Política, cultura e generalidades

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Cúpula do PSDB decide por Serra. E as prévias?

Tucano - Mascote do PSDB
Fonte: O Globo.

'Acabou'

Sem a presença de Serra, PSDB se reúne e indica o governador candidato à sucessão de Lula
Publicada em 12/01/2010 às 00h15m
Soraya Aggege

SÃO PAULO - À revelia do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), líderes tucanos bateram o martelo nesta segunda-feira: ele será o candidato à Presidência da República pelo partido, mesmo que retarde o anúncio até abril. O governador de Minas, Aécio Neves, não será o vice, mas candidato ao Senado e apenas fará palanque para Serra em seu estado. O assunto foi tratado durante um almoço que reuniu Aécio, o presidente nacional do partido, Sérgio Guerra, e o senador Tasso Jereissati (CE), com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, em sua casa, no bairro de Higienópolis. Guerra se encontra nesta terça-feira com Serra (que nesta segunda cumpria agenda no interior do estado) para falar da reunião.

"Já passado o final de ano e a com a definição clara de Aécio, o governador Serra é o candidato. Acabou"

- Já passado o final de ano e a com a definição clara de Aécio , o governador Serra é o candidato. Acabou. Agora é conversar para articular um trabalho efetivo - disse Tasso, que deixou a casa do ex-presidente mais cedo para se preparar para uma viagem ao Egito.

Dificuldades em cinco estados, entre eles o Rio

Segundo o senador, é "difícil" e "improvável" que Aécio mude de posição. Mais tarde, ao ser perguntado por jornalistas se recebeu novas propostas para fechar uma chapa puro-sangue com Serra, Aécio foi interrompido pelo anfitrião, que o acompanhava até a calçada do prédio:

- Ninguém aqui está insistindo com Aécio.

O governador de Minas concordou e disse que, no almoço, Guerra fez uma detalhada análise da situação do partido com relação às alianças regionais:

"Agora nós vamos montar o bloco para depois do Carnaval"

- Agora nós vamos montar o bloco para depois do Carnaval. O Sérgio (Guerra) fez uma análise detalhada e até lá vamos costurando as alianças regionais.

Abraçado a Aécio, Fernando Henrique brincou que o time está sendo preparado:

- Mas ele (apontando Guerra) é o capitão.

Guerra, por sua vez, disse que até o final de fevereiro o time entrará em campo. Na avaliação do presidente do PSDB, as situações mais complicadas estão no Rio de Janeiro, Ceará e Amazonas. Ele afirmou ainda que há problemas a enfrentar no Paraná e no Pará.

Sobre o candidato a vice de Serra, Guerra disse que a decisão é não tocar no assunto até que Serra anuncie sua candidatura. O anúncio de Serra, para Guerra, não é o mais "relevante". Para os tucanos, o importante agora é equacionar os palanques nos estados e fechar ofensivas e mobilizações contra o governo Lula e a candidatura da ministra Dilma Rousseff (PT).

Fernando Henrique evitou comentários contundentes sobre o almoço, mas, ao final, brincou sobre o cardápio oferecido e elogiado por Aécio:

- Servimos carne assada e cuscuz à paulista. É que o Aécio é muito mineiro e precisa comer alguns pratos mais paulistas.

Comentário de
Leonardo Mendes Barbosa:
12/01/2010 - 02h 09m

"Para os tucanos, o importante agora é equacionar os palanques nos estados e fechar ofensivas e mobilizações contra o governo Lula e a candidatura da ministra Dilma Rousseff (PT)."

Uma fala esperada, afinal temos um partido que não tem propostas para apresentar a população. Manterão a linha atual de ataque e fanfarra. Acho que esqueceram do seu senador mineiro envolvido no caso do mensalão de Minas e do seu líder no senado que gasta o dinheiro do contribuinte pra pagar curso no exterior...

Nenhum comentário:

Postar um comentário