Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Tomem que o Filho do Brasil é de vocês

Lula, o Filho do Brasil
Sabem quando o sujeito tem um filho e fica negando a paternidade, só assumindo quando é feito o exame de DNA ou o juiz de família manda registrar a criança com o nome do pai?

Pois é uma coisa dessas que precisa acontecer com o presidente Lula. Só que aqui o pai todo mundo sabe quem é: é o Brasil, segundo o filme chapa-branca Lula, o Filho do Brasil, que estreará em janeiro. Aqui é a esquerda que não quer assumir a maternidade. E não adianta lembrar daquela mentira (mais uma!) do Lula segundo a qual ele nunca foi um esquerdista.

Senão, vejamos: Lula sempre teve um discurso de defesa dos mais pobres. Se está fazendo algo que preste por eles, cada um tem um parecer diferente. Defesa dos pobres nunca foi discurso nem ideal da direita, que eu saiba. A não ser as exceções de sempre: direitistas populistas em geral, que nunca se identificam como direitistas nem como populistas. No máximo, políticos populares.

Eu estou ficando indignado com alguns esquerdistas, alguns deles editores de blogs parceiros deste aqui. Vêm com essa farsa de que o Brasil nunca teve uma experiência esquerdista de verdade. Vai ver, os milicos de 1964 derrubaram um presidente tão direitista como eles.

E o que dizer do Governo Lula, então? Depois da privataria estilo Pinochet e da falta de investimentos em infraestrutura que marcaram o Governo FHC, o Governo Lula é esquerdista sim, senhores esquerdistas. Por mais que vocês tenham a cara de pau de escrever aqui mesmo no blog que o Brasil nunca teve uma experiência de esquerda real.

Lula é membro do famigerado Foro de São Paulo, é amigo de Hugo Chávez, de Rafael Correa, de Evo Morales, de Manuel Zelaya (gerente do albergue braso-hondurenho em Tegucigalpa) e de Michelle Bachelet, uma esquerdista que mesmo popular como Lula, está para sofrer a primeira derrota da esquerda na Era pós-Pinochet.
As mais legítimas organizações da esquerda brasileira são governistas: o MST, a CPT da Igreja Católica Romana, a quase unanimidade dos sindicatos brasileiros (exceto os dos servidores públicos federais, obviamente) e uma infinidade de outras. As exceções são os partidos de fora do Governo: PSOL, PSTU, PCO e PCML. Alías, esses imbecis da extrema esquerda (filiados ou não) têm que parar de palhaçada e assumir a maternidade sobre o Lula.

Mas não fiquem tristes, amigos esquerdistas. Vocês têm um consolo: se esse governo esquerdista amigo de direitistas do PMDB e de inúmeros outros partidos de aluguel representa alguma vergonha, saibam que a direita brasileira é uma vergonha ainda maior. Porque não se assume. Há políticos direitistas em partidos governistas e nos oposicionistas PSDB e DEM. Nenhum deles assumiu ser direitista. E os direitistas autênticos e assumidos, alguns da estima deste blog, ficam se escondendo em outros blogs e em coluninhas do Partido da Imprensa Golpista (pelo menos o Diogo Mainardi foi rebaixado pela Veja de colunista semanal a colunista quinzenal, de tão ruim que é). Ou fazem como o Olavo de Carvalho, que se esconde lá em Washington se fingindo de exilado político.

No dia em que aparecerem políticos autenticamente e assumidamente direitistas, a história brasileira deixará de ser canhota e passará a escrever com a mão direita, também. Aí vocês estarão ferrados. E vou registrar tudo neste blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário