Política, cultura e generalidades

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Dilma faz primeiras promessas olímpicas da política brasileira

Acredite quem quiser.

Fonte: Comissão especial será criada para acompanhar os recursos das Olimpíadas, diz Dilma Rousseff.

RIO - A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou nesta sexta-feira que será criada uma comissão especial no âmbito da Controladoria Geral da União (CGU) para acompanhar a aplicação dos recursos e dar transparência aos gastos com as Olimpíadas de 2016.

A ministra acrescentou que o Brasil "aprendeu muito" com a organização dos Jogos Pan-Americanos, em 2007 e, por isso, fará uma prestação de contas "mais transparente" durante as Olimpíadas.

Ela disse ainda que a escolha do Rio para a sede das Olimpíadas de 2016 demonstra que o país alcançou um patamar de reconhecimento internacional e de seu papel na América Latina. Mas ressaltou que o governo federal terá de criar políticas efetivas para aumentar o número de medalhas brasileiras durante as Olimpíadas de 2016.

- Temos que planejar o aumento do número de medalhas, não é espontâneo. É preciso uma política deliberada para que isso ocorra, e vamos começar ontem - prometeu ela, no Hotel Copacabana Palace, onde comemorou a vitória do Rio.

O poder de atração dos esportes na rotina de crianças e jovens é um dos pontos que devem ser priorizados no planejamento das Olimpíadas, defendeu.

- Não basta fazer equipamentos esportivos, mas sim elaborar políticas de envolvimento com os jovens - justificou. - Acredito que, se tivermos agilidade para articular o governo com a iniciativa privada e a mobilização das comunidades, teremos um grande legado. O grande esforço deve ser para mostrar que o esporte é um elemento fundamental para boas práticas, bons princípios, para estabelecer padrões de convivência entre crianças e jovens.

A ministra também destacou a importância da articulação feita pelo presidente Lula em favor da candidatura do Rio. Ela enfatizou que não é o caso de os brasileiros demonstrarem soberba, mas, antes de tudo, humildade.

- Sem sombra de dúvida, está reconhecida a liderança do presidente Lula. Não vamos esquecer que ele é o cara - disse, imitando a frase do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, dita em reunião do G20 (grupo das maiores economias mundiais), em abril passado, na cidade de Londres.

Para Dilma, o Brasil será uma potência na próxima década, com importante papel no esporte. Ao falar sobre os compromissos do Brasil com o COI, ela reiterou que o governo federal vai aplicar os recursos necessários à realização dos Jogos, que contarão com diversas fontes de financiamento, entre elas o Banco Nacional de Desenvolvimento BNDES.

Sabatinada sobre os padrões de sustentabilidade exigidos para o evento, a ministra ressaltou que o encontro de Copenhage será importante para mostrar para o mundo que o Brasil está se tornando cada vez mais verde:

- O Brasil pode se orgulhar de ser o país mais sustentável do mundo. Nenhum outro tem a matriz energética que temos. Então o Brasil pode se orgulhar de fazer uma Olimpíada verde.

Perguntada sobre a possibilidade de ser candidata à Presidência da República durante a Copa do Mundo de 2014, ela disse que tem certeza que "o governo Lula terá um representante".

Um comentário:

  1. Nossa, então vamos fazer uma campanha para construirmos o Monumento ao Coelhinho da Páscoa - o segundo ser mais ovíparo do planeta, depois do ornitorrinco - , afinal estamos no país das maravilhas.

    Tudo é conto de fadas, não é mesmo? Chamem o Galvão Bueno e o Fausto Silva para fazerem cobertura. Além disso, a trilha sonora terá que ser com "funk carioca", porque muitos garantem que é um ritmo "maravilhoso" e sua gente é "toda da paz".

    Ah, e tem que distribuir pó de pirlimpimpim para a população gritar "U-huuuuuu" em uníssono.

    Ah, que vontade minha de viver na Europa...

    ResponderExcluir