Política, cultura e generalidades

domingo, 31 de maio de 2009

CPI da Petrobras ou CPI da Petrobrax?

A classe política brasileira atingiu o nível da indigência. O próximo duelo de gladiadores será a nova CPI da Petrobras no Senado, uma CPI inventada pela oposição direitista para atazanar o Governo, com o apoio dos senadores do PMDB insatisfeitos com o número de cargos e benesses concedidos pelo presidente Lula.

A CPI é um instrumento que as minorias do Parlamento têm para terem alguma possibilidade de exercerem o poder fiscalizador que o Poder Legislativo possui. O deputado Carlos Lacerda vivia ameaçando os presidentes desafetos com possíveis novas CPIs. Antes de eleger o presidente Lula, o PT inventava CPIs uma atrás da outra.

Nessa nova CPI, os partidos de oposição terão 3 senadores (DEM terá dois e o PSDB, um), e o conjunto de partidos governistas (juntando PT, PMDB e todos os outros partidos governistas) terá 8 senadores. O senador solitário do PSOL, José Nery (PA), está fora da CPI.

Os senadores governistas aproveitarão a maioria acachapante para cozinhar a CPI o quanto puderem, para que saia uma grande pizza do forno. Mas fingindo estarem ajudando as investigações da Receita e da Política Federal, e do Ministério Público. Tudo para proteger os indicados políticos que foram colocados na Petrobras sem concurso público.

Enquanto isso, os senadores oposicionistas procurarão as falhas dos indicados políticos que o Governo colocou na Petrobras. Obviamente, farão pití toda vez que os governistas tentarem estender a investigação para a Era FHC. O objetivo maior deles nem é investigar a Petrobras, desde as manobras fiscais até os patrocínios. Mesmo porque a Petrobras tem indicados políticos desde que foi fundada. O objetivo é enfraquecer o nome da Petrobras no mercado, visando uma futura privatização, que poderá ser feita bastando que todos os acionistas sem direito a voto passem a ter, já que o Governo tem mais da metade das ações preferenciais, mas menos da metade do total de ações.

E já que o presidente FHC pretendia mudar o nome da empresa estatal de Petrobras para Petrobrax, antes de vende-la, essa CPI inventada pela dupla PSDB-DEM está mais para CPI da Petrobrax.

sábado, 30 de maio de 2009

Um dia de protesto contra o fim da Antena 1 FM 103,7 do Rio de Janeiro

Este novo blog se propõe a comentar fatos absurdos que acontecem no Rio de Janeiro e no Brasil. Fatos que são aceitos passivamente por milhões de brasileiros, que fazem deste país um País de Tolos.

Acompanhe este blog, e veja uma visão diferente dos fatos, sobre qualquer assunto.

Começo dando a dica de um protesto que será feito amanhã, contra o fim da rádio Antena 1 FM 103,7, que é com certeza um dos maiores absurdos da história desta cidade. Graças a este fato, muitos tolos poderão ouvir saltitantes e serelepes a Tupi AM nos 96,5 MHz da Nativa FM, enquanto a Nativa ocupará a frequência atual da Antena 1, que se tornará mais uma web radio. Já comentei este fato alguns dias atrás, no Tributo ao Rádio do Rio de Janeiro - www.radiorj.com.br/a1-01.html.

Eis o serviço completo do protesto. Se o nobre leitor puder comparecer, vá lá e mostre a sua cara! Não seja um tolo!

PROTESTO CONTRA O FIM DA ANTENA 1 FM 103,7

Data: Domingo, 31 de maio de 2009

Hora: 14:00

Local: Porta da Rádio Antena 1 FM

Cidade: Rio de Janeiro

Endereço da rádio: Rua Cândido Gaffree, 165 - Urca - Rio de Janeiro - RJ

A hora é de protestar. Nada de assistir passivamente o fim da última grande boa rádio do Rio de Janeiro em FM. Prevista para a virada deste mês de maio para junho, a saída da Antena 1 do dial representará o fim da última trincheira de resistência do rádio FM carioca dos anos 80, o melhor dial FM da história desta cidade.

Estejamos lá na porta da Antena 1 protestando pacificamente contra mais essa arbitrariedade e mais essa negociata com uma concessão pública, que é propriedade do povo, que nunca é consultado sobre o que fazer com os canais de rádio.

Sugerimos que os amigos compareçam vestindo camisetas pretas, em sinal de luto pelo fim da Antena 1.