Política, cultura e generalidades

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Enade como propaganda do Governo


Como disse Jorge Luiz da Silva Santos:

Questão de prova como propaganda do governo? Puxa! Isto é novo! Será que Stalin, Mussolini, Franco, Salazar, Pinochet, Mao, Fidel Castro, Hitler faziam isso?

E mais uma vez, luletes e globetes se digladiam nos comentários d'O Globo.

Brasileiro está se tornando um povo muito passional.

Fonte: Questões do Enade elogiam ações do governo Lula e são criticadas por professores universitários.

Demétrio Weber

BRASÍLIA - Das dez questões de conhecimentos gerais comuns às 27 carreiras avaliadas pelo Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), domingo,
quatro fazem elogios a ações do governo federal . Uma delas, a número 5, menciona o impacto do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) sobre o meio ambiente. Na prova de Comunicação Social, aplicada a universitários de seis carreiras, entre elas jornalismo, a questão 19 cita diretamente o presidente Lula. A questão foi criticada por professores universitários e pelo presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Sérgio Murillo de Andrade.

O enunciado diz que Lula foi criticado pela mídia ao afirmar que a crise financeira mundial seria uma marolinha no Brasil. Mas, continua, "agora é a imprensa internacional que lembra e confirma a previsão de Lula".

- Está mais para relações públicas e propaganda do que para uma prova com o objetivo de verificar o conhecimento dos estudantes. A pergunta confirma a opinião do presidente, o que acho discutível. Não é um consenso que a crise tenha sido superada. Para quem perdeu o emprego, foi uma baita de uma crise - disse Andrade.

O professor de políticas públicas da Universidade de Brasília (UnB) Ricardo Caldas condenou a questão 19. Ele disse não ver problemas na menção a ações federais nas outras quatro perguntas, já que Lula está há quase sete anos no poder.

- Parece mais um discurso de autodefesa do Lula, quase ufanístico: o presidente tinha razão, mas somos uma democracia e temos que tolerar as críticas. É tendenciosa.

O professor de jornalismo e ética na comunicação da UnB Luiz Martins da Silva afirmou que não existe fórmula para evitar a politização de questões. Mas, para ele, é elementar que se evitem perguntas que deem margem a suspeitas de alinhamento político.

Reynaldo Fernandes, presidente do Inep, órgão responsável pelo Enade, disse que uma comissão de sete professores definiu as diretrizes das provas, mas coube à empresa Consulplan, contratada para realizar o exame, formular as questões:

- Era uma discussão (a da "marolinha") sobre o direito à crítica.

Um comentário:

  1. Engraçado que recentemente após a matéria em que a "dona dilma" em uma declaração juntou socialismo e nacionalismo. Eu logo em seguida fiz uma singela montagem mesclando a estrela do PT com a suática.

    Lamentávelmente a tirei de meu blog. Acho que agora posso publica-la novamente sem maiores culpas de estar sendo leviano.

    ResponderExcluir