Política, cultura e generalidades

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Âncoras perderam a finalidade

Já que ninguém fez este comentário, mesmo depois da declaração de guerra de Boris Casoy contra os garis, farei eu mesmo o comentário.

A introdução da figura do âncora nos noticiários brasileiros de rádio e de TV data do processo de redemocratização, quando as patas da Censura deixaram as redações. A partir daí, os próprios dirigentes das emissoras passaram a fazer a autocensura. Neste processo, ganhou importância a figura do âncora. Uma espécie de ventrículo dos donos das emissoras, sempre pronto para tutelar a opinião do ouvinte/telespectador, lhe dizendo o que deve pensar a respeito da notícia que acabou de ser dada. É o líder de opinião na linha de frente dos radio/telejornais. E com muito mais espaço que os comentaristas, que geralmente aparecem uma única vez em cada jornal e tratando apenas de uma editoria.

Eu lembro quando a figura grotesca de Boris Casoy apareceu em rede nacional, ainda no SBT. Meus pais viviam dizendo que ele fazia jornal pra burro que precisava de alguém para “explicar” a notícia. Aquela figura parecia muito interessante para os telespectadores mais conservadores, já que ele tinha (e ainda tem) aquele ar moralista, estilo UDN. Não custa lembrar: aquela época de Boris começando no SBT era a Era Collor, de escândalos de triste memória.

Agora que todo mundo com um computador na mão põe sua própria opinião na Rede (inclusive o escriba aqui), a figura do âncora perdeu totalmente a finalidade original para a qual foi criada. Ninguém mais tem sua opinião tutelada.

Um comentário:

  1. Ainda bem que temos internet. A internet é o único meio de comunicação realmente democrático, graças aos sites gratuitos que favorecem com que pessoas como eu e você possam colocar idéias diferentes às veínculadas pela mídia e pelas equivocadas tradições sociais e com isso tentando melhorar esse país, tão castigado por essas autoridades e pela mídia, que só pensam em lucrar às custas da ignorância alheia.

    "Boris fazia jornal pra burro e por isso ele explicava". Gostei dessa, Delfino. Casoy mostrou sua verdadeira cara neste episódio dos lixeiros. Ele se acha porta-voz e dono da nossa opinião.

    ResponderExcluir