Política, cultura e generalidades

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Falhas em obras na rodovia Rio-Santos

É impressionante a capacidade dos nossos governantes de gastar dinheiro em obras ineficazes.

Fonte: O Dia.

Alerta vermelho na Rio-Santos

Engenheira constata falhas em obras de contenção e trechos da BR-101 com pelo menos um deslizamento a cada km

POR ANNA LUIZA GUIMARÃES

Rio - Motoristas que usam a Rio-Santos (BR-101) entre Rio e Angra dos Reis estão em perigo, principalmente em dias de chuva. O alerta é da geotécnica Anna Laura Nunes, professora da Coppe/UFRJ e presidente do Comitê Brasileiro de Mecânica de Rochas, da Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica.

Engenheira constata falhas em obras de contenção e trechos da BR-101 com pelo menos um deslizamento a cada km Foto: Deisi Rezende / Agência O Dia
Convidada por O DIA para percorrer a estrada e analisar os estragos da chuva, a especialista constatou alto risco de acidentes e falhas em obras de contenção: “Vai dar muito trabalho resolver todos os problemas. Novos deslizamentos podem acontecer”, afirma.

Depois de fechar em vários pontos no primeiro dia do ano, a BR-101 chegou a s ser bloqueada por 14 horas no fim de semana e permanece parcialmente interditada no Km 477, perto de Angra, onde houve um queda de barreira na pista sentido Paraty. Ainda não há previsão de liberação total da pista.

Segundo Anna Laura, a Rio-Santos é um campo de estudo para acidentes geotécnicos: colúvios (acúmulo de terra que deslizou), áreas onde o solo é poroso e precisa de contenção, rochas com fraturas, deslizamento de solo e corrida de detritos, que mais parece chuva de pedras, são alguns dos problemas. O trecho entre Mangaratiba e Angra dos Reis é o mais crítico. “Há pelo menos um deslizamento a cada quilômetro”, observa Anna Laura.

Quase no município Costa Verde, na altura do condomínio Sítio Mombaça, um deslizamento deixou rastro de 120 metros de terra. “No dia em que caiu, tomou a estrada toda”, contou Helena dos Santos, 79 anos, que mora perto.

No km 459, uma rocha de 3 toneladas desceu em direção a estrada, mas parou exatamente em cima de um muro de contenção. Muita terra atingiu a pista. “Algumas contenções não estão de acordo com a situação geotécnica e por isso não são eficientes. Esse muro não foi feito para suportar essa pedra, que é um risco iminente”, analisa a engenheira.

Segundo ela, falta investimento em estudos: “Muitas vezes não há dinheiro para um estudo completo, e o profissional trabalha com limitações”, diz.

Maior acidente geológico

Em 1985, no km 515 da BR-101, perto da Vila de Piraquara, 2 milhões e 500 mil metros cúbicos de solo desceram de mais 300 metros de altura. O maior acidente geológico da Rio-Santos, por sorte, não deixou vítimas. Mas a geotécnica Anna Laura Nunes diz que o desastre é exemplo do que pode acontecer em alguns pontos da estrada. “Uma das causas do histórico acidente foi a chuva muito acima do normal, o mesmo que está acontecendo agora. Sem as intervenções, a Rio-Santos pode apresentar o mesmo problema”, afirma.

Na época, foram obstruídos a BR-101 e o acesso secundário, uma das rotas de fuga das usinas nucleares.Depois de alguns estudos, ficou decidido não mais tentar conter a natureza: a solução foi desviar a estrada, com a construção de um viaduto por cima do morro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário