emitidos por três supermercados da cidade em nome da Prefeitura de Chavantes. As compras teriam sido feitas por Carina entre os meses de outubro e dezembro do ano passado. Nos cupons consta até a compra de cerveja com a verba destinada à aquisição de cestas básicas para famílias pobres. Algumas das notas foram assinadas pela assessora.

Um funcionário de um supermercado da cidade atendeu a assessora durante uma compra e achou estranha a lista apresentada por ela.

- As festinhas dentro da secretaria eram constantes, eram rachados entre eles. Diziam que tinha bolinho, festinha? Quem pagava isso? A gente está chegando a conclusão que todo mundo tem culpa lá - reclama o homem, que prefere não se identificar.

A funcionária, que ocupava um cargo de confiança na secretaria, foi exonerada pela Prefeitura. Uma sindicância foi aberta e vai apurar se outros funcionários também estariam envolvidos na possível fraude.

A equipe de reportagem da afiliada da TV Globo na cidade tentou falar com a ex-funcionária. Na residência onde mora, a equipe foi informada de que ela não estava em casa e que havia esquecido o celular. Nas ruas, os moradores estão indignados com o caso.

Segundo a prefeitura, a distribuição de cestas básicas não foi afetada. A polícia investiga quanto teria sido desviado em produtos pagos com verba do município. O delegado já sabe que só com a compra de picanha foram gastos mais de R$1 mil.

Caso se comprove a denúncia, a ex- assessora poderá ser indiciada pelo crime de peculato - que é quando o funcionário se apropria de dinheiro ou qualquer outro bem público. A pena varia de 2 a 12 anos de reclusão.

Ives Gandra Martins e o PNDH-3

Dispensa comentários.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Médicos brigam na sala de parto e bebê morre

Ué, nossa cavalgadura do Planalto não tinha dito que a saúde no Brasil é quase perfeita?

A solidariedade continua


Alexandre Figueiredo disse...

O nosso amigo Marcelo Delfino pode ser polêmico, mas com certeza ele não é ditador nem arrogante. Ele sofre porque, assim como eu e meu irmão, temos senso crítico, o que estraga com as ilusões e credulidades de muita gente.

Delfino procura se informar do meio radiofônico como poucos e a saída dele torna-se uma grande perda para a comunidade Dial Rio de Janeiro no Orkut. Mas, se assim quiseram os que se revoltaram contra ele, que assim seja. A comunidade tornou-se então um feudo dessas pessoas.

Também saí da comunidade Dial Rio de Janeiro, solidário ao Delfino, que continuará com seu blog e o site do Tributo, procurando diminuir a escuridão com sua pequena mas ágil lanterna.

Nossos blogs são feitos para repercutirem a longo prazo. Não se tornam sucessos de uma hora para outra, numa época em que bobagem chama muito mais gente. É o que se vê no Orkut, onde muita comunidade alienada tipo "Eu Odeio Acordar Cedo" (que foi espinafrada até no seriado de TV "A Grande Família") atrai muito mais membros que qualquer comunidade que procure despertar a humanidade.

Reitero aqui minha solidariedade ao Marcelo Delfino.

25 de fevereiro de 2010 18:28

Marcelo Pereira disse...

Puxa, obrigado pela publicação. Não foi puxa-saquismo, não. Vc sempre manteve a coerência.

O povo adora líderes que compactuam com a maioria, com a mídia. Se a ivete sangalo ou mesmo o Paulo Becker tivessem feito o que vc fez, ninguém teria chiado.

O povo quer oba-oba, festa, pinga, sexo e bola na rede. E só isso.

Quem tentar regulamentar e organizar as festinhas bacanais do gran-monde é taxado de ditador sem dó nem piedade.

Não vi nada demais na sua administração da comunidade. Liga, não. Eles estão vendo cabelo em ovo.

25 de fevereiro de 2010 19:19

A privataria demo-tucana, segundo os petralhas


Não sei se os leitores notaram, mas este blog, além de estar acima da esquerda e da direita (daí ser um cimista), não morre de amores pelo tucanalhas, nem pelos demos. Mas não tem a menor vontade de agradar a esquerda brasileira. Muito pelo contrário: este blog nasceu para combater a direita e também a esquerda. Isso está implícito até no nome do nosso blog, uma sátira a um slogan bem conhecido.

Nós quase somos um blog anarquista. Só não somos totalmente porque também somos contra o anarquismo enquanto tal, embora respeitemos alguns anarquistas. Por outro lado, rejeitamos os anarquistas aliados das mais adjetas causas esquerdistas.

O blog Amigos do Presidente Lula exibiu este vídeo abaixo sobre os planos parcialmente malsucedidos de privatização de diversas estatais durante a Era FHC. Só mesmo esquecendo que se trata um vídeo de petralhas que é possível levar este vídeo a sério.

A solidariedade de Marcelo Figueiredo Pereira


Que esta publicação seja minha forma de agradecer ao meu xará.

Marcelo edita o blog parceiro Planeta Laranja.

Fonte: Comunidade Dial Rio de Janeiro.

Conheço o Delfino e sei que ditador ele não é mesmo.

Já vi moderadores de outras comunidades do Orkut cometerem coisas bem piores que o que Delfino cometeu e a maior parte dos membros fica aplaudindo e apoiando.

Brasileiro é povinho maria-vai-com as-outras e só faz o que a mídia manda. Se um líder ou moderador está de acordo com a mídia, ele é obedecido, não é considerado "ditador". A mídia e as regras sociais impõem cerveja, carnaval, futebol e toda o ultra-burocrático cotidiano da vida social. Até para arrumar namorada existem regras injustas.

Fazem tudo que os "fortes mandam, sem analisar se vale a pena ou não. Futebol, por exemplo. Parece que no Brasil, se é obrigado a gostar desse esporte chato e popularesco. Quem não gosta é "estranho", "antipático" e "inimigo". Neste momento uns flamenguistas infelizes berram em plena noite, sem lembrar que outras pessoas trabalham. Berram porque as regras sociais e a mídia mandaram berrar. É esse povinho eternamente modista que chama Delfino de "ditador". Ditador é a mídia!!!

Em solidariedade a ele, vou sair da comunidade. Não precisa me expulsar. Continuem empinando os traseiros com o Paulo Fucker, perdão, Becker e seu "funquinho" de merda e com todo o cocô despejado pelos meios de comunicação.

Rádio R.I.P. Passar bem. Fui!

O caso Dirceubrás

PT
Essas trapalhadas de Zé Dirceu podem causar mais estragos que as trapalhadas dos emocratas de Brasília na campanha do futuro candidato presidencial tucano.

Fonte: Rede de Blogs pela Democracia, reproduzindo O Globo.

Temor é respingar em Dilma

Planalto avalia que negócios de Dirceu podem afetar candidatura

Gerson Camarotti

BRASÍLIA. O Palácio do Planalto classifica como perigosos os negócios de consultoria do ex-ministro e deputado cassado José Dirceu envolvendo informações de governo. A avaliação de ministros próximos ao presidente Lula nas últimas semanas passou a ser o centro de uma preocupação mais ampla de integrantes do núcleo do governo, após notícia de que Dirceu teria recebido R$620 mil por consultoria para o empresário Nelson dos Santos, dono da Star Overseas, nas Ilhas Virgens. A empresa é sócia da Eletronet, companhia praticamente falida que seria beneficiada com o Plano Nacional de Banda Larga, por meio do qual a Telebrás poderá ser reativada.

O grande temor é que a ação empresarial de Dirceu possa criar vulnerabilidades à candidatura presidencial da chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Tanto ministros como integrantes da cúpula do
PT ouvidos pelo GLOBO demonstraram forte constrangimento com as ações do ex-ministro, num momento em que ele retoma visibilidade política ao ser eleito para o Diretório Nacional do partido.

Seu poder de estrago cresceu na mesma proporção. Segundo um ministro, o impacto do lobby na Eletronet só não teve dimensão maior porque o negócio não foi concretizado. Um auxiliar de Lula disse que é praticamente impossível barrar os contatos de Dirceu com integrantes do governo:

- Quem quiser pagar pelo trabalho de consultoria de Dirceu pode pagar. Mas é uma aposta de risco, porque nem tudo o que ele fala é certo.

DEM pede criação de CPI para investigar o caso

Uma fonte do Palácio deixou claro que houve surpresa com o novo tentáculo de Dirceu (a banda larga) e pelo fato de ele deixar de circunscrever sua consultoria a negócios no exterior. O governo tem consciência de que, na condição de ex-ministro, Dirceu tem informação de muitos setores da administração federal e que pode usar isso para fazer negócios. Além disso, ele tem o mapa da mina dos principais interesses privados junto ao Executivo, pois, até julho de 2005, quando caiu após o escândalo do mensalão, coube a ele, como chefe da Casa Civil, receber e dar encaminhamento às principais demandas empresarias. A aproximação com banqueiros, empresários e lobistas foi uma praxe na sua gestão.

- Esse tipo de negócio de Dirceu é o preço pelo seu silêncio. Uma pessoa que detém os segredos que ele tem, assumindo a culpa sozinho, se torna muito poderosa - disse o líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM).

- José Dirceu está há cinco anos fora do governo. Pode ser contratado por qualquer empresa do Brasil ou internacional para dar consultoria - rebateu o líder do governo, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP).

Já o líder do DEM na Câmara, Paulo Bornhausen (SC), defendeu a criação de uma CPI Mista da Telebrás para que sejam apuradas a ação de Dirceu e a valorização das ações da estatal desde 2006, quando começou o suposto vazamento de informações sobre a possível reativação da Telebrás. O DEM pediu ainda apuração rigorosa da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Para Bornhausen, Dirceu "foi, é e continuará sendo o cara (no PT)".

Membro da base do governo no Senado, Renato Casagrande (
PSB-ES) vai propor hoje, na reunião da Comissão de Ciência e Tecnologia, a convocação do ministro das Comunicações, Hélio Costa, e de representantes de entidades empresariais.

COLABORARAM Cristiane Jungblut e Maria Lima

Fonte: Rede de Blogs pela Democracia, reproduzindo Folha de S. Paulo.

Dirceubrás

Fernando de Barros Filho

FOLHA DE S. PAULO em 24/02/2010

SÃO PAULO - José Dirceu tem um blog -o "blog do Zé". Ele o define como "um espaço para a discussão do Brasil". Discutindo o Brasil como quem não quer nada, Dirceu escreveu o seguinte:

"Do ponto de vista econômico, faz sentido o governo defender a reincorporação, pela Eletrobrás, dos ativos da Eletronet, uma rede de 16 mil quilômetros de fibras óticas" etc. etc. etc.

Este é um assunto caro a Dirceu. Seu primeiro post sobre o tema é de março de 2007. Por coincidência, o mesmo mês em que o empresário Nelson Santos contratou seus serviços de consultoria. Ficamos sabendo disso só ontem, pela reportagem de Marcio Aith e Julio Wiziack.

Em 2005, Nelson Santos, dono da "offshore" Star Overseas, sediada nas Ilhas Virgens, havia comprado pelo valor simbólico de R$ 1 a participação em uma empresa à época falida -a Eletronet. Entre 2007 e 2009, o empresário pagou a Dirceu R$ 620 mil por consultorias. Se a Telebrás for reativada, como anuncia o governo, o mesmo bidu que desembolsou R$ 1 pela Eletronet pode sair dela com R$ 200 milhões. Diante disso, o que Santos gastou com Dirceu é fichinha -ou não?

O ex-ministro da Casa Civil de Lula diz que a consultoria versava sobre os "rumos da economia na América Latina". Sabemos que Dirceu não mente. Usou na vida várias máscaras, mas a palavra é uma só.

O homem de negócios e o revolucionário convivem numa boa na pessoa de Zé Dirceu. O capitalismo de Estado e os interesses privados nele se acomodam harmonicamente. Ele é o "bolchebusiness" perfeito. Não há contradições insolúveis no horizonte de um democrata que se mira em Cuba ou de um socialista que topa tudo por dinheiro.

Durante o congresso do PT, vários oradores usaram o microfone para inflamar os companheiros contra o fantasma do "modelo neoliberal". Ninguém lembrou de levantar a voz contra o "modelo neopatrimonialista".

Merrill Lynch mete o bedelho na eleição do Brasil


Fonte: O Globo.

Merrill Lynch considera Meirelles vice "ideal" para Dilma. E Aécio para Serra

Publicada em 24/02/2010 às 22h03m
Felipe Frisch


RIO - O Bank of America Merrill Lynch divulgou relatório na última terça-feira a seus clientes sobre a disputa presidencial no Brasil. O texto, intitulado "Kicking Off 2010 Presidential Election in Brazil" (algo como "Dando o pontapé inicial nas eleições presidenciais de 2010 no Brasil"), diz que o país está caminhando para uma "eleição plebiscitária" entre PT e PSDB em outubro. Trata-se do primeiro relatório de um grande banco exclusivamente sobre o pleito deste ano com análises sobre os prós e contras de cada candidato.

Entre as partes que mais chamam atenção - por de fato dar uma opinião dos executivos do banco -, está a que fala sobre os possíveis candidatos a vice-presidente e que diz que "da perspectiva dos investidores financeiros, o vice-presidente ideal para Dilma Rousseff seria Henrique Meirelles (presidente do Banco Central), mas ainda não existe consenso dentro do PMDB, já que o presidente do partido, Michel Temer, se apresenta como candidato também". A avaliação confirma o nome de Meirelles como uma forma de agradar ao mercado financeiro.

Já para a provável candidatura de José Serra, o banco avalia que o atual governador de São Paulo "lidera as pesquisas e poderia ter um desempenho ainda melhor se o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, for convencido a se juntar à chapa como vice-presidente".

Do ponto de vista do perfil dos candidatos, o banco avalia que, caso o PSDB saia vencedor, os investidores "podem desenvolver expectativas positivas a respeito de um maior compromisso para aprovar as reformas constitucionais que levem a uma redução de despesas do governo e uma reorientação das agências regulatórias na direção de uma menor interferência do governo". Mais adiante, o texto destaca que "as reformas constitucionais serão catalisadoras para se atingir um maior crescimento e ganhos de produtividade, ao diminuírem o tamanho e aumentando a eficiência do atual governo"

O relatório não dá nenhum ponto nomeadamente contra o provável candidato tucano, mesmo quando cita que ele é um crítico das alta taxa básica de juros brasileiras (a Selic, hoje em 8,75% ao ano) e do dólar barato, o que rende temores entre analistas de que, caso eleito, ele possa adotar uma postura mais "intervencionista" no mercado, contrariando o sistema de metas de inflação e o câmbio livre, os dois pilares da atual política macroeconômica.

O principal ponto a favor de Dilma, para o banco, seria "a continuidade das políticas macroeconômicas, como o câmbio flutuante, a disciplina fiscal e o regime de metas de inflação". Em seguida, o banco cita "o aprofundamento da intervenção do governo na economia via gastos sociais (como os programas Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida), e os gastos com infraestrutura (o PAC)", o que não fica claro se é um pró ou um contra da pré-candidata petista. Para o banco, Dilma tende a se beneficiar ainda da popularidade de Lula.

Embora o banco não faça uma escolha clara entre os prováveis candidatos, diz que o maior risco das eleições este ano estará presente caso algum candidato com viés mais "populista" comece a avançar nas pesquisas, como ocorria em 2002 quando Anthony Garotinho (então PSB) ou Ciro Gomes (então PPS) ganhavam força nas sondagens.

Mas os analistas do banco não creem nessa possibilidade, citando Serra e Dilma como "candidatos bem conhecidos", que devem reforçar o Brasil como "um interessante caso de convergência para os indicadores globais, oferecendo potencial de ganhos no mercado de ações, com baixas taxas de juros e elevado crescimento". O relatório cita apenas rapidamente a pré-candidata Marina Silva (PV) e Ciro Gomes (hoje PSB).

Tolos do Brasil e do exterior se debatem por causa do BBB


Enquanto isso, os politiqueiros aprontam as eleições de 2010 em semianonimato.

Fonte: O Dia.

Todos contra Dourado

No BBB mais gay da história, o homofóbico Dourado alcança popularidade e revolta até a comunidade internacional

POR KAMILLE VIOLA


Rio - A torcida contra Marcelo Dourado no ‘Big Brother Brasil 10’ foi parar até no exterior. Sites voltados para o público gay nos Estados Unidos e até o cantor inglês Boy George noticiaram a campanha contra o participante do ‘reality’, acusado de homofobia e misoginia (desprezo por mulheres).

O site da revista americana ‘Advocate’, uma das mais importantes publicações para a comunidade gay, exibia em sua capa, na terça-feira, a seguinte manchete: “Homofóbico lidera o ‘Big Brother Brasil’”. A matéria trazia um vídeo com momentos de Dourado no programa e um link para eliminá-lo na votação de ontem — o que não aconteceu. Angélica, lésbica e rival de Dourado, foi eliminada com 55% dos 77 milhões de votos, recorde do programa. Dourado recebeu 38% e a drag queen Dicesar, 7%.

Outro blog internacional, o ‘Made in Brazil’, trouxe o título: “Na edição mais gay do ‘Big Brother Brasil’ até agora, o atual favorito é um homofóbico”. No fórum do site ‘After Ellen’, voltado para o público lésbico, integrantes pediam a adesão à campanha para eliminar o ‘brother’. Até o cantor Boy George tomou partido e ‘twittou’: “Vamos lá, brasileiros, botem esse auto-obcecado que odeia bichas para fora da caixa.”

Pelo menos mais de 25 blogs brasileiros fizeram campanha para a saída de Dourado. Um blogueiro chegou a oferecer R$ 50 mil a quem votasse nele. Anônimos e famosos também se manifestaram no Twitter. “Torcer por um cara que, além de usar uma suástica e ser homofóbico, diz que bater em mulher é o cúmulo da submissão à dominação masculina”, escreveu Jean Wyllys, vencedor do ‘BBB 5’ e gay assumido. “Não o conheço, mas critico o que ele representa e defende publicamente”, explica Jean a O DIA .

No entanto, nomes como Fernanda Paes Leme, Preta Gil, Tico Santa Cruz e Bruno Gagliasso fizeram posts no microblog apoiando o polêmico participante. “Nesse ‘BBB’ nada é colorido (nome dado ao grupo dos gays da casa)... tudo Dourado!!! Hahahaha... estou torcendo para o Dourado e pronto!!!”, diz. Tico Santa Cruz argumentou: “O conceito a ser exaltado é o do respeito, inclusive de alguém não gostar de homossexuais. Não gostar não significa agredir!”, publicou o ‘detonauta’ no Twitter. “Estão todos no oba-oba”, acredita Jean. “Muitas pessoas levam na brincadeira e esquecem que a TV é a grande fonte de informação dos brasileiros”.

Dourado é criticado por declarar que havia perdido a fome após conversa sobre relação entre homens e ter dito aos participantes do ‘reality’ para não falarem mais sobre sexo à mesa. Causou polêmica ao afirmar que homens heterossexuais não pegam Aids (o que provocou reações de grupos ativistas homossexuais e do governo) e ao dizer que não bateria em Angélica por ela ser mulher. E explicou que se batesse em alguém na casa seria expulso, mas que, do jeito que ela falou, “era para mim (sic) ter quebrado os dedos dela e dado um monte de porrada, deixado ela desmaiada no hospital”.

Lula lamenta morte de Zapata mas ignora carta de dissidentes

PT
Afinal, tratam-se de dissidentes dos companhêro Fidel e Raul.

Fonte: JB.

Lula lamenta morte de Zapata mas ignora carta de dissidentes

Agência AFP

HAVANA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira, em Havana, que lamenta "profundamente" a morte do preso político cubano Orlando Zapata, falecido na véspera após dois meses e meio de greve de fome.

"Lamento profundamente que uma pessoa tenha morrido por greve de fome", revelou Lula à AFP quando seguia do hotel para o Palácio da Revolução, para se reunir com o presidente cubano, Raúl Castro.

Lula garantiu não ter recebido "qualquer carta" pedindo sua intervenção na libertação de presos políticos cubanos, e lamentou a versão de que obteve uma "carta impressa" neste sentido.

"Se as pessoas se dirigissem à embaixada brasileira (...), se tentassem entrar em contato comigo, jamais deixaria de atendê-las. O que não posso é chegar a um país e me reunir com um grupo de pessoas que disseram que falaram comigo quando não falaram", destacou o presidente brasileiro.
"A solidariedade faz parte da minha vida e nunca deixo de tratar destes assuntos", garantiu Lula.
Ao menos 50 presos políticos pediram ao presidente brasileiro, em carta aberta, que intercedesse pela libertação dos dissidentes cubanos e se envolvesse no caso de Zapata, um pedreiro negro de 42 anos detido em 2003 e condenado a 32 anos de prisão por "desacato" ao governo e "desordem pública".

Na carta, os dissidentes presos também destacam que Lula "seria um magnífico interlocutor" para se obter do governo cubano "as reformas econômicas, políticas e sociais urgentemente requeridas" na Ilha.

Segundo Berta Soler, do grupo das Damas de Branco, Zapata "já está morto, mas ainda há muitos presos políticos doentes que deveriam estar em suas casas porque não fizeram nada". "Vamos ver se Lula se interessa por isto".

Zapata, considerado um prisioneiro de consciência pela Anistia Internacional, faleceu em um hospital de Havana na terça-feria após uma greve de fome iniciada em dezembro em protesto pelas péssimas condições carcerárias.

Em um ato celebrado no Porto de Mariel, Raúl Castro disse ao lado de Lula que a morte de Zapata "foi resultado dessa relação com os Estados Unidos".

O presidente cubano "lamentou" a morte de Zapata, mas garantiu que em Cuba "não existem torturados, não houve torturados, não houve execução". "Isso acontece na base (americana) de Guantánamo".

Após chegar na noite de terça-feira a Havana vindo do México, onde participou da Conferência do Grupo do Rio, Lula iniciou em Mariel sua intensa agenda em Cuba.

A modernização de Mariel, que custará 600 milhões de dólares no total, permitirá que embarcações muito grandes para o porto de Havana atraquem ali.

Lula se reuniu hoje, durante duas horas e meia, com Fidel Castro, e verificou que o líder cubano está "bem" e com ainda "mais disposição" em relação ao encontro precedente, em outubro de 2008.

"Minha reunião com ele (Fidel Castro) foi uma reunião de velhos amigos, de velhos companheiros. Ele é muito interessado nas coisas do Brasil. Tivemos uma ''pequena conversa'' de duas horas e meia".

"Trocamos muitas ideias, discutimos muitos assuntos, incluindo cana-de-açúcar, soja, leite, eletricidade, e pude constatar que ele está bem, com mais disposição que da outra vez. Estou muito feliz", destacou o presidente brasileiro.

Fidel, 83 anos, está afastado da vida pública desde 2006, devido a um grave problema de saúde.

Esta é a quarta viagem de Lula a Cuba desde que chegou à presidência, em janeiro de 2003.

23:28 - 24/02/2010


Ainda sobre o mesmo assunto...

Fonte: O Globo.

Velório de preso político deflagra repressão em Cuba
Publicada em 24/02/2010 às 23h59m
Agências Internacionais
Luiza Damé* e Cristina Azevedo

HAVANA - O presidente de Cuba, Raúl Castro, responsabilizou na segunda-feira os Estados Unidos pela morte do preso político Orlando Zapata Tamayo, durante um discurso ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em sua quarta visita oficial à ilha . A morte de Zapata desencadeou uma nova onda de repressão em Cuba com a detenção e a prisão domiciliar de dezenas de opositores que tentavam chegar a Holguín para o velório do operário e bombeiro hidráulico, detido desde 2003 e considerado preso de consciência pela Anistia Internacional. Segundo a Comissão de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional de Cuba, há outros 25 presos políticos com graves problemas de saúde.

Ao chegar para uma visita ao Porto de Mariel, acompanhado de Lula, Raúl Castro antecipou-se para falar do assunto, lamentando a morte do preso político, que estava há quase três meses em greve de fome.

- Lamentamos muito. Ele teve problemas na prisão, foi levado a nossos melhores hospitais. Morreu. Isso se deve à confrontação que temos com os Estados Unidos. Perdemos milhares de cubanos, sobretudo na primeira década, vítimas do terrorismo de Estado. Entre mortos e feridos que ficaram mutilados e deficientes, por volta de 5 mil. Diplomatas foram assassinados no estrangeiro, inclusive nos Estados Unidos, e desapareceram em outros países, na Europa, em consequência dessa luta - disse Raúl.

"Assassinato premeditado"

Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional, Elizardo Sánchez contou ao GLOBO que houve "30 casos de prisão relacionados à morte de Zapata e outros 30 de prisão domiciliar". Para Sánchez, Zapata foi vítima de "um crime horrendo".

- Ele foi mantido num hospital para presos sem UTI e só na véspera de sua morte foi transferido para um hospital melhor, em Havana, quando já era tarde demais.

Dissidentes que tentavam chegar à localidade de Banes, em Holguín, a 830 quilômetros a sudeste de Havana, eram impedidos, detidos ou forçados a retornar. Só os que partiram ainda de madrugada conseguiram chegar. Houve muita incerteza ainda quanto ao paradeiro do corpo: segundo dissidentes, o governo atrasou a liberação para que o velório fosse curto, mas a família conseguiu adiar o enterro da tarde de quarta-feira para a manhã desta quinta-feira.

Com a localidade isolada, o blog de Yoani Sánchez passou a ser uma das poucas pontes entre Banes e o restante do mundo. "Meu filho perdeu a vida num assassinato premeditado. Os assassinos queriam que velássemos uma foto. Eu os expulsei de minha casa", disse Reina Tamayo à blogueira. "Raúl Castro agora lamenta a morte do meu filho, depois de não tê-lo atendido. Por que não permitiram ao meu filho as condições carcerárias que Batista deu a Fidel Castro?" Segundo Yoani, a casa da família Zapata estava cercada por forças de segurança e ela foi brevemente detida para não assinar o livro de condolências.

Em Havana, dezenas de blogueiros, dissidente e pessoas comuns foram à casa de Laura Pollán, uma das Damas de Branco, onde uma faixa negra na porta indicava um velório simbólico.

Curiosamente, antes de ser preso por desacato, em 2003, Zapata não era um dos dissidentes mais conhecidos. Mas seus dias na prisão e a greve de fome por melhores condições motivaram apelos de governos e organismos internacionais. Ele se tornou o primeiro preso político a morrer em greve de fome em 40 anos. Em 2007, o governo soltou Miguel Tamayo quando sua saúde já estava muito debilitada, e ele acabou morrendo num hospital civil.

No Porto de Mariel, ao lado de Lula, Raúl Castro perguntou se havia muitas perguntas a serem feitas. Diante da resposta positiva, afirmou que a primeira seria sobre a morte do preso político - "o homem que morreu em greve de fome". Respondendo às suas próprias perguntas, o presidente cubano partiu para o ataque aos EUA, que lideram um boicote econômico à ilha desde a década de 60, e chamou o governo americano para debater os problemas entre os dois países.

- No dia em que os Estados Unidos decidirem conviver melhor conosco acabarão todos esses problemas. Estamos dispostos a discutir com o governo americano todos os problemas que eles quiserem. Vou repetir três vezes: todos, todos, todos. Mas não aceitamos a discussão se não for em absoluta igualdade. Não reconhecemos a nenhum país, por mais poderoso que for, nem a um conjunto de países, que pode ser a União Europeia, o direito de se imiscuir em nossos problemas internos, mas estamos dispostos a discutir todos os nossos e também os problemas deles - disse.

Raúl negou tortura e assassinatos de adversários do regime castrista:

- Aqui ninguém foi torturado. Aqui não houve nenhuma execução extrajudicial. Aqui foram torturados, mas na base naval de Guantánamo, que não é nosso território. Aqui quem governa é a revolução - disse, e acabou admitindo que em Cuba não há liberdade de expressão, mas afirmou que os jornais só publicam o que interessa a seus proprietários

* No trecho Cancún/Havana, a repórter viajou no avião da FAB, devido a dificuldades de voos comerciais

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Despedida da comunidade Dial Rio de Janeiro


Fonte: Comunidade Dial Rio de Janeiro.

Olha, o que eu tenho a dizer agora é apenas o seguinte: quero agradecer ao DJ Luiz Claudio pelo tempo que permitiu que eu moderasse a Comunidade. Tentei promover um pouco de organização neste espaço. Sei que fracassei, porque os inimigos foram muitos e muito poderosos. Eles venceram. Peço desculpas pelo fracasso, DJ.

Quero pedir desculpas ao Ernesto pelos contratempos. Espero que nossa amizade de dez anos não acabe assim de maneira tão tola.

E peço desculpas ao Paulo Becker, por não poder retomar seu tópico, que o sr. Orkut fez o desfavor de remover da lixeira. Quero acreditar que, como o Ernesto diz, o Becker seja boa gente. Só que ele tem umas ideias erradas a respeito da qualidade (?) de certas emissoras que representam a morte do dial carioca. Mas opinião não pode ser reprimida. Só lamentada. Por isso que digo: fique à vontade, Becker. Escreva o que der na telha. A partir de agora, tome posse da Comunidade e faça o que bem entender, pinte o sete, toque o horror, porque eu não me responsabilizo mais por isso aqui. Pois eu estou de saída. Não da moderação, mas da Comunidade. Isso aqui está me causando muita dor de cabeça, como está causando ao Ernesto.

Aos amigos fiéis, mesmo na discordância, continuaremos nos encontrando por aí. E tentando levantar esse defunto que é o dial carioca. Abraços para todos.

Até a próxima vez!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Pedras no caminho dos mendigos do Rio


O Governo Lula está no seu oitavo ano, e as ruas deste País de Tolos continuam tomadas por pessoas carentes. Acabar com a pobreza? Que nada.

E o prefeito Eduardo Paes continua aprontando das suas. Mas todos passam a mão na cabeça dele. Por muito menos, os defensores dos direitos dos manos faltaram só pedir o impedimento do prefeito Cesar Maia.

Fonte: O Dia.

Uma pedra no meio do caminho

Medidas ‘antimendigo’ tomadas pela Prefeitura do Rio, como instalação de obstáculos sob viadutos e sobre bancos de praça, geram polêmica. Prefeitura anuncia ampliação e melhorias na rede de abrigos para população de rua

POR FRANCISCO EDSON ALVES

Rio - Para evitar que se instalem em áreas públicas, a Prefeitura do Rio tem se tornado, literalmente, uma pedra no caminho de mendigos. Obstáculos físicos à presença indesejada de moradores de rua vêm gerando polêmica. As principais medidas tomadas pela Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) para ‘varrer’ o problema da cidade são a colocação de pedras sob viadutos e armações de ferro em bancos de praças, empecilho para quem pretende se deitar.

A polêmica está instalada. Aplaudida por uns e criticada por outros — por não ir à raiz do problema e apenas transferi-lo de endereço —, a iniciativa não vem sozinha, promete o município. Ontem, o secretário de Assistência Social, Fernando William, informou que, a partir de março, o número de acolhimentos vai triplicar, pulando de 100 para 300 por dia. A construção de um novo centro de triagem na Ilha do Governador, com ampliação de 80 para 120 vagas, e de mais três abrigos com capacidade para 400 receberá investimento de R$ 26 milhões.

Hoje, o Rio tem cerca de 4.800 pessoas nas ruas e em abrigos municipais, mas só há 2.800 vagas nos 21 abrigos municipais e 19 conveniados. A prefeitura contabiliza, só no ano passado, 7.600 encaminhamentos para abrigos. A maioria dos mendigos voltou às ruas depois de um banho e uma refeição. “Os novos abrigos terão quadras de esportes e capacitação profissional, incentivos para a permanência”, explica William.

Enquanto as melhorias não vêm, debaixo do viaduto na Av. Presidente Vargas perto da prefeitura, pedras pontiagudas fixadas no concreto afastam mendigos que há uma semana dormiam, comiam e faziam necessidades lá. “Estamos nos esforçando para manter a ordem pública. Colocamos canteiros com flores, mas foram destruídos”, diz o coordenador de Operações da Comlurb, Antônio Fernando Ferreira. Segundo ele, havia denúncias de que sob o viaduto moradores de rua se prostituíam e se drogavam: “Assaltantes também usavam o local como esconderijo”.

Expulsos

Nas laterais dos viadutos ao lado do Sambódromo e sobre a Praça Carlo Del Prete, em Laranjeiras, a Comlurb jogou pedras grandes. “Costumava dormir aqui (debaixo do elevado na praça). Hoje, se passar pela calçada corro risco de ser atropelado”, reclama o cadeirante, Paulo Rubens de Oliveira, 45.

Na Praça da Cruz Vermelha, Centro, os cerca de 20 bancos foram divididos ao meio por estruturas de ferro, impedindo que sirvam de cama. Na tarde de ontem, mais de 30 moradores de rua — alguns dormindo sobre colchões e papelões — estavam debaixo de uma cobertura montada sobre mesas da praça.

Iniciativas dividem opiniões

As medidas antimendigo dividem opiniões. A antropóloga Jaqueline Muniz, das universidades Cândido Mendes e Católica de Brasília, afirma que intervenções urbanísticas isoladas só reforçam a tese de ‘cidade partida’. “Têm que vir acompanhadas de um pacote de reeducação social. Do contrário, são medidas violadoras do direito de ir e vir, antipáticas, autoritárias: dão a impressão de que o espaço público é só de alguns”, opina.

Coordenador da Associação Rede de Rua, Adelson Costa diz que as iniciativas “transferem uma situação sem solução para outro lugar”. E o presidente da Sociedade Amigos de Copacabana, Horácio Magalhães Gomes, defende ampla discussão. “Os moradores do bairro reclamam da população de rua, mas ajudam a manter o problema, pois dão esmola e comida a essas pessoas”, observa.

Para o cônego Aroldo Ribeiro, coordenador da Pastoral de Rua da
Arquidiocese do Rio, é preciso dar meios para que os moradores se sustentem: “Isso exige comprometimento de toda a sociedade, não só da prefeitura”.

Polêmica no Rio vem de longa data

Tentativas de afastar moradores de rua em áreas nobres, chegaram a causar muita polêmica no passado. Em 1998, o ex-prefeito Cesar Maia foi criticado pelos Direitos Humanos e entidades de proteção aos menos favorecidos por afirmar que usaria creolina — desinfetante líquido com propriedades antissépticas e desodorantes — para espantar mendigos. A proposta de Maia virou munição para adversários políticos.

No ano anterior, mais controvérsia. O então secretário de Segurança, Nilton Cerqueira, ao responder sobre o aumento do número de mendigos no Rio, disse que o assunto transcendia a responsabilidade da sua pasta. “Só com atos violentos poderíamos livrar a cidade de mendigos. Não quero que aconteça outro Rio da Guarda”, comentou, referindo-se a denúncias da década de 60, jamais comprovadas, de que integrantes do governo
Carlos Lacerda teriam sido responsáveis pelo afogamento de mendigos em um afluente do Guandu.

Debatedores da Catedral FM antecipam anúncio não feito de candidatura presidencial de FHC em 2010

Catedral FM
Debate em FM só pode resultar em asneiras. E a de ontem de alguns dos debatedores do programa Vox Populi (segunda a sexta, 18h) da Catedral FM foi anunciar que, dali a alguns minutos, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso anunciaria sua pré-candidatura a Presidente da República em 2010, diante da indefinição da pré-candidatura do também tucano José Serra.

O dia acabou e a indefinição tucana continua, bem como a capacidade dos debates de FM (reles imitações dos debates de Haroldo de Andrade) em criar desinformação.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Estamos na Rede de Blogs pela Democracia!


É isso mesmo. Desde hoje, integramos a Rede de Blogs pela Democracia, que tem como objetivo resistir ao terrorismo eleitoral que os candidatos a Presidente da República, seus partidos e suas coligações farão em 2010. Afinal, a tendência é que os candidatos deixem de apresentar projetos de Nação, para mostrar que eles é que são os bons e que os adversários não prestam e ponto final. Os primeiros formuladores do grupo afirmam que o terrorismo eleitoral se restringirá à candidata Dilma Rousseff e à sua coligação. Mas eu particularmente não duvido de mais nada. Os adversários dela também devem adotar as mesmas atitudes sujas, umas em maior, outras em menor grau de virulência.

Somos um grupo heterogêneo. Há discordâncias conceituais, existenciais e políticas entre alguns dos blogs. Este blog mesmo rejeita algumas causas defendidas por alguns dos outros blogs. Mas o que nos une é a vontade de mostrar que a coexistência pacífica entre os diferentes é a essência primaz de um regime que se pretenda ser democrático.

Quero pedir desculpas ao grupo por ter demorado a registrar a adesão. Eu realmente ando muito ocupado com muitos comentários a fazer, e nem me dei conta de que deveria dedicar uma postagem somente à nossa rede.

CNBB é facção vermelha da Igreja

CNBB
Resposta para Por que defendo a liberdade e a propriedade:

Dizer que essa nefasta Campanha da Fraternidade é uma obra da Igreja Católica é uma infâmia. Isso é obra dessa facção vermelha de pseudo-católicos em cisma não declarado, que é a CNBB. O papa Bento XVI, tolinho, ainda não dissolveu essa joça. Mesmo tido como reacionário, direitista e conservador pela esquerda festiva de dentro e de fora da Igreja.

MP vê risco de fuga de jovem do caso João Hélio

Ezequiel Toledo Lima
Se você ver esse sujeitinho da foto na rua, tem o direito constitucional de mudar de calçada, se esconder na loja mais próxima e denuncia-lo à Polícia. Sua segurança é o mais importante. O homem não é brinquedo, não!

Fonte: O Dia.

Ministério Público vê risco de fuga de jovem do caso João Hélio

Promotora vai questionar na Justiça atuação da ONG como representante legal de Ezequiel Toledo Lima, hoje com 19 anos

Rio - A falta de informações sobre o paradeiro de Ezequiel Toledo Lima (foto), 19 anos, que participou da morte do menino João Hélio, preocupa representantes do Ministério Público (MP). Ontem, a promotora Denise Martinez Geraci admitiu receio de que o jovem fuja enquanto aguarda decisão da Justiça sobre sua inclusão no Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte no Estado do Rio (PPCAM).

Ezequiel ficou apreendido desde o dia 22 de março de 2007 e ganhou liberdade no último dia 10, quando foi incluído no programa do governo federal. “Como não temos nenhuma informação sobre sua localização e ele não foi entregue a nenhuma autoridade, tenho receio de que o jovem fuja”, disse a promotora.

Representante da ONG Projeto Legal, o advogado Carlos Nicodemos, que fez o pedido de inclusão no PPCAM, explicou que o garoto está sob responsabilidade dos pais. “A tutela não é nossa. Acabamos de entrar no caso”, disse ele.

O MP também vai questionar na Justiça a atuação da ONG como representante legal de Ezequiel. Um dos argumentos é de que a organização é também entidade executora do PPCAM no Estado, o que a impediria de ser a autora do pedido de inclusão do jovem no programa. Documento obtido com exclusividade por O DIA mostra que o juiz da 2ª Vara da Infância e Juventude, Marcius da Costa Ferreira, que determinou que Ezequiel saísse do regime fechado e fosse para o semiaberto, tinha conhecimento do mau comportamento do jovem enquanto ficou internado nas unidades do Degase.

No despacho em que determina a progressão da medida socieducativa, o magistrado cita relatório em que o infrator é envolvido em episódio que ele teria atentado contra a vida de um agente e participado de outros atos graves no Degase.

Família do agressor poderá receber novas identidades

Representante da ONG Projeto Legal, o advogado Carlos Nicodemos disse ontem que, no Rio, onde o PPCAMM foi lançado em 2005, 446 crianças e adolescentes buscaram o programa de proteção. Destas, 330 foram atendidas. A maioria dos atendidos é do sexo masculino, não frequenta escola e não participa de nenhum projeto social.

Segundo dados do programa, 99% dos adolescentes têm a família desestruturada. Os interessados no PPCAAM têm que se voluntariar e, uma vez inseridos no sistema, devem seguir as orientações da equipe técnica. É, por exemplo, o que pode acontecer, nos próximos dez dias, com Ezequiel e sua família. Se a Justiça decidir pela proteção, o jovem, seus pais e irmãos vão receber outras identidades e condições para iniciar uma nova vida, que deverá ser em outro estado.

Reportagem de Christina Nascimento e Mahomed Saigg

Programa de "çaúde" da "companhêra" Dilma é uma lástima

Isso já é dito até nas profundezas do PT. O que o PT tem a apresentar que possa servir de base para o programa eleitoral de Dilma Rousseff? O Governo tem, mas nem é algo que seja do próprio PT, e sim do malfadado PMDB (o DEM do PT, tal como o DEM é o PMDB do PSDB: um mero e incômodo penduricalho). O atual Sinistro, digo, Ministro da Saúde é o pmdbista José Gomes Temporão, indicado político do governador Sérgio Cabral Filho.

Os petistas são tão tapados que alguns queriam que Lula tivesse incorporado ao seu programa de Governo exatamente um dos defeitos da gestão de José Serra em São Paulo: a privatização de unidades públicas de saúde através das Organizações Sociais (OSs). É que elas já foram copiadas por dois aliados lulistas: o governador Cabral Filho e o prefeito Eduardo Paes, ambos do PMDB-RJ.

Do jeito que está o pré-programa de Dilma para a saúde, é melhor ela copiar o programa de çaúde de Seu Creysson, candidato a presidente em 2002 pelo PÇSC (Partido Çossiáu do Seu Creysson).

Fonte: Estadão.

domingo, 21 de fevereiro de 2010, 18:35

Petistas da Saúde temem confronto entre Dilma e Serra

Estadao.com.br acompanhou reunião que teve participação do ex-ministro Humberto Costa

Rodrigo Alvares - estadao.com.br

BRASÍLIA - A portas fechadas, longe dos holofotes e do discurso eleitoral, os petistas que tratam dos problemas da Saúde temem o confronto entre a candidata Dilma Rousseff e o tucano José Serra, governador de São Paulo. Menos de uma hora depois de o 4º Congresso Nacional do PT aprovar o projeto de governo para a candidata à Presidência, na última sexta-feira, 19, a reportagem do estadao.com.br flagrou uma reunião em que um grupo de petistas revelou temor pela fragilidade com que Dilma discute a Saúde e pela "vulnerabilidade" como estão entrando no debate eleitoral. O programa aprovado, afirmaram, "não vale quase nada".

Reunidos numa sala do segundo andar do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, membros do grupo setorial de Saúde do partido queixaram-se da gestão da área no governo Lula e fizeram uma série de comentários críticos à ministra-chefe da Casa Civil. "Quem é a Dilma para nós, do ponto de vista da militância? Não podemos entrar na campanha vulneráveis como a gente está na Saúde", questionou uma das militantes.

Participaram do encontro - que foi gravado pela reportagem -, o ex-ministro da Saúde Humberto Costa (PE), o secretário de Gestão Estratégica e Participava da atual equipe do ministério, Antônio Alves de Souza, e dirigentes de todo o País.

Uma dirigente disse que ficou espantada com a falta de habilidade da pré-candidata durante um debate: "Ela entrou recuada para discutir política social na saúde. Foi um horror. Se o nosso presidente era muito verde quando entrou (para o Planalto), imagina a Dilma! Ela vai ser questionada e vai ter de falar sobre o assunto a partir de abril", acrescentou um dos participantes do encontro de sexta-feira.

"Precisamos nos organizar para influenciar nesse processo. Temos de ganhar a nossa candidata, que não tem o que o nosso presidente tem", afirmou Humberto Costa, que dirigiu a pasta da Saúde entre 2003 e 2005, na primeiro mandato do governo Lula. Parte da preocupação dos petistas deve-se a três fatos: a falta de intimidade da candidata com o setor, o fato de José Serra ter sido ministro da Saúde entre 1998-2002, e porque até hoje a gestão do tucano é uma das mais bem avaliadas.

A capacidade administrativa da ministra na área foi muito questionada durante o encontro. "O José Temporão (ministro da Saúde) já ficou quatro horas conversando sobre saúde com a Dilma", disse um dos participantes. Nem o plano de governo foi poupado: "Acho que não preciso dizer para todo mundo aqui que isso que aprovaram há pouco não vale nada. Esse programa só vai ficar pronto mesmo lá por agosto. Esse encontro é para agradar a militância", avaliou outro dos participantes da reunião.

A distância entre o ministério e o partido é outro motivo de preocupação: "Precisamos marcar encontro com ela e com Lula. O presidente vai sair com essa dívida conosco? Como vamos fazer a discussão do setor da saúde com quem não é do PT se não reconhecemos nossos méritos?". "É essa discussão que temos de fazer, porque o Lula tá pouco se lixando para a gente (petistas)", disse uma filiada. "Acho que a Dilma não representa, nem de perto, o governo Lula."

Para o grupo, o PT não pode entrar na campanha vulnerável como está na Saúde. "É contraditório. Vamos ter de apresentar à população que esses oito anos não significam o que a gente quer de saúde para o Brasil". O histórico de Serra à frente da pasta também foi mencionado. "Serra tem discurso real, (diz) que foi o responsável pela aprovação da Emenda 29 e que não conseguimos regulamentar. Todo mundo acha que ele é o papa da Saúde e tem companheiros que até concordam com isso. Bobagem. Fizemos muito mais, não dá para comparar".

Alguns admitiram que o governo deveria ter aceitado a participação das Organizações Sociais (OS) na gestão de hospitais - o PT costuma dizer que isso é "terceirizar a Saúde". "Eu não quero uma UPA na minha cidade. De que adianta se não consigo pagar os médicos?", disse um secretário. As UPAs, Unidades de Pronto Atendimento, são uma forma de o governo do Rio agilizar o atendimento nas comunidades carentes, longe dos grandes centros hospitalares.

O Fundo de Participação dos Municípios (FPM) também foi criticado: "Essa história de a receita que vem do governo ser a mesma para todos é uma furada. Tem uma cidade ao lado da minha que tem ambulância, estrutura. Eu não tenho dinheiro para nada e ainda vejo prefeito desviando a verba."

Questionado sobre a insatisfação em relação à falta de propostas específicas do programa e condução do assunto pelo partido, o novo presidente do PT, José Eduardo Dutra, negou problemas. "Isso não procede. É comum que alguns termos não sejam especificados e fiquem de fora. Tivemos reclamações de todos os setoriais".

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Conexão do Metrô ameaçada

Rio 2016 - Cidade dispendiosa
O inferno no Metrô carioca continua.

Fonte: O Dia.

Falha na sinalização, declive inadequado do trajeto e consequente risco de acidentes levam Ministério Público a ajuizar ação para que a integração direta entre linhas 1 e 2 seja suspensa até conclusão de obras pela concessionária

POR AMANDA PINHEIRO

Rio - A conexão direta entre as linhas 1 e 2 do metrô, também chamada de Linha 1A, que prometia ligar Pavuna a Botafogo sem baldeação no Estácio, mal começou a funcionar e já pode estar com os dias contados. O Ministério Público Estadual (MP) entrou com ação na Justiça pedindo a suspensão imediata da circulação de trens entre as estações São Cristóvão e Central, enquanto as obras dessa ligação não estiverem concluídas. A Promotoria constatou risco de acidentes por falha na sinalização e declive inadequado.

O MP quer que a conexão só comece a funcionar quando as estações Cidade Nova e Uruguai estiverem prontas. Esta última tem previsão de ser concluída em 2014. Mais: a concessionária só poderá retomar a Linha 1A quando os 114 novos carros, previstos para 2011, estiverem em circulação. Por enquanto, o promotor Carlos Andresano Moreira, da 3ª Promotoria de Justiça e Defesa do Consumidor, pede que a ligação entre as linhas volte a ser feita com baldeação no Estácio.

Fundo para indenizações

Se a Justiça decidir a favor do MP, a Metrô Rio pode ter que desembolsar pelo menos R$ 10 milhões, que iriam para um fundo de custeio de indenizações por danos morais e materiais a usuários que forem lesados. “A ação é baseada em estudos técnicos e perícias realizadas pelo MP, que confirmam risco para passageiros, principalmente no trecho de ligação entre as linhas 1 e 2. O intervalo é de apenas dois minutos e uma simples falha na sinalização pode causar uma tragédia”, alerta o promotor.

De acordo com estudo realizado pelo doutor em Engenharia de Transportes Fernando Mac Dowell, anexado à ação, o trecho em que as duas linhas se encontram “é uma operação de risco maior de acidente, em relação à operação original, sem cruzamento”. Segundo ele, declives de até 4% agravam o perigo. “Desafio mostrar no mundo algo que opere como pretende a concessionária”, diz o especialista.

Segundo o promotor, falha na sinalização pode fazer com que trens vindos da Pavuna e da Tijuca colidam no trecho entre São Cristóvão e Cidade Nova, onde os trilhos se unem. “Pode colocar em risco a vida dos passageiros. Nossos estudos apontam que os trens não estão adaptados para os declives construídos. Constatei pessoalmente que naquele trecho a sinalização é feita de forma arcaica e os sinais eletrônicos estavam cobertos por plásticos”, conta Andresano Moreira.

Procurada pela reportagem, a Metrô Rio informou que não vai se pronunciar sobre o assunto até que seja notificada. A concessionária explicou, ainda, que a conexão direta Pavuna-Botafogo vai continuar funcionando das 5h às 21h, até o final de março. E, apenas nos horários de pouco movimento (após as 21h), feriados e finais de semana, é que haverá baldeação na estação Estácio.

Números - 10 milhões

Valor em reais exigido na ação do Ministério Público para que a concessionária deposite em fundo que serviria para bancar as indenizações por danos morais e materiais a usuários que forem lesados. A ação é baseada em estudos técnicos e perícias realizadas pelo ministério.

Inaugurada, ligação nunca funcionou plenamente

Desde que foi inaugurada, dia 21 de dezembro, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador Sérgio Cabral, a conexão direta entre as linhas 1 e 2 nunca operou plenamente. A baldeação no Estácio continuou sendo obrigatória aos sábados, domingos e feriados. Em dias úteis, a Linha 1A funcionava só das 8h às 17h e depois das 19h.

Depois do início tumultuado, com superlotação e desinformação, mês passado a conexão foi estendida para o horário de 5h às 21h, de segunda a sexta. A concessionária afirma ter investido em melhorias e reduzido o intervalo entres as composições em um minuto e 20 segundos.

Se Aécio não vai a Serra, Serra vai a Aécio


Fonte: Estadão.

Domingo, 21 de Fevereiro de 2010

Encontro com Aécio sinalizará candidatura

Serra espera apenas desembarque do mineiro hoje, após férias no exterior, para acertar visita esta semana

Christiane Samarco, BRASÍLIA

O governador de São Paulo, José Serra, espera apenas o desembarque do colega mineiro Aécio Neves, que retorna hoje de férias no exterior, para marcar a visita que pretende lhe fazer ainda esta semana. Além de selar as costuras políticas no segundo maior colégio eleitoral do País, o encontro dos dois é tático. Serra quer mostrar que fará gestos cada vez mais firmes para não deixar dúvida de que é o candidato do PSDB à Presidência, mesmo sem assumir a candidatura.

Independentemente da movimentação de Serra e do anúncio oficial, que setores do partido apostam que se dará em meados de março, "no máximo", as várias alas do PSDB concordam em um ponto: o inferno astral do candidato tucano se arrastará maio adentro. Isso porque, até lá, a "superexposição" da candidata petista e ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, será acentuada pelos programas partidários do PT e dos partidos aliados do Planalto, em rede nacional de rádio e televisão. É diante desse quadro que serristas do grupo mais próximo ao governador, como o deputado Jutahy Júnior (BA), sustentam a tese de que apressar o lançamento de Serra é inútil.

"Antecipar a campanha é só ampliar o período de travessia do deserto", diz Jutahy, convencido de que o tucano amargará desvantagem durante toda essa fase em que a disputa se dá entre uma ministra que viaja o País inteiro ao lado de um presidente popular e um governador de Estado. O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), concorda que o jogo só começará a ficar equilibrado quando o enfrentamento for entre dois candidatos.

"O que a gente precisa, até lá, é ter nervos de aço. E temos de nos mexer muito no Congresso e nos Estados, com uma forte atuação parlamentar e muita articulação", sugere o senador, animado com os resultados da última pesquisa Ibope. O levantamento divulgado semana passada colocou o tucano 11 pontos porcentuais à frente da petista, no cenário em que Ciro Gomes (PSB) e Marina Silva (PV) também são candidatos. Apontou, também para uma vitória do PSDB em segundo turno, com o placar de 47% a 33% sobre Dilma. "Os números são bons. Confirmam uma situação real, que não é brilhante, mas é segura", analisa Guerra.

"COMERCIAIS"

O PT, assim como o PSDB, tem o programa de 10 minutos do horário partidário a ser exibido em rede nacional de rádio e TV, além de quatro dias de comerciais a ser veiculados até junho. A lei prevê dez inserções de 30 segundos em cada dia. Um comercial os petistas já usaram, para comemorar os 30 anos de fundação do partido. Restam, portanto, três inserções marcadas para 6, 8 e 11 de maio.

Com esse calendário, os tucanos mais otimistas buscam consolo na aposta de que, até lá, Dilma não deve crescer nas pesquisas. Acreditam que quem vai ganhar fôlego agora é Ciro, que apresentou sua candidatura no programa do PSB de quinta-feira passada e ainda terá inserções até o início de março. No ano passado, Ciro ganhou entre 6 e 8 pontos porcentuais nas pesquisas, por conta do programa e dos comerciais.

O tucanato aposta ainda que a propaganda do DEM, entre 18 e 25 de maio, vai "demolir a Dilma" e destacar Serra. Em seguida, na primeira quinzena de junho, o PPS exibirá seu programa, com elogios ao governo de São Paulo, do qual participa. A última etapa da propaganda partidária virá em junho, com o PSDB encerrando a temporada no dia 29. "A exposição final é do Serra", comemora o dirigente do PSDB responsável pela programação perante a Justiça Eleitoral.

Para ter mais conforto na "travessia do deserto", Serra quer investir especialmente em São Paulo, considerado o "motor" da campanha presidencial. O tucanato reconhece que as chuvas ainda atrapalham muito, prejudicando não só a agenda de inaugurações como as intenções de voto na corrida sucessória. Ainda assim, o cronograma de entrega das obras de maior visibilidade, como o Rodoanel, está mantido para março. A programação inclui também duas estações intermediárias da linha 4 do metrô, nas Avenidas Paulista e Faria Lima.

Haverá ainda entregas semanais de novas estações de tratamento de esgoto e escolas técnicas, além de uma nova faculdade de tecnologia a cada mês. E estradas vicinais São Paulo afora. "Se Serra tivesse assumido a candidatura, seria multado, questionado, e não poderia mais inaugurar obras no Estado, porque diriam que é palanque público", insiste Jutahy, em defesa da tese de que o anúncio oficial da candidatura se tornou "secundário".

Kassab tem mandato cassado, mas fica no cargo de prefeito

Fonte: Estadão.

Justiça Eleitoral cassa mandato de Kassab

Condenação por captação ilícita na campanha inclui a vice. Ambos seguem no cargo enquanto recorrem

Roberto Fonseca, Fabio Leite e Eduardo Reina - Jornal da Tarde


SÃO PAULO - O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), e a vice, Alda Marco Antonio (PMDB), tiveram o mandato cassado pelo juiz da 1ª Zona Eleitoral, Aloísio Sérgio Resende Silveira, por recebimento de doações consideradas ilegais na campanha de 2008. A decisão, em primeira instância, torna Kassab o primeiro prefeito da capital cassado no exercício do mandato desde a redemocratização, em 1985. Como o recurso tem efeito suspensivo imediato, os dois podem recorrer da sentença sem ter de deixar os cargos.

Entre as doadoras consideradas ilegais estão a Associação Imobiliária Brasileira (AIB) e empreiteiras acionistas de concessionárias de serviços públicos, como Camargo Corrêa e OAS. Ao todo, a coligação de Kassab e Alda gastou R$ 29,76 milhões na campanha, dos quais R$ 10 milhões são considerados irregulares pela Justiça. A sentença será publicada no Diário Oficial de terça-feira, quando passa a contar o prazo de três dias para o recurso no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Silveira disse neste sábado, 20, ao Jornal da Tarde que já julgou os processos de Kassab, nove vereadores e dos candidatos derrotados na eleição à Prefeitura em 2008, Marta Suplicy (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB), todos alvos de representação do Ministério Público Eleitoral (MPE), mas que não poderia informar quais dos réus foram cassados antes da publicação, na terça. Falta julgar o presidente da Câmara Municipal, Antonio Carlos Rodrigues (PR), e duas empresas acusadas de repasse ilegal.

O juiz afirmou, contudo, que manteve nas suas decisões o mesmo entendimento que levou à cassação de 16 vereadores no fim do ano passado. No caso, todos os políticos que receberam acima de 20% do total arrecadado pela campanha de fonte considerada vedada foram cassados. "Se passou de 20%, independentemente do nome, tenho aplicado a pena por coerência e usado esse piso como caracterizador do abuso de poder econômico na eleição, um círculo vicioso que dita a campanha e altera a vontade do eleitor", afirmou Silveira.

Além de cassar o diploma do prefeito e da vice, a sentença os torna inelegíveis por três anos. Dos 13 vereadores que aguardavam a decisão da Justiça Eleitoral, dez ultrapassavam o limite em doações consideradas ilegais. São eles: o líder do governo, José Police Neto (PSDB), Marco Aurélio Cunha (DEM), Gilberto Natalini (PSDB) e Edir Sales (DEM), da base governista, e os petistas Antonio Donato, Arselino Tatto, Ítalo Cardoso, José Américo e Juliana Cardoso, além de Rodrigues (PR).

Fonte vedada

Nas decisões, Silveira considerou como fonte vedada de doação eleitoral empreiteiras que integram concessionárias de serviços públicos e a AIB. A entidade é acusada pelo Ministério Público Estadual (MPE) de servir de fachada do Sindicato da Habitação (Secovi). Por lei, sindicatos não podem fazer doações a candidatos, comitês e partidos. Só da AIB a campanha de Kassab recebeu R$ 2,7 milhões. A entidade e o Secovi negam haver irregularidades.

"Um acionista, mesmo que minoritário, que tem faturamento de R$ 500 milhões, faz estrago numa campanha porque ele tira renda da concessionária. Embora seja um voto vencido, por conta da decisão do ministro Velloso, me convenceu", afirmou Silveira, citando decisão do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Carlos Velloso favorável a essas doações nas eleições de 2006.

O inciso 3º do artigo 24 da Lei das Eleições (Lei 9.504/97) proíbe "concessionário ou permissionário" de fazer doações de qualquer espécie a candidatos ou partidos políticos. E embora a última manifestação do TSE, em 2006, tenha considerado legais doações de empresas com participação em concessionárias, votos proferidos no passado pelos ministros Cezar Peluso, Carlos Ayres Brito e Ellen Gracie repudiaram a prática.

‘Perplexidade’

Procurado pela reportagem, o advogado de Kassab, Ricardo Penteado, afirmou que a defesa do prefeito vai entrar com recurso no TRE que, diz ele, "deve resultar na reforma da sentença e na confirmação da vontade popular."

Penteado afirmou ainda que "as contribuições foram feitas seguindo estritamente os mandamentos da lei e já foram analisadas e aprovadas sem ressalvas pela Justiça Eleitoral."

"Causa perplexidade e insegurança jurídica que assuntos e temas já decididos há tantos anos pela Justiça sejam reabertos e reinterpretados sem nenhuma base legal e contrariando jurisprudência do TRE e do TSE", completou.

Colaborou Rodrigo Burgarelli

Órfão do rádio

Eu já estou de saco cheio desse dial carioca. Estou tomando ódio de rádio. Se a coisa feder ainda mais, posso até acabar com o TRIBUTO. Deixo essa merda de rádio carioca para os otários tipo... Ah, deixa pra lá.

Rádio virou algo que eu gostava quando ainda era ingênuo e jovem o suficiente para tal. Hoje, francamente, não tenho nem idade, nem paciência, nem saúde nem ingenuidade para gostar de algo tão torpe e apodrecido.

E não há ninguém que me dê esperança de dias melhores para o dial carioca. Nem os ouvintes, classe de otários que ouvem diariamente os dejetos que são arremessados diariamente nas latrinas, digo, nos ouvidos. Nem os patrões, classe de víboras que faz do rádio reflexo de suas mentes reacionárias e destituídas de qualquer senso de decência. Nem os radialistas, classe de cabeças ocas sem criatividade que só fazem jogar no ar o que lhes sopram nos ouvidos, em troca da ração mensal no fim do mês.

Como veem, não sou órfão nem viúvo de rádio alguma. Sou órfão do rádio como tal. Quero ver aparecer alguém para dizer que há esperanças nesse veículo ridículo que virou o rádio.

Publicado originalmente no Tributo ao Rádio do Rio de Janeiro.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Os leprosos de ontem e os tucanos de hoje e de amanhã


Fonte: Tribuna da Imprensa.

sábado, 20 de fevereiro de 2010 06:59

O risco de morrer na praia

Carlos Chagas

Pouca novidade trouxe a mais recente pesquisa eleitoral, desta vez a cargo do Ibope. Porque apesar de Dilma Rousseff haver conquistado mais dois pontos percentuais, José Serra continua absoluto como preferido dos consultados. E com o acréscimo de que, na simulação para o segundo turno, sua vitória torna-se mais expressiva ainda. São 47 pontos contra 33.

Apesar de haver crescido, fruto de intensa exposição ao lado do presidente Lula, a candidata dispõe de sete meses para dar a volta por cima, coisa que não conseguiu nos quase dois anos em que freqüenta as preliminares da campanha presidencial. Conquistará maiores percentuais, concluem os observadores, mas a ponto de superar o adversário? Abre-se para ela, por coincidência em meio à festa de seu lançamento, pelo PT, o risco de morrer na praia. Claro que o reverso da medalha torna-se possível. O eleitorado ainda custa a entusiasmar-se. Antes da escolha do novo presidente será realizada a Copa do Mundo, evento bem mais atrativo, desde que a sorte continue a bafejar o Dunga.

Sendo assim, a pergunta que se faz é sobre o que acontecerá no país diante da volta dos tucanos ao poder. Aqui o processo pode tornar-se mais fascinante, porque condena-se a incorrer em grave erro quem supuser o hipotético governo Serra um vídeo-tape do governo Fernando Henrique. O governador paulista jamais reconhecerá de público, talvez nem depois de subir a rampa do palácio do Planalto, mas será bom aguardar, sabendo-se ser ele um adepto da intervenção do estado na economia e um adversário das privatizações ligadas à soberania nacional. Sem falar nas restrições que faz aos conglomerados especulativos. Pedro Malan que o diga, se voltarmos um pouco os olhos para o passado.

Cuidado com os outros

Para continuar no tema, importa completar: o problema do Serra são os outros. Não todos os tucanos, é verdade, pois muitos também repudiam o engajamento da social-democracia no neoliberalismo. Rejeitam a postura adotada por Fernando Henrique Cardoso durante oito anos. O diabo será evitar que o ex-presidente e outros da mesma estirpe venham a considerar-se condôminos do poder, no caso da vitória do governador paulista. Para o caso de FHC, o ideal seria designá-lo representante do Brasil na Unesco e mandá-lo para Paris, com passagem só de ida. E para os que já apregoam a privatização total da Petrobrás, do Banco do Brasil e da Caixa Econômica, que tal nomeá-los presidentes dessas empresas? Teriam pudor em aparecer como coveiros da soberania nacional. Ou não?

Resposta:

Puxa, Carlos. Esta foi a melhor análise de um possível novo Governo Federal tendo José Serra como presidente. Eu acredito que, se José Serra afastar a influência da turma de FHC, Malan, Armínio & cia., ele tem condições até de aniquilar o discurso petista de que um tucano na Presidência faria o Brasil voltar pra trás, com a volta do FMI, da privataria, etc. E nem precisaria colocar a ex-petista Marina Silva de vice.

