Política, cultura e generalidades

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Federação Paulista de Futebol ataca novamente o rádio

O que é uma injustiça. Foi graças ao rádio que o futebol se tornou uma paixão nacional, e é essa indústria rentável (para os cartolas, empresários e clubes, claro) que movimenta milhões (de reais e de dólares) anualmente.

E a maldita televisão é sempre poupada das presepadas da Federação paulista.

Fonte: Tudo Rádio.

Terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Exclusivo: Jovem Pan na briga para manter trabalhos no gramado

A Jovem Pan AM 620 de São Paulo e todas as outras emissoras de rádio que transmitem partidas de futebol masculino válidas pelo Campeonato Paulista 2010, foram novamente surpreendidas por uma decisão da Federação Paulista de Futebol que impede os trabalhos de repórteres no gramado dos estádios. Essa mesma situação ocorreu em 2009, quando a Jovem Pan conseguiu uma liminar na justiça para manter seus trabalhos sem imposições que impossibilitam seu trabalho.

Segundo a Federação Paulista a medida foi para garantir a segurança aos participantes de cada partida. O regulamento desse ano impede a presença de jornalistas no campo, impossibilitando a tradicional entrevista após o primeiro tempo ou no término do jogo. Segundo editorial publicado pela Jovem Pan, a rádio paulista já está com novo recurso para obter uma nova limitar que possibilite seus trabalhos no campo.

Essa situação foi amplamente debatida em janeiro do ano passado, quando as emissoras enfrentaram o mesmo problema. Na época o Sindicatos dos Radialistas de São Paulo afirmou que a nova regra da Federação Paulista cerceia a liberdade de imprensa. Em contrapartida a Federação alegou em 2009 que essa pratica é comum na maioria dos campeonatos internacionais, inclusive em partidas cuja responsabilidade é da Conmebol (no caso a famosa Taça Libertadores da América).

No ano passado as emissoras de televisão detentoras dos direitos de transmissão dos jogos do Campeonato Paulista podiam ter seus jornalistas realizando entrevistas no campo, ou seja, eram as exceções na nova regulamentação. Nessa história, como declarou o Sindicato dos Radialistas de São Paulo, o rádio saiu prejudicado.

Na nova regulamentação não existe imposições quanto à transmissão das partidas, apenas o trabalho de repórteres no gramado.

Por Daniel Starck - 19/janeiro/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário