Política, cultura e generalidades

sábado, 12 de dezembro de 2009

A explosão do arrocha universiotário






















Considerando que quem dirige o Brasil, seja no setor público ou privado, são ex-universitários, dá para esperar um futuro sombrio para o Brasil, já que os atuais universiotários curtem coisas acéfalas como forró universitário, sertanejo univesitário, pagode universitário, axé universitário, funk universitário (vi cartazes de funk universitário na faculdade de medicina da UFRJ)...

Agora tem o arrocha universitário. Ou melhor: arrocha universiotário. Recebi no Tributo ao Rádio do Rio de Janeiro o spam que ilustra este texto.

2 comentários:

  1. Vamos apartir deste blog, do meu e de outros evitar de chamar funk carioca de funk. Ele não é e nunca será funk,pois ele é derivado do Miami Bass de onde também se originou o Techno. Peço que aqui e em outros blogs passem a chamar o funk carioca não mais de funk, mas de FAVELA BASS, pois este é o seu verdadeiro nome. Chamar o FAVELA BASS de funk é uma tremenda ofensa este maravilhoso ritmo do qual o rock também faz parte. Maravilhoso ritmo que tinham como cantores Michael Jackson, Aretha Fraklim, Luther Vandross, George Benson, Comodores, Tim Maia, Sandra de Sá e tantos outros expoentes da musica mundial e de forma alguma pode se associar o FAVELA BASS a um ritmo tão lindo como funk, pois isto é uma ofensa.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o Leonardo ,ontem mesmo eu fiz um comentário no blog do Alexandre e esqueci de colocar as aspas para diferenciar o Funk do "funk" .Marcelo, pelo que eu vejo o carioca e sociólogo Caio Ferraz não perdeu nada em ter sido exilado para os Estados Unidos em 1996?

    ResponderExcluir