O maior desafio dos tucanos na eleição presidencial deste ano é se livrarem da síndrome de leprosos. Pra quem não sabe, os portadores de lepra na época do Novo Testamento eram pessoas discriminadas, totalmente afastadas do convívio social. Eram inclusive forçados a viver em colônias de leprosos, longe das cidades e aldeias. Teve que vir Jesus para devolver a dignidade para os portadores de lepra.

Eu não sei se haverá um dia algum Jesus para salvar os leprosos, digo, tucanos. E eu não vejo o sr. Serra com cara de redentor do tucanato. Por enquanto, foge-se dos tucanos como se fugia dos leprosos no passado. Os petistas (enrustidos ou não) tacam pedras em cima dos tucanos. Impuro! Impuro! Quando quem traiu a própria História ao chegar à Presidência foram os petistas, não os tucanos. Os petistas buscaram no PSDB seu presidente para o Banco Central. Já os tucanos sempre tiveram uma visão elitista e holística demais da sociedade brasileira, não tão centrada nos pobres (?) ou nos companhêro, como fazem os petistas. Nunca vimos os tucanos falando em pobres e excluídos como fazem os petistas em seus discursos hipócritas. A quantidade de pedintes nas ruas demonstra o total divórcio que há entre o discurso petista e a prática. Falar que acabará com a pobreza é fácil. Assim até eu!

Os tucanos até mencionam os mais pobres, mas com aquela cara de que cuspirão no canto, com nojo, assim que se livrarem dos olhos alheios e das câmeras.

Vejamos no que vai dar essa eleição de 2010. Já que os demais partidos farão apenas figuração, o Fla-Flu ficará mesmo entre os petistas e os tucanos. Com duas diferenças em relação aos Fla-Flus anteriores: Lula não estará na urna eletrônica e os tucanos terão a chance de redenção. Ou de danação eterna.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Revolta com libertação de assassino

Os pais do menino que morreu aos 6 anos de idade estão inconformados com a decisão da justiça  Foto: Carlo Wrede / Agência O DIA
Fonte: O Dia.

Rapaz que participou da morte do menino João Hélio ganhou liberdade no dia 10 e foi incluído em programa do governo federal

POR MARIA MAZZEI

Rio - A decisão da Justiça de colocar em liberdade e sob proteção do governo federal um dos assassinos do menino João Hélio revoltou parentes e a defesa do menino. Segundo o advogado que representa a família de João Hélio, Gilberto Pereira da Fonseca, os pais do menino que morreu aos 6 anos de idade estão inconformados. “Não há nada que possa ser feito. A decisão não é passível de recurso. Ela agride a todos, mas é a lei. A lei no Brasil é um incentivo à criminalidade”, disse o advogado.

Ezequiel Toledo Lima, 19 anos, como O DIA publicou ontem, voltou às ruas no dia 10 e foi incluído no Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAAM), do governo federal, porque estaria recebendo ameaças de morte e poderá ser levado para fora do País. Ezequiel cumpriu três anos de medida socioeducativa no Instituto João Luiz Alves, na Ilha.

O menino João Hélio foi arrastado por sete quilômetros em ruas da Zona Norte, em 2007, no assalto do qual o jovem participou quando era menor de idade. “Ele (Ezequiel) cumpriu o tempo máximo. Tenho que cumprir o que a lei determina. A discussão disso não passa pelo Poder Judiciário, mas pela Casa Legislativa ”, disse o juiz da 2ª Vara da Infância e Juventude, Marcius da Costa Ferreira, que também determinou a inclusão da família de Ezequiel no PPCAAM, coordenado pela Secretaria Especial de Direitos Humanos do governo federal.

Nos próximos dez dias, o destino da família de Ezequiel deverá ser decidido pela Justiça. Todos receberão outras identidades e condições para iniciar uma nova vida, que deverá ser em outro estado ou até em outro país. Nesse período, Ezequiel será acompanhando por profissionais da organização não-governamental Projeto Legal, que trabalha em parceria com o PPCAAM.

“Temos elementos suficientes que provam que ele correria risco de morte ao ser solto. Enquanto estava preso, ficava isolado dos outros internos. Depois de liberado, não podíamos lavar as mãos”, explicou o coordenador da ONG, o advogado Carlos Nicodemos. Avaliação do rapaz será feita por duas equipes formadas por advogados, assistentes sociais e psicólogos. Uma equipe é do Rio e a outra, de Brasília.

Decisão reacende debate sobre maioridade penal

A notícia da libertação de Ezequiel causou polêmica e reacendeu a discussão sobre a redução da maioridade penal. O advogado Ari Friedenbach, pai de Liana — morta e estuprada aos 16 anos, em 2003, em São Paulo, por um menor — criticou a decisão da Justiça.

“É preciso responsabilizar o menor criminoso pelo crime hediondo. Esses jovens são irrecuperáveis. São psicopatas, cruéis. Recuperar menor infrator é muito diferente de tentar recuperar criminosos. Essa diferença a Justiça não leva em consideração”, atacou.

O deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP) também criticou a decisão. “O Congresso tem que votar logo a redução. Defendo 12 anos. Um adolescente que mata deve ser responsabilizado pelos seus atos e não ser considerado uma vítima. Só vou ficar convencido que ele está recuperado se um desses estudiosos de Direitos Humanos o contratar para dirigir o carro da família, levando e buscando seus filhos na escola”, disparou.

Caso João Hélio: resposta para blog do JB

Duvido que publiquem isso lá no JB. Mas no meu isto não será escondido.

Resposta para Jesus perdoaria o cúmplice do assassinato do menino João Hélio?:

O perdão deve ser dado se o pecador se arrepende. Até agora, o que o sr. Ezequiel faz não é encarar a realidade de sua podre história e pedir perdão. e sim fugir literalmente da realidade, pois ganhará um vidão no Primeiro Mundo.

Caso João Hélio: Governo inclui cúmplice em programa de proteção

PT
Mais uma do Governo do País de Tolos, que mantém os seus 171% de aprovação.

Fonte: JB.

João Hélio: Governo inclui cúmplice em programa de proteção

Flávia Salme e Thiago Feres, Jornal do Brasil

RIO - Mesmo cúmplice da morte de João Hélio Fernandes, que aos 6 anos foi arrastado por sete quilômetros na Zona Norte do Rio durante um assalto em fevereiro de 2007, Ezequiel Toledo de Lima, 18, foi acolhido pelo Programa de Proteção às Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte, da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República. Depois de cumprir três anos sob custódia fechada, Ezequiel, que neste período tentou fuga e quase matou um agente do Departamento Geral de Ações Socioeducativas do Rio (Degase), agora é merecedor de um benefício. O mais incrível é que ninguém assume a autoria do pedido de proteção.

A notícia de que teria encaminhado o jovem para a Suíça, onde estaria vivendo com nova identidade e apoio financeiro, foi negada ontem pelo advogado Carlos Nicodemos, presidente do Conselho Estadual da Criança e do Adolescente e diretor-executivo da ONG Projeto Legal, que teria garantido a viagem.

– Quem fez o encaminhamento (para o programa nacional de proteção) foi o Poder Judiciário do Rio. O juiz encaminhou o pedido formal, considerando indicadores de ameaças de morte apresentados na unidade de internação – afirmou Nicodemos.

Mas o Tribunal de Justiça do Rio nega. O órgão assegura que o pedido partiu do Ministério Público estadual, e ainda não foi julgado. A decisão que pode garantir a permanência de Ezequiel no programa federal deve ser anunciada na próxima segunda-feira, às 13h, pelo juiz Marcius da Costa Ferreira, do 1º Cartório da Vara da Infância e da Juventude da capital.

O Ministério Público também refutou ontem ter sido o responsável por incluir Ezequiel – hoje maior de idade – no Programa de Proteção às Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte.

O Degase não comenta o caso e a Secretaria de Segurança Pública do Rio – que poderia pedir a proteção de Ezequiel – afirma que sequer foi comunicada sobre ameaças ao jovem. A Secretaria Especial de Direitos Humanos confirma a custódia de Ezequiel, mas não esclarece os motivos da proteção.

“A sociedade corre riscos”

Obrigado a ficar em isolamento em 22/3/2007, Ezequiel teve a internação abrandada três meses depois. A juíza Adriana Angeli de Araújo determinou à direção do Degase que o retirasse gradativamente do isolamento, “a fim de que pudesse participar das atividades necessárias à sua ressocialização”. Relatório do Degase à Justiça, no entanto, denunciou que em 18 de fevereiro de 2008, Ezequiel tentou matar um agente da unidade e fugir.

Em julho do ano passado, relatório das folhas 403 e 408 do processo nº 2007.714.001022-8 mostrou que a ressocialização continuava complicada. “A última reavaliação não demonstra grandes progressos”, considerou o juiz Marcius da Costa Ferreira.

Para o psiquiatra forense Guido Arturo Palomba, ex-presidente e atual diretor da Associação Paulista de Medicina, Ezequiel ainda oferece riscos à sociedade.

– Na natureza não há saltos, ou seja, etapas puladas. Tudo é processo. Existem indivíduos totalmente irrecuperáveis. A experiência diz que aqueles que praticaram crimes violentos, com ausência de remorso, quando ainda eram menores de idade, certamente continuarão agindo assim na idade adulta. O convívio social não é recomendado e, mais ainda, perigoso.

22:45 - 18/02/2010