Política, cultura e generalidades

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Por quê não gosto de funk carioca - 5

PSOL
Porque ele corrompe partidos políticos para obter um título ilegítimo de "patrimônio cultural do Estado do Rio de Janeiro", antes do samba de raiz, do samba-canção, do samba-enredo, do chorinho, da bossa nova e outros gêneros criados no Estado.

O PSOL é o maior caso entre esses partidos. Tão zeloso em dizer que é diferente da "esquerda que se vendeu" (partidos como PT, PDT, PC do B, PSB e quebrados), da direita fisiológica (PMDB, PP, PTB, PR, PRB, etc) e da direita tradicional (PSDB e DEM)...

Mas os funqueiros do PSOL foram os primeiros a apoiar o coronelista funk carioca na Alerj. À frente, Marcelo Freixo, tendo o apoio do outrora íntegro deputado federal Chico Alencar.

A revanche da direitona chegará. Infelizmente, para os esquerdistas. Mera coadjuvante do atual poder federal (através de PMDB e de agregados), a direitona retomará a sua cria preferida no Rio, o funk, e jogará o Chico, o Freixo e o partido dos funqueiros sarjeta abaixo. E não vai adiantar botar a vereadora Heloísa Helena de volta no Senado. Ela servirá apenas de atração para a TV Senado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário