Política, cultura e generalidades

domingo, 1 de novembro de 2009

Rio 2016: Prefeito dá primeira volta no COI

Rio 2016 - Cidade dispendiosa
Ha ha ha ha ha... Agora os otários do COI estão descobrindo como a banda toca nesta terra dos políticos malandros!

Fonte: O Globo.

Já?

COI e prefeitura têm primeira divergência sobre Jogos de 2016

Publicada em 31/10/2009 às 19h56m
Luiz Ernesto Magalhães

RIO - A intenção do prefeito Eduardo Paes de alterar parte do projeto que garantiu a conquista dos Jogos Olímpicos de 2016 pelo Rio causou neste sábado o primeiro desentendimento entre as autoridades municipais e o Comitê Olímpico Internacional (COI). Paes disse, num seminário do COI no Hotel Copacabana Palace para discutir os preparativos do evento, que foi aberta uma "janela" para que parte do centro de mídia e outras instalações sejam erguidas na Zona Portuária, e não mais na Barra. Pouco depois, ele foi desmentido pelo diretor dos jogos, Gilbert Felli.

- Existe a possibilidade de se abrirem centros de mídia em outras partes da cidade. O COI está disposto a rever algumas alocações sem mudar o conceito dos jogos - disse o prefeito durante uma entrevista, na qual ele mesmo ressaltou que o COI recomendara cuidado ao anunciar planos e prazos em relação às Olimpíadas.

Minutos depois, também ao falar com jornalistas, mas sem o prefeito, Felli descartou a hipótese da mudança:

- Estou surpreso. Caso haja necessidade de pequenos ajustes, como mudar instalações de treinamento para a cidade ter um legado melhor, isso é aceitável. Os jogos, porém, foram dados pelo COI ao Rio com base em um projeto com o centro de mídia na Barra.

O interesse da prefeitura em transferir parte do centro de mídia tem dois objetivos: contribuir com a revitalização da Zona Portuária e poupar gastos. É que, com a
Copa de 2014, um núcleo para a imprensa já terá de ser construído nas imediações do Maracanã. A ideia é tentar aproveitar tais instalações para os Jogos Olímpicos, a fim de reduzir custos.

Infraestrutura é desafio para organizar o evento

Durante a entrevista, Felli disse ainda que, com base em experiências anteriores e no dossiê de candidatura apresentado pelo Rio, o Comitê Organizador e os governos terão dois grandes desafios. O primeiro é a própria operação do evento, dado o seu alto grau de complexidade. Tudo terá de estar preparado para funcionar direito desde o primeiro dia.

- A segunda é uma questão específica do Rio. A infraestrutura tem que ser construída. Isso se traduz em estradas, ruas, a Vila Olímpica e a reurbanização da Zona Portuária - enumerou o diretor.

Em fevereiro está previsto que o Comitê Organizador entregue ao COI o primeiro relatório sobre a evolução dos preparativos.


Comentário de leitor d'O Globo sobre o COI:

Quesya 01/11/2009 - 01h 21m

Eu acho incrível a disposição das pessoas para acharem que o estrangeiro sempre sabe de tudo, que tem o direito de vir explorar a cidade e o país e que só cabe a nós baixar a cabeça e obedecer.
Foi o mesmo caso do alemão do Vidigal.

Para quem acha que o COI é santo, um link:
http://www.transparencyinsport.org/

Quem não souber ler em Inglês, o Google Translator pode ajudar a ter uma ideia do tamanho da corrupção dos caras.

O COI nunca foi sério, também. Basta ver pelo jeito como aceitaram alegremente colocar uma Olim Piada no Brasil.

Um comentário:

  1. OLÁ.
    RECEBI SEU COMENTÁRIO MAS POR ALGUM MOTIVO NÃO LOCALIZEI. MAS ESTOU LINCANDO SEU BLOG NO MEU. VOU VISITÁ-LO E SE VC PERMITIR CLONAR ALGUMAS MATÉRIAS SUAS (CITANDO A FONTE)
    ABS DO BETOCRITICA.
    EM TEMPO. E VICE VERSA.

    ResponderExcluir